Semana On

Quinta-Feira 11.ago.2022

Ano X - Nº 499

Mato Grosso do Sul

Riedel: ‘Tecnologia será decisiva para a evolução do agronegócio’

De olho no futuro, pré-candidato ao Governo destaca importância do 5G e da qualificação profissional no desenvolvimento do campo

Postado em 02 de Agosto de 2022 - Redação Semana On

Divulgação - MAPA Divulgação - MAPA

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Reconhecendo a conectividade como uma das principais alavancas para o desenvolvimento, o pré-candidato do PSDB ao Governo do Estado, Eduardo Riedel, tem sido um dos grandes impulsionadores das ferramentas digitais em Mato Grosso do Sul. Entre as principais conquistas capitaneadas por ele está a Infovia Digital, que vai preparar o Estado para a chegada do 5G nos próximos anos. Entre os inúmeros setores beneficiados pelo avanço tecnológico está o agronegócio.

A chegada da quinta geração de redes móveis e de banda larga, o chamado 5G, é aguardada com ansiedade pelos produtores rurais. Estima-se que a velocidade 5G alcance, em média, um gigabyte por segundo, o que a torna dez vezes mais rápida que o 4G. “Logo, as tecnologias poderão ser mais aproveitadas na agricultura, resultando em maior produtividade nas lavouras e na criação de animais. Estaremos atentos a isso nos próximos anos”, afirma Riedel.

Segundo Yanis Stoyannis, professor de Segurança de Telecomunicações e Internet do Instituto Daryus de Ensino Superior Paulista (IDESP), a evolução tecnológica alavancada pelo 5G viabilizará a integração de todo o ciclo da cadeia de alimentos, contribuindo para uma produção mais sustentável, o que é essencial para atender adequadamente a demanda crescente de suprimentos alimentícios para a população mundial.

O professor também comenta que a sustentabilidade tem se tornado cada vez mais crítica e a sociedade cobra os produtores rurais nesse sentido, exigindo que eles invistam mais em tecnologias que tornem a agricultura e a pecuária mais sustentáveis.

“O 5G pode auxiliar no enfrentamento desses problemas, ao alavancar tecnologias que possam minimizar os efeitos na produção de alimentos, seja através da automação de tarefas, que muitas vezes são realizadas manualmente com árduo esforço e baixa eficiência operacional ou por meio do gerenciamento da cadeia produtiva”, diz Stoyannis.

Ele prossegue: “É possível utilizar a tecnologia visando minimizar as altas taxas de perdas de alimentos ou ainda pelo controle eficiente de uso pesticidas, para minimizar os impactos na saúde da população, baratear os custos de produção e impedir a contaminação do solo e lençóis freáticos.”

“Com a conectividade vamos ganhar tempo e diminuir custos. É um dos projetos mais transformadores do ponto de vista da competitividade do Estado. A Infovia Digital é uma oportunidade que está sendo colocada no mercado para termos uma mudança exatamente quando o 5G está chegando ao Brasil. E essa rede (Infovia Digital) se propõe a somar com esse novo momento pelo qual o Brasil vai passar com esse serviço (5G)”, explicou Riedel.

Para o pré-candidato ao Governo do Estado, trata-se de ‘uma mudança enorme com relação a qualidade do serviço público e para o setor privado’. “Será uma transformação muito importante, especialmente em um dos nossos setores mais fortes da economia, que é a agropecuária, ao propor para levar aos 79 municípios essa rede de fibra óptica. É uma modelagem moderna, inteligente, que preserva os provedores e mantém a rede privada atuando”, ressaltou Riedel.

TECNOLOGIAS BENEFICIADAS PELO 5G NO AGRONEGÓCIO

O 5G trará para o campo a capacidade de interconexão de dispositivos com algumas características, que vão depender do escopo de cada projeto e seus objetivos, como a alta densidade de dispositivos conectados, que é essencial para monitorar áreas rurais de grandes extensões.

As soluções que estão tornando o setor agro mais inteligente incluem a Inteligência Artificial e o Machine Learning. Ou seja, o aprendizado por reforço, onde tarefas exigem repetição e alta precisão, o que possibilita o emprego de robôs.

“Há um temor de que a digitalização e informatização destes serviços possam gerar perda de empregos, mas vamos trabalhar para que seja exatamente o contrário. Por isso, nos próximos anos, vamos investir fortemente em qualificação profissional, que vai gerar melhores salários no futuro”, avisa Eduardo Riedel.

E mais investimentos no setor serão feitos na área, para levar ainda mais comodidade e informação aos moradores do Estado. “Serão implantados 7 mil quilômetros de fibra ótica e pontos de wi-fi por Mato Grosso do Sul. Essa infovia digital por todo nosso Estado vai melhorar muito a vida de toda a população, vai beneficiar as mais diversas áreas, nossos alunos terão uma educação melhor, serviços de saúde serão mais eficientes, será bom para todo mundo”, conclui o pré-candidato.

DESAFIOS

Apesar de ser inovador, ainda há muitos desafios que devem ser superados para que a implementação do 5G no campo tenha sucesso em todo o país. Para Stoyannis, o principal obstáculo enfrentado pelos agricultores é o fato de o Brasil ter uma dimensão continental, com muitas regiões que ainda têm uma cobertura de internet muito deficitária.

“Muitas regiões do Brasil sequer tem cobertura para a comunicação móvel existente. O motivo é que muitas vezes o investimento para alcançar áreas remotas é extremamente elevado, pois, as redes móveis dependem de um sistema central, denominado de core, para funcionar. E o retorno financeiro pode ser insuficiente para alavancar essa iniciativa”, opina o professor.

Por esse motivo, Stoyannis acredita que o agronegócio precisa identificar valor na solução 5G para que se torne uma aposta viável.

Em suas palavras: “É essencial que a tecnologia 5G aplicada para o campo atenda aos requisitos de grande alcance, por meio do uso de antenas de alta capacidade de cobertura, estabelecer um modelo mais simplificado de implantação e que a relação custo-benefício possa viabilizar os projetos".

Não há dúvida: o 5G no agronegócio beneficiará muito as aplicações de novas tecnologias no campo. “A tecnologia será decisiva para a evolução do agronegócio, e prepararemos o Estado para isso”, assegura Riedel’.


Voltar


Comente sobre essa publicação...