Semana On

Domingo 28.nov.2021

Ano X - Nº 469

Coluna

A La Minuta receita de sucesso em qualquer mesa

A combinação de bife, arroz, ovo, batata frita e salada é preferência nacional.

Postado em 13 de Janeiro de 2017 - Vera Chaves

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

No Brasil se fez costume pedir bifes a cavalo, a pé, à milanesa e... a la minuta? ou à minuta? Ninguém sabe ao certo. Considerando a falta de acordo, até parece que não existe uma forma correta. Há quem acentue (à la minuta), mesmo sem saber o que é uma crase. Em francês existe crase? Essa expressão será, talvez, francesa? Investiguemos este mistério exclusivo do idioma português. Cada restaurante usa uma forma, dependendo do ouvido, da boa vontade ou dos conhecimentos do idioma.

A palavra minuta já existe no português há alguns séculos. É o feminino latino de minutus. Os dois provêm de minus (menor), que origina muitas outras palavras nossas: menos, minuto, miúdo, minúcia, minúsculo, miuçalha, diminuir, diminuto, esmiuçar. Como substantivo, significa: rascunho, algo feito com rapidez, no minuto.

Assim, o latim minutus se traduz ao português como: miúdo, diminuído, diminuto. Esse adjetivo denominou, em vários idiomas ocidentais, uma das divisões menores do tempo (virando então substantivo): o minuto (miudinho, pequeninho). Uma coisa breve, feita rapidamente, também se chama "minuta".

Seguindo o velho Aurélio de 1960 (também o Novo, conhecido como Aurelião, editado em 1975), "à minuta" é a expressão que deve aplicar-se aos pratos de restaurante feitos no momento, na hora do pedido. Assim como encomendamos bifes à milanesa (ao modo milanês), também pediremos filés à minuta (ao modo de uma minuta, de um rascunho, de algo rápido).

A forma inventada no Brasil "a la minuta" saiu por influência do francês: à la minute (feito no minuto). Para quem não sabe francês, minute é feminino. Aurélio (em 1960) já tentava corrigir essa cópia literal, registrando somente "à minuta", forma não usada pelo povo brasileiro. Ele escreveu, no verbete "minuta 2", que a forma feminina afrancesada seria "absurda", nessa expressão gastronômica. O dicionarista sugeria, assim, que a tradução mais correta seria "ao minuto", ainda mais distante do uso popular, mas não a registrou nem mencionou.

Se a coisa a ser comida estivesse no feminino, a expressão se manteria a mesma: uma sardinha à minuta, vários linguados à minuta, uma ou duas fatias de presunto à minuta. Foi a omissão desses deliciosos substantivos que nos levou à confusão: eles é que devem ser flexionados - os ingredientes (o filé, a picanha, o frango) - e não o modo de prepará-los.

Seja como for, trata-se de uma opção sempre deliciosa. Confira a receita.

A La Minuta em casa, e rápido

- Vamos começar com algumas dicas básicas de como fazer almoço em casa sem muita confusão.

- Para ficar crocante, as batatinhas precisam ir para o óleo frias. Os palitos devem ser imediatamente mergulhados em um recipiente com água, cubos de gelo e uma colher de sopa de sal. Depois, seque-os com um pano de prato ou vão borbulhar excessivamente quando em contato com o óleo.

- Nem todo mundo tem fritadeira em casa. Portanto, na hora de escolher o ingrediente, leve em consideração a panela que será usada no preparo. É preferível fazer porções menores de cada vez do que batatinhas grudadas.

- Conserve as batatinhas quentes e crocantes: pré-aqueça o forno em temperatura baixa (entre 70º e 90º), espalhe os palitos sobre uma assadeira forrada com papel toalha e mantenha-os ali enquanto frita outras porções.

- O ovo é só quebrar na frigideira anti-aderente e cuidar por uns 2-3 minutinhos conforme o ponto que você deseja comer.

- O bife, do mesmo jeito de sempre, frigideira bem quente, um fiozinho de óleo e uma virada de cada lado. Para temperar, sal e pimenta moída na hora.

- Para completar, uma saladinha de alface e tomate.

- Ah... o arroz é opcional.


Voltar


Comente sobre essa publicação...