Semana On

Domingo 28.nov.2021

Ano X - Nº 469

Coluna

Soldados do Araguaia

São muitos os crimes da ditadura militar brasileira

Postado em 22 de Março de 2018 - Danilo Custódio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em tempos como esse, onde uma personalidade política de esquerda é assassinada em uma das cidades mais importantes do mundo que vive sob intervenção militar, torna-se necessário não nos esquecermos do passado. “O exército naquele tempo decidia quem morria e quem vivia”, relata um dos entrevistados de Soldados do Araguaia, documentário que estreia essa semana no circuito comercial tupiniquim e que se propõe a dar voz às memórias e traumas de soldados de baixa patente do Exército Brasileiro, que combateram na controversa Guerrilha do Araguaia.

Marginalizados pelo próprio Exército graças as denúncias contra a corporação, esses personagens desabafam suas versões dos fatos. Da convocação junto às comunidades ribeirinhas e rurais até a dispensa após o extermínio da guerrilha comunista, os relatos desses ex-soldados compõem uma narrativa em que recrutas e guerrilheiros se confundem debaixo da opressão militar. Um filme necessário para refletirmos acerca dessa ode primitiva que clama pelo retorno da ditadura em pleno século XXI.

Monty Python no Netflix

O portal Deadeline, famoso por publicar notícias e fofocas dos bastidores da indústria do entretenimento audiovisual, divulgou na última quinta (22) que a Netflix adquiriu os direitos de obras antológicas do grupo de comédia Monty Python, formado pelos ilustres Eric Idle, Graham Chapman, John Cleese, Michael Palin, Terry Jones e Terry Gilliam. Alguns dos títulos que serão disponibilizados ao longo desse ano são Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado, A Vida de Brian e a série Monty Python’s Flying Circus. Além disso, a Netflix encomendou ao insólito grupo de comediantes algumas obras originais, mas não existem maiores detalhes sobre elas.

Denúncia

As novas alterações nas regras do FSA propostas pela Ancine diminuem drasticamente o acesso aos recursos pelas empresas produtoras de nível 1 e 2. Isso porque, para superar a nota de corte das novas licitações públicas, será necessário para o projeto obter uma pontuação altíssima em sua avaliação, além de possuir na equipe um Diretor que comprove muita experiência e uma excelente performance artística e/ou comercial. Essa realidade praticamente exclui os pequenos e médios produtores de acessar os recursos do Fundo, tornando os editais mais seletivos, favorecendo as grandes empresas produtoras sediadas principalmente no eixo Rio - São Paulo.

Enquanto isso, em Brasília

O Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual acaba de anunciar uma nova ferramenta de apresentação dos dados de Bilheteria nas Salas de Exibição do circuito comercial tupiniquim. O painel interativo “Resultados do Cinema Brasileiro” é uma solução tecnológica altamente intuitiva, interativa e focada no usuário, onde é possível acessar informações diversas, como a bilheteria de um único filme ou um grupo de filmes, em um dia específico em qualquer município do país, só pra citar alguns exemplos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...