Semana On

Sábado 27.nov.2021

Ano X - Nº 469

Coluna

Esta Campo Grande...

A cidade onde, segundo o prefeito, as pessoas fazem buracos no asfalto em plena madrugada.

Postado em 21 de Janeiro de 2016 - Liziane Berrocal

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ah, essa Campo Grande...  Aqui, as pessoas saem de madrugada, vão abrir buracos nas ruas com uma picareta e jogar água com um balde para aumentar os problemas das chuvas; daí elas ficam com fome, passam nos Ceinfs para comer as merendas e, como ficam cansadas, vão para o posto de saúde encher o sistema que funcionava perfeitamente até então!  E eu? Eu penso que é melhor ler isso do que ser cega né... Em uma cidade em que o prefeito diz em bom tom que vai mesmo dar calote em funcionários comissionados exonerados, e que cada um procure seus direitos no MPE, fico pesando se o melhor seria ser surda.

Voltamos!

Depois de um merecido e glorioso recesso voltamos com as gotinhas – que pode ser remédio ou veneno dependendo da dose, de política aqui na Semana On! Um veículo onde a liberdade editorial nos permite brincar com a situação política, que apesar de séria, pode ser vista com outros olhos. Nesse retorno, a proposta é trazer o leitor para nossa coluna, com críticas, sugestões e dúvidas políticas! Vem com a gente!

Aham Claudia, senta lá!

O secretário Paulo Pedra reclamou dos ataques pessoais que o prefeito Alcides Bernal tem recebido nas redes sociais. Não deveria, considerando que seu principal assessor é responsável – e investigado pela Polícia Federal, inclusive por ser um dos que mais promovem esses tipos de ataques nas redes. E olha que isso não sou eu quem está falando e sim a Polícia Federal em relatório.

Vai piorar

As ofensas aliás, devem dobrar nesse período eleitoral. A modalidade agora é compartilhar notícias antigas como se fossem novidades. Em alguns casos o alvo já foi até inocentado do caso. E na era do 'leitor só a cabecinha" tem coisa que passa mesmo como se fosse verdade, já que muitos só leem o título e não tem o trabalho de abrir links de matérias. O TRE-MS vai ter trabalho com isso pelo andar da carruagem, até porque, realmente, não há como ter um controle eficaz de todos os perfis fakes e muitas autoridades ainda acreditam que são só "molecagens", quando na verdade é um crime!

Emergência

Com 31 cidades em estado de emergência, a governadora Rose Modesto (PSDB) que assumiu interinamente nas férias do governador Reinaldo Azambuja está tendo muito trabalho. Segundo a defesa civil as cidades de Tacuru, Naviraí, Coronel Sapucaia, Amambai, Sete Quedas, Paranhos, Caarapó, Iguatemi, Novo Horizonte do Sul, Juti, Aral Moreira, Eldorado, Itaquiraí, Japorã, Deodápolis, Mundo Novo, Bela Vista, Laguna Carapã, Vicentina, Taquarussú, Guia Lopes da Laguna, Dois Irmãos do Buriti, Jardim, Ivinhema, Campo Grande, Batayporã, Caracol, Fátima do Sul, Miranda, Jateí e Aquidauana já decretaram estado de emergência, sendo que somente 18 tiveram o status reconhecido pelo Governo Federal.

Prova de fogo

A situação coloca em prova de fogo o segundo ano de gestão de Azambuja, que vai enfrentar, segundo os prognósticos, um ano com duas grandes dificuldades: a crise econômica que é propagada de forma gritante no país e um ano eleitoral, onde o PSDB já está com o controle do legislativo Governo e agora deverá buscar um nome forte para disputar as eleições municipais.

Tucana em cotação

Entre os nomes fortes do PCDB para a sucessão está o da professora Rose, porém é preciso ver as pesquisas e ter certeza de quem fará frente ao forte nome de Marquinhos Trad e também de Alcides Bernal. E por falar em sucessão eleitoral os nomes de pré-candidatos aumentam a cada dia. Claro que vai se afunilar quando chegar o momento, mas as articulações de bastidores já estão fervendo em um ano que a campanha será mais curta e também mais pobre.

Merreca

A pobreza aliás começa a ser sentida já nos bairros, que antes, nessa época, tinham coordenadores da campanha contratados e muitos já recebendo pela pré-campanha que está bem quieta até agora, seja nas eleições do legislativo quanto nas majoritárias. Vamos acompanhar, mas pelo andar da carruagem o start será tardio.

Fiquem de olho

As eleições do interior merecem certa análise. Vale lembrar que é desses "nichos eleitorais" que saem nomes que ocupam o legislativo estadual e depois chegam a cargos maiores. Um grande exemplo disso é o governador Reinaldo Azambuja, que saiu de Maracajú, foi deputado estadual, deputado federal, teve excelente votação na disputa pela Prefeitura da Capital e levou o Governo do Estado contra o senador Delcídio em 2014.

Dois meses

É de se pensar: o fato da prisão de Delcidio estar durando tanto tempo. Dois meses depois, ele foi preso em 25 de novembro do ano passado, já se fala de uma suposta armação para o flagrante de suas conversas com Bernardo Cerveró, filho de Cerveró, no famigerado plano de fuga para a Espanha.

O estrago na vida política de Delcidio é nítido e claro. Agora, como a política permite análise poética e até realista – para não dizer otimista, se Fernando Collor de Mello passou por tudo que passou, fez as cagadas que fez e hoje é senador, é fato que ainda é possível que Delcidio renasça como Fenix.

Vale acompanhar!

Vale acompanhar o calendário eleitoral que já começou! Os candidatos têm até o dia 2 de abril para se filiarem aos partidos políticos por onde querem concorrer ao cargo eleitoral, desde que o estatuto partidário não estabeleça prazo superior. Antes o prazo era um ano antes!


Voltar


Comente sobre essa publicação...