Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Mato Grosso do Sul

Compromisso de Eduardo Riedel e Reinaldo viabilizou avanço da Rota Bioceânica

Projeto transformará MS em um dos maiores polos econômicos da América do Sul, afirma o pré-candidato ao Governo do Estado

Postado em 21 de Junho de 2022 - Redação Semana On

Foto: Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Passo fundamental para integrar economicamente Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, e encurtar o caminho percorrido rumo ao mercado asiático, a rota bioceânica tem tido lugar de destaque nas estratégias do Governo do Estado. A ação direta do Governador Reinaldo Azambuja e do pré-candidato ao Governo do Estado, Eduardo Riedel, na construção de um ambiente favorável ao desenvolvimento do projeto foi fundamental para seus avanços nos últimos anos.

Em suas passagens pelas secretarias estaduais de Governo e de Infraestrutura, Riedel atuou fortemente no avanço do projeto e na viabilização de ações e acordos que impulsionaram a infraestrutura necessária para sua implementação.

“A obra transformará Mato Grosso do Sul em um grande ponto central de coleta, separação e distribuição de produtos para toda a América do Sul – um ‘hub’ logístico que encurtará a distância do Centro-Oeste do Brasil até o mercado asiático, o principal consumidor de commodities do mundo. O Centro-Oeste exporta 68% de sua produção aos países asiáticos e a rota vai encurtar distâncias e reduzir o custo do frete em até 35%”, explica Eduardo Riedel.

Para se ter uma ideia do potencial, apenas a Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) – bloco econômico integrado por Brunei, Camboja, Singapura, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Tailândia e Vietnã-  representa um mercado superior a 700 milhões de habitantes – de três a quatro vezes a quantidade de habitantes do Brasil, daí a necessidade de aquisição de alimentos, em especial proteína animal como frango, suíno e piscicultura.

A implantação da Rota Bioceânica traz inúmeras perspectivas de desenvolvimento para os Estados e municípios que fazem parte da travessia. Mato Grosso do Sul desponta nesse cenário promissor de novos negócios, emprego e renda. Na avaliação de Riedel, investimentos como este são estratégicos e de efetivo resultado. "A modernização em todo o Estado passa por um ponto muito importante, que é a Rota Bioceânica. Não só Porto Murtinho, mas diversos outros municípios e, por que não dizer, todo o Estado, se transformará em importante polo de exportação dos nossos produtos, das nossas commodities, potencializando nosso setor produtivo em um ciclo positivo de geração de renda e empregos”, destaca.

“A Rota Bioceânica não é apenas um corredor para escoar a produção, mas um importante meio para o desenvolvimento das regiões por onde ela passa. Isso hoje está bastante claro para os quatro países que integram o projeto”, acrescentou o pré-candidato.

FOCO EM INFRAESTRUTURA

Para que a Rota Bioceânica cumpra seu objetivo de escoar a produção para o mercado asiático com competitividade e menor tempo, é necessária uma forte estrutura logística entre os quatro países por onde a rota vai passar. “Diversas obras de infraestrutura estão sendo realizadas, e nos próximos anos vamos otimizar ainda mais este processo de desenvolvimento”, assegurou Eduardo Riedel.

Principal nó da Rota em Mato Grosso do Sul, Porto Murtinho recebeu mais de R$ 86 milhões em investimentos nos últimos sete anos. Foram ações de pavimentação, infraestrutura e melhorias em diversas áreas que estão preparando o município para ser a porta de entrada da Rota. O Governo de Mato Grosso do Sul investiu em pavimentação dos trechos de ligação da BR-267 aos portos de Porto Murtinho, tirando o tráfego pesado da área central, e também nas rotatórias no acesso à cidade. No ano passado, o govenador Reinaldo Azambuja entregou o Contorno Rodoviário, de 7,19 km, que tira o tráfego pesado da área central, ligando a rodovia BR-267 diretamente com os portos, que passaram a operar com incentivos fiscais.

Os eixos de produção que escoarão sua produção pela Rota Bioceãnica também estão sendo alvos de investimentos. As obras de infraestrutura viária, englobando as MS 382, 166 e 270, beneficiam as fronteiras agrícolas em expansão em Maracaju, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Antônio João, Ponta Porã e Caracol.

Também avança a passos largos o projeto da ponte sobre o Rio Paraguai. Eduardo Riedel explicou que o Estado fez sua parte na concretização deste projeto, e que além da integração comercial, a ponte trará a integração de pessoas. “A ponte tem um simbolismo muito forte ao garantir esse corredor ao Pacífico, que dará maior competitividade a Mato Grosso do Sul e a toda região Centro-Oeste, integrando definitivamente Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, não só economicamente, mas também na cultura e no turismo”, disse o pré-candidato.

E vem mais por aí. Com a Rota Bioceânica a todo vapor, Porto Murtinho deverá ganhar mais dois novos portos, com investimentos que superam R$ 400 milhões. O projeto mais adiantado é da Docas Fluvial de Murtinho, que já está autorizado na Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários). O outro que está sendo viabilizado é o de Porto Saladero. Além desse projeto, outros grupos estudam empreendimentos, e já adquiriram áreas próximas ao terminal do Governo.

“É um novo tempo para todo o Estado. E isso foi fruto de muito trabalho do Governo do Estado. Fizemos, estamos fazendo e continuaremos comprometidos com este projeto, que alçará Mato Grosso do Sul como um dos principais polos de negócio da América do Sul”, concluiu Riedel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...