Semana On

Segunda-Feira 06.dez.2021

Ano X - Nº 470

Coluna

Marco reúne diferentes olhares na primeira exposição artística do ano

Quatro artistas reúnem diferentes abordagens das artes plásticas

Postado em 26 de Fevereiro de 2017 - Crisna Tenório, Deyse de Oliveira, Jéssica Godoi e Vitorya Dorneles – sob a orientação do professor Victor Barone

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Acontece em Campo Grande, entre os dias 14 e 26 de fevereiro, a primeira Mostra Coletiva do ano no Marco (Museu de Arte Contemporânea) com a exposição “04 Mostras, 04 Artistas”. Reunindo obras de 4 artistas, o evento aborda diferentes perspectivas em diversos temas, tais como: magias, memórias, contos de fadas, realidades sociais, ambientais e econômicas.

A artista Ana Ruas vive e trabalha em Campo Grande. Reconhecida por suas pinturas exibidas em várias obras públicas e pelas atividades em seu Ateliê, onde reúne e envolve as crianças e a arte, traz à Mostra a série Floresta Encantada, com imagens voltadas às relações com a natureza, flores, folhas e com destaque a pintura que mais chama a atenção: uma tela de 5 metros que está na sala de exposição.

Quem visita o Museu tem a oportunidade de entrar em um universo mágico, através da coparticipação das crianças nas obras de Ana. Questionadas pela artista sobre o tema “O que precisa ter na floresta para ela se tornar encantada? Por que ela é encantada” nos deparamos com respostas cativantes que geram sorrisos. “Tem unicórnios, cupcakes, muita felicidade e magia no ar” respondeu Helena de 11 anos. “Deve ser porque lá existem muitos coelhos da Páscoa” disse a pequena Marieva de 07 anos, entre diversas opiniões apresentadas.

Além da exposição, as crianças estão convidadas a participarem de pic nics na floresta, aulas e recreações artísticas aos domingos, das 16h às 17h.

Maria Palmira, técnica em contabilidade conta sua impressão ao visitar a Mostra. “São quatro estilos diferentes que retratam a expressão de cada um. Eles passam a realidade de vida e a alegria da natureza”. A visitante destaca que sente falta da divulgação de eventos culturais, e que ficou impressionada com o trabalho da fotógrafa Alessandra Rehder: “Ela mostra a realidade das crianças na Índia e na Indonésia” avalia.

A fotógrafa, formada pelo Insitute SPEOS na França, reúne fotos sob um olhar crítico e sensível com o tema “Subtração & Forma”. A jovem que já viajou o mundo, procura transmitir através de seus registros a infância em cenários isolados, comunidades carentes, realidades ambientais de paisagens cada vez mais escassas. Ela já fotografou Indonésia, Tailândia, Vietnã, Brasil, Filipinas, Papua Ocidental, Índia, Jamaica e Turquia.

Marcos Amaro estudou literatura, filosofia e arte e é empresário, apresenta na Mostra “Desconstruções e Articulações”. Ele reconstrói e reinventa objetos através de esculturas com pedaços de aviões, lonas e materiais recicláveis.
Desde criança é fascinado pelo mundo aeronáutico e afirma que por meio de suas obras mantém viva a memória do pai, Rolim, ex-comandante da Tam.

Reconhecido internacionalmente, é a primeira vez que expõe em Campo Grande.

E quando o assunto é literatura, arte, poesia e exposições, Kátia Canton é referência. Ganhadora de diversos prêmios, a artista estudou arte, dança arquitetura e comunicação e já reúne mais de 50 títulos em sua carreira.
A artista que é apaixonada por conto de fadas desde pequena, revela com pinturas, desenhos e fotografias a série “Casa dos Contos de Fada”, que busca entender a construção cultural, por meio das narrativas, a posição da mulher e da criança com os contos: A Bela Adormecida, João e Maria, Rapunzel, Branca de Neve e outros contos clássicos.

A entrada é gratuita e a visitação é aberta de terça a sexta das 07h30 às 17h30 e aos sábados e domingos, das 14h às 18h. O Museu fica na Rua Antônio Maria Coelho, 6000, Carandá Bosque. Informações pelo telefone (067) 3326-7449 ou pela fanpage: https://www.facebook.com/marco.museu/


Voltar


Comente sobre essa publicação...