Semana On

Domingo 28.nov.2021

Ano X - Nº 469

Coluna

O legado da Tocha Olímpica para o turismo de MS

Milhões de pessoas de olho no Brasil durante os eventos de passagem da Tocha.

Postado em 24 de Junho de 2016 - Debora Bordin

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nove municípios de Mato Grosso do Sul foram escolhidos para receber o Tour da Tocha. Com pernoites na capital Campo Grande e em Dourados, o roteiro ainda conta com Sidrolândia, Maracaju, Rio Brilhante, Itaporã, Nova Andradina, Bataguassu e Bonito, aquela cidade que faz jus ao nome com seus rios que mais parecem aquários e fazem a alegria dos mergulhadores.

São milhões de pessoas de todo o planeta de olho no Brasil durante os eventos de passagem da Tocha Olímpica, o maior símbolo das Olimpíadas. A megaexposição vai colocar os destinos nacionais na vitrine do mundo. Segundo o Ministério do Turismo (MTur) essa é uma excelente oportunidade para consolidar o setor de viagens como um vetor da economia e será uma alavanca da geração de emprego e renda no país. E no Mato Grosso do Sul esse legado não será diferente.

Composto por 10 regiões turísticas, Mato Grosso do Sul tem o ecoturismo como seu carro-chefe. As regiões de Bonito – Serra da Bodoquena, Pantanal e Campo Grande – Caminhos dos Ipês são as principais receptoras de turistas no estado. Mas quem desembarca em terras sul-mato-grossenses se surpreende com suas potencialidades turísticas. E para vivenciar um pouco dessas belezas e contar ao mundo sobre a experiência vivida, um grupo de jornalistas participará de uma press trip (viagem de imprensa) promovida pela organização olímpica na região de Dourados, durante a passagem da tocha.

Os destinos sul-mato-grossenses ofertam segmentos voltados ao turismo de aventura, turismo rural, o ecoturismo e a pesca esportiva. O estado abriga a maior área alagável do mundo, o Pantanal, que ocupa 65% da região cercada de biomas como Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica.

Ainda segundo o MTur, o turismo contribui com 3,7% do PIB e emprega mais de três milhões de pessoas no país. Apesar disso o turismo ainda tem tido investimentos muito aquém do que deveria ter, já que é um importante setor para o desenvolvimento econômico do Brasil. Durante a Olimpíada e Paralimpíada, a atividade turística será o maior beneficiado na promoção espontânea do país, e com isso, deve estimular o interesse de turistas nacionais e internacionais para os diversos destinos.

Para o diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS, Nelson Cintra, o evento de passagem da Tocha Olímpica por nove municípios de Mato Grosso do Sul traz muitos benefícios para o turismo do Estado. “É uma grande oportunidade para o nosso estado ser visto pelo mundo, especialmente para o turismo, já que um evento desse porte pode alavancar equipamentos como restaurantes, hotéis e inclusive estimular o desenvolvimento da atividade turística em cidades onde ela não é explorada”, ressalta.

Diante disso, a Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul espera garantir que a experiência dos turistas que visitam o estado seja a melhor possível, para despertar neles o desejo de retornar e viver tudo o que o estado tem para oferecer.


Voltar


Comente sobre essa publicação...