Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Mato Grosso do Sul

Com salário de junho e antecipação do 13º, Governo do Estado injeta mais de R$ 700 milhões na economia

Sindicatos dizem que recursos chegam em ‘bom momento’ aos servidores

Postado em 22 de Junho de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa do Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com o adiantamento de parte do 13º salário e a manutenção dos pagamentos em dia, o Governo de Mato Grosso do Sul injeta mais de R$ 700 milhões na economia somente em julho. São R$ 208 milhões a mais por conta da antecipação, além de cerca de R$ 500 milhões referentes ao pagamento de junho (o valor da folha ainda não foi fechado).

Os pagamentos serão efetuados na primeira semana de julho. A primeira parcela do décimo terceiro correspondente a 50% do valor líquido, atende a demanda do funcionalismo e ajuda a aquecer a economia. É o segundo ano consecutivo em que o Estado antecipa o benefício.

“Recebi várias reivindicações dos sindicatos e tomamos a decisão de pagar na primeira semana de julho metade do 13° salário a todos os servidores do Mato Grosso do Sul. No ano passado também tomamos esta atitude para aquecer a economia”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Receberão os pagamentos 81.117 servidores ativos, aposentados e pensionistas. Com relação a 1ª parte do 13º salário, são R$ 104.536.132,77 para 49.365 ativos e R$ 104.363.225,31 aos 31.752 inativos, totalizando R$ 208.899.358,08. Os números são da Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização.

Sindicatos dizem que recursos chegam em “bom momento” aos servidores

Os sindicatos que representam os servidores estaduais de diferentes categorias elogiaram a decisão do governador Reinaldo Azambuja em fazer o pagamento da metade do 13° salário em julho. Ainda destacaram que o recurso chega em um “bom momento” para quem precisa e ajuda o comércio local.

Para o presidente do Sindasp (Sindicato dos Agentes de Segurança Patrimonial Estadual), Orivaldo Duarte, a antecipação do 13° salário é muito importante, pois ajuda aqueles servidores que precisam pagar dívidas ou que necessitavam deste adiantamento.

“Um dinheiro que chega na hora certa, em que muito estão precisando, principalmente com preços tão altos neste momento. Quem preferir não gastar, pode guardar ou até fazer um investimento”.

Ana Maria Trindade Rodrigues, presidente do Sintuems (Sindicato dos Profissionais Técnicos da Educação Superior da Uems) ponderou que este pagamento vai dar uma “folga” na renda mensal dos servidores no meio do ano. “Um dinheiro extra que vai ajudar muito os trabalhadores, além de contribuir com as vendas no comércio depois da crise da pandemia. O pessoal ainda pode guardar na poupança”.

Já André Luiz Garcia Santiago, presidente do Sinsap-MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de MS), ponderou que este recurso disponível em julho será “bem-vindo” aos servidores, sendo uma ação assertiva do Governo do Estado, principalmente após meses que incidem pagamento de várias contas. “Quem não precisar pode guardar. Minha sugestão é que da próxima vez o servidor possa escolher entre receber ou esperar até o final do ano”.

Fabrício de Carvalho, que está a frente da ACS-MS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de MS), destacou que a categoria também foi favorável a medida do governador. "Entendemos que foi uma ação positiva do Estado. Só espero que o pessoal tenha educação financeira, para não sentir falta deste recurso no final do ano". 

Representante dos professores, a presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de MS), Deumeires Morais, ressaltou que esta antecipação da metade do 13° não traz prejuízos a categoria. “Alguns servidores preferem receber no final do ano, mas não vemos nenhum prejuízo nesta decisão, além disto temos nosso reajuste em outubro”, completou.

Demanda atendida

O governador Reinaldo Azambuja explicou que resolveu antecipar metade do 13° salário em junho, pelo segundo ano consecutivo, para atender a demanda dos servidores estaduais e também contribuir com a economia local.

“Recebi várias reivindicações dos sindicatos e nós tomamos a decisão de pagar na primeira semana de julho metade do 13° salário a todos os servidores do Mato Grosso do Sul. Isto mostra a capacidade do Estado de arcar com seus compromissos”, descreveu.

Serão beneficiados com esta antecipação mais de 83 mil servidores, entre ativos, inativos e pensionistas. Com o adiantamento, o Governo de Mato Grosso do Sul injeta mais de R$ 700 milhões na economia somente em julho. São R$ 208 milhões a mais por conta da antecipação, além de cerca de R$ 500 milhões referentes ao pagamento de junho.


Voltar


Comente sobre essa publicação...