Semana On

Segunda-Feira 08.ago.2022

Ano X - Nº 499

Mato Grosso do Sul

Volume de investimentos da iniciativa privada no MS deve superar R$ 51 bilhões

O governador destacou a vinda da Arauco, gigante de celulose, cuja obra está prevista para início em 2025

Postado em 01 de Julho de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa do Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Os investimentos da iniciativa privada em Mato Grosso do Sul superam os R$ 36 bilhões, e poderão saltar em alguns anos para mais de R$ 51 bilhões com o empreendimento da fábrica de celulose da chilena Arauco em Inocência. As informações foram divulgadas pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja, durante entrevista ao programa Tribuna Livre, da FM Capital.

O governador ressaltou que a vinda da Arauco é um ganho extraordinário ao Mato Grosso do Sul, mas que antes da gigante de celulose, cuja obra está prevista para início em 2025, o Estado já tem firmados investimentos em andamento da Suzano em Ribas do Rio Pardo, da Seara em Dourados, da Inpasa em Dourados e a Neomille/Cerradinho em Maracaju, ambos de etanol de milho e da Aurora em São Gabriel do Oeste.

"Hoje estamos com um portfólio de R$ 36 bilhões no Estado de investimentos privados. Não estou falando somente Suzano, não estou nem computando a Arauco que está começando agora. Estou falando Suzano, Inpasa, Cerradinho, Seara, Aurora em São Gabriel. São muitos investimentos e são feitos porque o Estado tem um bom programa de incentivos. Nós trocamos impostos por empregos, isso é uma realidade", salientou.

Azambuja frisou que o MS bateu o recorde na geração de empregos no mês de maio. "Foi o maior resultado desde que começou a aferição do CAGED. Foram 25.794 empregos positivos. Isso é muito bom porque cria oportunidades de trabalho em todo o segmento produtivo. E o emprego dignifica as pessoas", acrescentou.

No quesito empregabilidade, o Estado está entre os primeiros com a menor taxa de desocupação, que é o menor desemprego do Brasil. "Isso é fruto da credibilidade, do trabalho da nossa equipe de licenciamento ambiental que executa suas funções com muita rapidez", salientou.

Na avaliação do governador a vinda de grandes empresas como Arauco para Mato Grosso do Sul são fruto de políticas assertivas e segurança jurídica para instalação dos empreendimentos. "Para atrair investimentos é preciso ter segurança jurídica, é um acordo de Estado não de Governo. Meu Governo está terminando, no dia 02 de janeiro eu entrego o mandato, mas os investimentos estarão garantidos", acrescentou.

Arauco

Com relação a Arauco que vai investir em Inocência, o governador está otimista."Para se ter uma ideia, nos últimos sete anos nós saímos de 470 mil hectares de florestas plantadas em MS para hoje 1,2 milhão. A projeção só para Arauco é de 290 mil ha de florestas. Ou seja, vamos ampliar para 2,2 milhão um milhão a mais, isso é bom, além de ser uma atividade econômica importante que gera emprego e renda, riquezas, aumenta em 5% o PIB de MS. Estamos falando em 3 bilhões de dólares na fábrica e mais 1 bi de dólares nas florestas. O que daria em reais mais de R$ 20 bilhões, mais que o orçamento de MS para este ano é de 18 bilhões", sinalizou.

O município de Inocência que vai receber o empreendimento também será amplamente beneficiado com obras estruturantes. No entanto, toda a região vai ganhar com a nova fábrica. "Isso é riqueza é progresso desenvolvimento numa região importante que abrange Inocência, Cassilândia e Paranaíba. Serão milhares de empregos gerados na região", comemorou.

O governador ainda esclareceu que o mesmo termo de acordo que a Arauco recebeu foi dado a Suzano e a Eldorado. "Mato Grosso do Sul tem tratamento igual para a cadeia produtiva. Não tem diferenciação. Pelo termo de compromisso assinado vamos investir em rodovia, acesso a internet, conectividade, escola, saúde e aeroporto. Esses foram os compromissos que o Estado assumiu com Inocência. Numa região importante do Estado divisa com Goiás, Minas Gerais que vai enriquecer mais a localidade e valorizar as propriedades. Na região existe muita pecuária extensiva e com uma pequena produtividade. Uma indústria de celulose e o cadeamento industrial vai produzir além da celulose, o papel e trará outras empresas que vão mudar o perfil daquela região", afirmou.

O Estado Carbono Neutro também foi abordado na entrevista do governador. Ele destacou que MS tem políticas específicas de sustentabilidade.

Infovia digital

O governador Reinaldo Azambuja falou da importância da melhoria na conectividade com a chegada da Infovia Digital para atrair e atender o empreendimento da Arauco. "Uma fábrica como esta por ser uma planta 4.0, necessita de conectividade. Por isso nós vamos oferecer a conectividade. Fizemos a Parceria Público Privada (PPP) das infovias digitais. Eu assinei contrato para execução de 7 mil quilômetros de fibra ótica", destacou.

Hoje a conectividade em Mato Grosso do Sul é de 4 megabytes das operadoras. "Nós vamos para 40 megabytes. Isso aumenta a competitividade e reduz custos. A conectividade vai levar o funcionamento da fábrica, da telemedicina, de 129 praças públicas com wi-fi gratuito, 79 cidades com conectividade rápida, diminuição de custos e rapidez. O Estado terá internet mais rápida e mais barata do Brasil", concluiu Azambuja.


Voltar


Comente sobre essa publicação...