Semana On

Segunda-Feira 06.dez.2021

Ano X - Nº 470

Coluna

Governo de MS anuncia pacote de cortes

Objetivo é economizar R$ 130 milhões neste ano

Postado em 17 de Fevereiro de 2017 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O projeto de reforma administrativa a ser enviado amanhã à Assembleia foi apresentado à imprensa hoje de manhã pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) que prevê uma economia de R$ 130 milhões no orçamento deste ano. O governo alega que a queda na importação do gás boliviano reduziu pela metade a arrecadação de ICMS reforçou a necessidade dos cortes. O plano reduz de treze para dez o número de secretarias; extingue cerca de mil cargos, entre comissionados e temporários; e prevê revisão de contratos com fornecedores. Também serão reduzidas 16 superintendências, as agencias fazendárias (Agenfas) passarão de 79 para 30, e os órgãos de atendimento do governo ficarão centralizados em 44 municípios. Outra medida a ser enviada amanhã à Assembleia é a PEC do Limite de Gastos, restringindo o orçamento do Estado à sua arrecadação, o que atingirá também os poderes Legislativo e Judiciário, Tribunal de Contas, Ministério Público e Defensoria Pública.

 

Vander propõe a Marquinhos aeromóvel para o transporte coletivo em Campo Grande

O deputado federal Vander Loubet (PT-MS) visitou hoje o prefeito Marquinhos Trad (PSD), acompanhado de Marcos Bósio, que representa uma empresa interessada em instalar um "aeromóvel" como alternativa de transporte coletivo em Campo Grnade. Fabricado pela indústria gaúcha Coester, o aeromóvel foi implantado em Porto Alegre em 2013 e está em fase de adaptação na cidade de Canoas (RS), onde Bósio foi secretário de Fazenda. O sistema consiste em veículos leves, não motorizados, com propulsão pneumática - o ar é soprado por ventiladores industriais de alta eficiência energética, por um duto dentro da via elevada. O vento empurra uma aleta (semelhante a uma vela de barco) fixada por uma haste ao veículo, que se movimenta sobre rodas de aço em trilhos. "O trânsito de Campo Grande nunca foi planejado. É necessário que comecemos a pensar em abrir as discussões no sentido de pensar em alternativas viáveis para resolver essa questão, principalmente pela mobilidade urbana", disse o prefeito, que ficou de avaliar o custo-benefício do projeto.

 

OAB-MS debate Reforma da Previdência

Reforma da Previdência em trâmite no Congresso será tema de audiência pública na quarta-feira, a partir das 16h, no auditório da OAB-MS em Campo Grande. Conforme o presidente da Comissão de Direito Previdenciário da Ordem, Reinaldo Monteiro, serão discutidos os seguintes temas: Déficit/DRU/Desoneração, Idade mínima e Expectativa de Vida, Aposentadoria Rural e BPC - impacto nas economias municipais, Equiparação de Gênero. Ao final, será elaborado um documento conjunto com as entidades participantes a ser enviado ao Conselho Federal da OAB que, com propostas de outras seccionais estaduais da Ordem, encaminhará o material ao deputado Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da comissão que analisa a matéria na Câmara.

 

Sou candidato à reeleição, diz Moka ao descartar hipótese de pendurar as chuteiras

Durante encontro que reuniu prefeitos de dez cidades da região leste hoje em Nova Andradina com participação do superintendente da Sudeco, Antonio Carlos Nantes, o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) foi questionado sobre o plano de algumas lideranças aqui revelado e que repercutiu na imprensa estadual (leia A chapa) de montar um "chapão" para 2018 em MS o que o levaria para uma vaga no Tribunal de Contas. Sobre o assunto, Moka esclareceu em alto e bom som: – "Meu nome é Waldemir Moka, sou senador da República e candidato à reeleição. Não tem essa de TCU, TCE ou qualquer outro órgão federal. E quem quiser, que me enfrente nas urnas. A população vai julgar meu trabalho e minha longa vida pública ver que não há nada que desabone minha conduta". Presentes ao evento, o ex-governador André Puccinelli, os deputados Márcio Fernandes e Renato Câmara (os três do PMDB).

 

Assembleia cobra licença para laboratórios de MS diagnosticarem doença em equinos

A Assembleia vai pedir em caráter de urgência ao Ministério da Agricultura autorização para que laboratórios de Mato Grosso do Sul possam fazer exames para diagnóstico de mormo, doença causada pela bactéria Burkholderia Mallei que atinge cavalos, burros e mulas. O primeiro relatado no estado foi em abril de 2015 e até hoje são 42 notificações, 11 focos e três casos judicializados. Autor da proposta, o deputado Márcio Fernandes (PMDB), que é médico veterinário, explica que hoje o material para exame tem de ser enviado a São Paulo, o que torna o diagnóstico mais demorado e mais caro para o criador que precisa realizar o teste animal a cada 60 dias. "É inaceitável um estado movido economicamente pela agropecuária, não ter um laboratório que realiza exames para diagnóstico do mormo", afirma.


Voltar


Comente sobre essa publicação...