Semana On

Sábado 21.mai.2022

Ano X - Nº 488

Coluna

Pela Janela

A fragilidade de trabalhadores e idosos em nosso país

Postado em 19 de Janeiro de 2018 - Danilo Custódio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Alguns filmes brasileiros que recentemente vem conquistando espaço nos mais importantes festivais de cinema do mundo tem uma coisa em comum: o proletariado. Trata-se de um tema bastante martelado durante o Cinema Novo, considerado o mais importante movimento histórico de nossa cinematografia. E, não por acaso, o assunto novamente é a pauta da vez. Essa persona, já de idade avançada e inserida como força de trabalho na produção industrial, parece ter muito a nos ensinar.

Pela Janela estreia essa semana através do programa Sessão Vitrine Petrobrás e conta a história de Rosália (Magali Biff), uma operária de 65 anos que dedicou a vida ao trabalho em um fábrica de reatores da periferia de São Paulo. Trata-se de um drama sobre descobertas, coisa muito rara quando se vive uma rotina com muitas horas de trabalho e pouco tempo para si. É uma reflexão muito sensível sobre a vida, o universo e tudo mais.

Depois de circular em importantes festivais nacionais e internacionais e levar pra casa os prêmios de Melhor Filme pela Crítica Internacional do Festival de Rotterdam, de Contribuição Artística do Festival de Havana e de Melhor Filme pelo Panorama Internacional Coisa de Cinema, Pela Janela chega ao circuito comercial tupiniquim trazendo algo novo, muito diferente das coisas que andam circulando em nosso cinema. Bora conferir?

Netflix pagando direito autoral

No início do ano passado, o Superior Tribunal de Justiça anunciou que transmissões via streaming constam, para o setor de música apenas, como uma modalidade de “execução pública”, ou seja, sujeita a cobrança de direitos autorais pelo Escritório Central de Arrecadação de Direito Autoral – ECAD. É onde se enquadram plataformas como o Spotify, por exemplo, mas como o Netflix também utiliza obras fonográficas em suas produções audiovisuais originais, acabou sendo enquadrado no mesmo esquema. O site da União Brasileira de Compositores divulgou que em dezembro do ano passado, a Netflix distribuiu R$ 39,7 milhões para os detentores de direitos autorais, referente ao período de arrecadação entre outubro de 2011 a março de 2017. E a partir de fevereiro desse ano, o Netflix passará a integrar a distribuição regular de streaming, que é feita quatro vezes ao ano: fevereiro, maio, agosto e novembro.

Enquanto isso, em Brasília...

O Ministério da Cultura abre chamada pública para selecionar pareceristas que participarão da avaliação e aprovação de projetos culturais. As inscrições podem ser feitas até 08 de fevereiro e o candidato deverá comprovar no mínimo dois anos de experiência na área de interesse, que são divididas nas seguintes categorias: análise fiscal e financeira; artes cênicas; audiovisual; música; artes visuais; patrimônio cultural material e imaterial; museus e memória; humanidades; análise de prestação de contas e resultados; análise de medidas de acessibilidade à produtos e bens culturais; tecnologia da informação; e análise de obra de engenharia – construção, reforma e adequação estrutural. Ficou interessado? Então acesse o edital e saiba mais.


Voltar


Comente sobre essa publicação...