Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Campo Grande

Campo Grande tem vacinas contra Covid-19 e Influenza em diversas unidades de saúde

Mato Grosso do Sul registrou 4.090 novos casos de Covid e 28 óbitos

Postado em 17 de Junho de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Todas as unidades de saúde da Capital estão com a vacina que protege contra três vírus da gripe disponíveis nesta sexta-feira (17) durante o dia todo. Há também mais de 45 locais abertos com o imunizante que protege contra a Covid-19 funcionando no mesmo horário. 

Em Campo Grande, a vacina que imuniza contra o novo coronavírus está disponível para toda a população a partir dos cinco anos de idade que ainda não tomou nenhuma dose do imunizante e para quem já cumpriu o prazo estipulado pelo fabricante para receber a segunda dose. 

Quem tem 12 anos ou mais e concluiu o esquema vacinal primário há pelo menos quatro meses pode receber o primeiro reforço da vacina, assim como quem tem 18 anos ou mais e possui imunocomprometimento grave e recebeu a segunda dose há 28 dias. 

Todos que se enquadram nos públicos de pessoas com imunocomprometimento com 18 anos ou mais, pessoas com 50 anos ou mais e trabalhadores da saúde que tomaram a terceira dose há quatro meses podem receber um segundo reforço, a quarta dose. A única exceção é o imunizante da Janssen, que segundo recomendação do Ministério da Saúde, deve ser aplicado em dose única e com apenas um reforço. 

Vacinação contra a Influenza 

A vacinação contra a influenza foi prorrogada até o dia 24 de junho e pode ser aplicada em gestantes, puérperas até 45 dias pós parto, População indígena, pessoas com comorbidades e as que tenham deficiências permanentes, caminhoneiros, trabalhadores do transporte rodoviário de passageiros, trabalhadores portuários, Forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema penitenciário, população privada de liberdade e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas. 

Outros grupos que comumente atingem a marca de 90% de cobertura, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde, são os trabalhadores da saúde, onde 49,34% do grupo foi vacinado, idosos, com 44,51%, e crianças entre seis meses e menores de cinco anos, com 25,33% de cobertura. Até o momento, me nos de cem mil doses foram aplicadas em todo o público alvo. 

Desde o início do ano, Campo Grande registrou 37 óbitos por H3N2, a maioria ocorridos no mês de janeiro, após um surto atípico do vírus no entre o final de 2021 e o início deste ano. A vacina disponível no SUS protege contra três dos principais vírus circulantes, o H1N1, H2N3 e Influenza B. 

Novos casos de Covid

Apesar do aumento do número de casos confirmados, as internações e óbitos por Covid mantêm números baixos em Mato Grosso do Sul, conforme Boletim Epidemiológico semanal divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde no último dia 14.

O boletim apresenta 4.090 casos novos de Covid na última semana. Destes, o município com maior incidência é Campo Grande, com 1.260, seguido por Dourados (259), Três Lagoas (247), Ponta Porã (242), Coxim (148) e Eldorado (142).

Dos 28 óbitos novos presentes no boletim, apenas três ocorreram nesta semana epidemiológica. Dos casos ativos, 36 são pessoas hospitalizadas. 23 estão em leitos clínicos e 13 em leitos de UTI.

A taxa de ocupação de leitos UTI/SUS adulto por macrorregião de internação é de 62% em Campo Grande, 57% em Dourados, 65% em Corumbá e 40% em Três Lagoas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...