Semana On

Quinta-Feira 19.mai.2022

Ano X - Nº 487

Coluna

E o sal ficou rosa

O salgadinho que veio do Himalaia.

Postado em 03 de Dezembro de 2015 - Vera Chaves

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O sal rosa é um tipo de sal grosso comumente encontrado em uma região pouco povoada no Himalaia. Contém 84 elementos naturais e minerais que são excelentes para a saúde. Alguns desses elementos são o magnésio, potássio, cálcio, fósforo e ferro. Tem outros minerais importantes, como zinco, selênio, iodo e cobre. Tem óxido de ferro, que lhe dá essa cor rosa.

Ao contrário do sal comum, o sal rosa do Himalaia é 100% natural, sem qualquer adição de produtos químicos ou aditivos, por isso é considerado um sal muito saudável. É vendido em grãos maiores, assim como o sal grosso comum que costumamos usar, ou até mesmo em pedaços grandes que pode ser usado aos poucos.

O consumo deste sal traz uma série de benefícios para o organismo como controlar o nível de água no organismo, regulando a pressão sanguínea. Regula a quantidade de açúcar no sangue; ajuda o intestino a absorver nutrientes e, ao mesmo tempo, proporciona mais energia; traz benefícios para o fígado e para a vesícula biliar; melhora a qualidade sono, principalmente para quem tem problemas para dormir. Retarda o processo de envelhecimento eaumenta a libido.

Porém, apesar de todos esses benefícios, é importante controlar a quantidade usada nas refeições. Assim como outros tipos de sal, o sal rosa do Himalaia contém uma pequena quantidade de alumínio e outros tipos de metal que, se consumidos em excesso, prejudicam o organismo. O ideal é usar com parcimônia. 

 

Por que substituir o sal comum pelo sal rosa do Himalaia?

O sal comum passa por um processo industrial e, no qual são adicionados diversos produtos químicos, como o cloreto de sódio, que é um "invasor" no nosso organismo. Já foi comprovado pela medicina que essa é a causa de pressão alta, retenção de líquido e até alterações de humor, como irritação. 

Só para ter uma ideia, o corpo utiliza 20 vezes o número de células de água para neutralizar apenas 1 grama de cloreto de sódio ingerido.

Por essas razões, o sal rosa do Himalaia é uma opção muito mais natural e saudável quando o assunto é metabolismo.

Por mais que seja saudável, é preciso evitar o excesso de sódio, então as quantidades devem ser moderadas.

 

Salmão ao sal rosa do Himalaia

Ingredientes

2 filés de salmão

1 colher (chá) de azeite de oliva

1 colher (sopa) de fubá

Pimenta Preta e Sal Rosa do Himalaia a gosto.

Alface, repolho roxo e tomate cereja.

Para o Molho

1 raminho de folhas de hortelã

1 colher (sopa) de suco de limão

1 colher (chá) raspas de limão

1 colher (sopa) de azeite extravirgem

Modo de fazer

Despeje o azeite em uma tigela e adicione o suco de limão e as folhas de hortelã. Misture bem. Passe o fubá pelo salmão, polvilhe o sal e leve para grelhar dos dois lados em azeite de oliva, até que doure e fique crocante. Monte a salada no prato, coloque o salmão sobre ela e polvilhe com os moedores, a pimenta e o sal rosa. Sirva a seguir com vinho branco gelado.

Dica da Vera

Procure comprar o sal grosso rosa do Himalaia e moer na hora que for usar. Use moedor próprio. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...