Semana On

Sábado 21.mai.2022

Ano X - Nº 488

Coluna

Quem é quem na corrida eleitoral

Disputa em Campo Grande será pesada.

Postado em 05 de Agosto de 2016 - Liziane Berrocal

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As convenções chegaram ao fim. E alguns mistérios foram desfeitos, fofocas reveladas e muito chororô vai restar. A começar pela não candidatura de Tio Pucci. Tio Pucci não foi candidato e PMDB não coligou com ninguém. E sabe o tempo de TV do PMDB? Será dividido entre a galera. E fim de papo!

Outros nem tantos

Dessa vez, a eleição será extremamente pulverizada. Com o fim das convenções, teremos quinze candidatos, isso se ninguém desistir no meio do caminho, o que não será novidade. Nos polos principais (sem mimimi por favor minha gente) estão Alcides Bernal (PP), Rose Modesto (PSDB), Marquinhos Trad (PSD) e coloco aí também Alex do PT, Coronel Davi (PSC) e Athayde Nery (PPS)

Chola mais!

Hahuashuashuashuhaushaus! Respira! Huashuashuashuashuas peraí, peraí, peraí! O Paulo Pedra não será nem candidato a vereador? Huashuashuashuas peraí, peraí! É minha gente, humildade e canja de galinha num faz mal a ninguém. E sem mimimi e xingamento da tia Berrocal nos grupos do Face e do Whats porque eu vou rir mesmo! Eu e uma galera de gente, e acredite até Bernalito está rindo muito. Pedra se disse sacaneado com Dagoberto. Pois é, considerando que ele sacanenou muito mais gente na Câmara, tem gente só dizendo assim: chola mais! Em tempo, o PDT também não foi com Bernal, foi com Rose.

Dividido, mas unido

Depois da choradeira de setores do partido, capitaneados pela vereadora Luiza Ribeiro, que queriam apoiar Bernal, o PPS fechou questão à volta de Athayde Nery. Agora, com a definição tomada pelo partido, o PPS junta forças para emplacar seu candidato em meio a máquinas pesadas no município e no estado. Athayde vai apostar na gestão horizontal e na inclusão da população. Vamos ver...

PV e Rede

Marcelo Bluma do PV já estava em campanha desde o ano passado e foi de novo, dessa vez com Roberto Oshiro de vice pela REDE. Oshiro tem histórico forte na área comercial e pode ser um nome a ser debatido para os próximos pleitos. Oshiro além de tudo tem noção de gestão. Pena que vice não debate, caso contrário, seria excelente vê-lo num debate.

Pode ser surpresa, mas...

Coronel David do partido de Bolsonaro (eca) pode ser sim uma surpresa, uma vez que a turma do "bandido bom é bandido morto desde que não seja meu filho fazendo racha na Afonso Pena" gosta desse discurso. Só vale lembrar que Prefeito se eleito não faz leis penais mais duras, nem deputado estadual, assim, só para lembrar que Executivo Municipal não tem nada a ver com pedir pena de morte tá? Brigada, de nada! <3

Enquanto o resto amarelou, ele encarou

Alex do PT contrariou seus eleitores para vereador e deu um passo alto. Como ninguém no PT quis encarar o desafio nesse momento mais difícil que o partido atravessa, inclusive nacionalmente, ele foi e deu a cara a tapa. Só por isso já merece crédito, porque apesar de não ter a mesma expressão, ter chegado ao cargo assumindo como suplente, depois voltando quando Zeca do PT foi eleito, pelo menos não amarelou como Zeca, Pedro Kemp e outros nomes que poderiam ser considerados mais fortes e de maio densidade eleitoral.

A turma Alucicrazy

Na turma dos "vamos que vamos, o que importa é aparecer" temos Elizeu Amarilha (PSDC), o protético do Eymael, Luis Pedro Guimarães (PROS) para descer o porrete no Bernal, ou alguém espera algo diferente? Rosana Santos (PSOL) num sei quem é, Adalton Garcia (PRTB) também num posso falar nada, Suel Ferranti (PSTU) esse tiozinho é muito louco! Adoro!  Também tem Alexsandro Arce Durand (PCO) e Aroldo Figueiró (PTN) que eu só lembro da vassourinha do partido, além do muito alucicrazy Pedro Pedrossian Filho pelo Partido da Mulher Brasileira (oi?).

Faz falta sim

E vou reiterar aqui que sim, vai fazer uma falta danada o menino Ricardo Ayache nesse pleito. Espero que ele reveja o lance de voltar a política e seja candidato em 2014. Ayache apareceu em todos os eventos políticos do PSB. Com um trabalho a frente da Cassems, Ayache tem feito seu nome pelas beiradas, descolando daquilo que não "fazia bem" e pode ser o nome em 2018. Vamos aguardar!

E tio Pucci?

Tio Pucci claro, não se fez de rogado e falou até sobre dor de cotovelo, porém, é fato que isso demonstra uma perda para o partidão, que já comandou Executivo Municipal, Estadual e Legislativo da Capital e Legislativo Estadual ao mesmo tempo e agora está "mais ou menos" com o Legislativo Estadual.

Então...

Leia-se mais ou menos, porque a boca pequena, corre que o arranjo final é o próximo presidente da AL ser o deputado estadual ex-pmdb e agora tucaníssimo Mauricio Picarelli, que por sinal, mostrou seu intenso poder de fogo quando se despediu com pompa e circunstância da TV ao sair da Rede Record-MS e ressurgir assumindo a TV Guanandi. Além de que já detém o poder da TV Assembleia. Vai daí que isso quer dizer sim, muita coisa!

Memória

Na Câmara Municipal, o comando era de Mario Cesar que afastado do cargo por força da operação Coffee Break, levou o PMDB a dar tchau ao comando da Casa de Leis que teve como sucessor o tucano João Rocha. Rocha aliás teve a serenidade de assumir a Câmara num momento tenebroso para a história da legislatura, e mesmo não ficando de fora de uma denúncia "meio louca" do MPE, enfrentando problemas particulares como a luta pela saúde que Tia Rose enfrenta, mantém a calma de um bom samurai.

 Fora do pleito

E na Câmara, Mario, que é sim um tremendo puxador de votos para o PMDB desistiu da candidatura. Vale lembrar que ele enfrentou um deserto entre o dia que foi afastado do cargo de vereador e até o momento que aceitou renunciar ao cargo de presidente da Casa de Leis para só então voltar ao parlamento municipal. Deserto que além dos problemas de saúde comuns ao estresse da situação, também trouxe questionamentos familiares e até mesmo pessoais. Mario é fiscal da Prefeitura, e inclusive optou por receber este salário ao invés o de vereador. Prerrogativa válida para todos. Ou seja, no frigir dos ovos, voltar as origens seria o mais sensato, pensa ele.

Outro

Outro puxador de votos do partidão era Edil Albuquerque que ficou com a difícil missão de puxar tudo isso para o PTB. Com nomes como Otávio Trad e apoiando Marquinhos, Edil sempre teve seu eleitorado cativo. Agora, tem lá Chocolate e Shimabukuro. Tia Berrocal, essa colunista que vos fala, foi chamada, mas como titia tem que labutar em outras bandas, largou mão mesmo. o PTB é claro vai com Marquinhos Trad, assim como o DEM de Luiz Henrique Mandetta. 

A igreja

O poder da igreja mais uma vez estará como "fiel da balança" nessas eleições, apesar da legislação eleitoral vedar "comício em culto". Adriane Lopes será a candidata a vice ao lado de Marquinhos como colocado pela coluna na semana passada. Ela é esposa de Lídio Lopes do PEN, deputado estadual ligado a Assembleia de Deus, que é fiel além da religião, mas também nas urnas.

Dividida

A igreja, no entanto, fica dividida, considerando que Rose Modesto também vai com uma parcela de votos do segmento. Já para vereadores a coisa aperta mais, pois há uma leva muito grande de nomes para a disputa do pleito. Alguns que sabemos ser aventureiros, outros que realmente tem chance e aqueles que "acham que tem histórico", mas pode tirar o cavalinho da chuva, que campanha é faca na caveira. Bora ver quem chega até o fim!

Frase da Semana

"A leitura criminalizadora do embate político. Revela absoluta inexperiência no trato político. Se esse critério fosse adotado nacionalmente, todo parlamento brasileiro estaria denunciado, todos os parlamentos do mundo ocidental democrático seria denunciado pelo promotor Marcos Alex", Fabio Trad, advogado e ex-deputado federal ao comentar a peça de acusação da denúncia apresentada pelo MPE (Ministério Público Federal) para sustentar um suposto golpe para tirar o prefeito do cargo. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...