Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Campo Grande

Na Semana do Meio ambiente, Prefeitura destaca Plano de Gestão Ambiental e Social do Reviva

Plano de Implementação considera três vertentes de atuação: educação ambiental e cidadania; educação patrimonial; e educação para o trânsito

Postado em 07 de Junho de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Para quem pensa que o Programa Reviva Campo Grande se resume a obras, nada disso. Além das intervenções nas ruas e avenidas da área central da cidade, a Prefeitura por meio do Reviva trabalha com várias vertentes de desenvolvimento, como habitação, mobilidade urbana, patrimônio histórico e educação ambiental.

Guiada pelo Programa de Educação Ambiental elaborado pela Unidade Gestora do Programa (UGP), uma equipe multidisciplinar de técnicos da Prefeitura de Campo Grande desenvolve ações específicas para as obras de requalificação do microcentro. São representantes da Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (PLANURB), Secretaria Municipal de Educação (SEMED), Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (SECTUR), Agência Municipal de Transporte e Trânsito (AGETRAN), Unidade Gestora do Programa (UGP) e a Solurb CG – Soluções Ambientais, representando a sociedade civil.

Este Plano de Implementação considera três vertentes de atuação: educação ambiental e cidadania; educação patrimonial; e educação para o trânsito.

Até agora já foram feitas mais de 100 ações entre elas palestras sobre os aspectos ambientais da requalificação direcionadas aos conselhos regionais; confecção de material explicativo sobre resíduos sólidos; intervenções culturais, tendo como público alvo crianças, jovens, adolescentes, idosos, comerciantes e população em geral, promovendo a conscientização sobre a importância da educação ambiental; e passeios de city tour com estudantes, destacando aspectos da requalificação, bem como informações históricas e turísticas da cidade. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo trabalhou intervenções culturais com grupos como Quinteto de Jazz e animadores.

“O propósito do grupo multidisciplinar é justamente trabalhar com a comunidade temas importantes para o desenvolvimento do centro, como a preservação do patrimônio público, a conscientização ambiental, o respeito ao trânsito, a coleta seletiva que estamos implantando com as novas lixeiras. Tudo isso faz parte da construção de uma mentalidade focada na educação, no respeito ao próximo e à cidade”, destaca a coordenadora do Grupo de Trabalho, Rosane Nunes.

A Secretaria Municipal de Educação desenvolveu um Caderno Temático do Reviva Campo Grande, que será ofertado como material didático complementar para as escolas, suscitando a reflexão de professores e alunos a partir das transformações urbanas influenciadas pelo Programa.

A Agetran levou para as ruas a ação educativa “Trânsito e Saúde: com segurança vem e vai bem!”, tendo como foco a circulação dos motoristas com a velocidade reduzida de 30 km/h no centro de Campo Grande, destacando a Rua 14 de Julho como a primeira rua de trânsito calmo da capital, determinação que será seguida na requalificação da área central.

Arborização

Com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância e necessidade de cuidado com as árvores, uma das ações da Planurb foi a distribuição de uma cartilha com o tema Arborização Urbana, com enfoque nos seus benefícios, recomendações de espécies para plantio conforme guia de arborização urbana de Campo Grande.

A requalificação do microcentro prevê o plantio de mais de 1000 mudas na região central, sendo que todas seguirão um padrão de porte e estágio de desenvolvimento previsto em projeto, que extrapola o mínimo recomendado no guia de arborização urbana da cidade para que os benefícios, como sombra e conforto térmico, sejam colhidos mais rapidamente.

Dentre as espécies escolhidas para embelezar o microcentro estão: quaresmeira, guanandi, ipê-amarelo-cascudo, aldrago, pau-ferro, canafístula, ipê amarelo, jacarandá mimoso, ipê roxo, aroeira, araça, ipê branco e pau-brasil.

A arborização da área urbana está prevista em lei desde 2011 no Plano Diretor de Arborização Urbana de Campo Grande, que determina aos proprietários dos lotes o plantio de árvores na frente do estabelecimento, sob pena de multa para quem desrespeitar. Aproveitando a revitalização pela qual a região passa, a Prefeitura Municipal decidiu garantir o cumprimento da lei de arborização sem quaisquer ônus para os comerciantes.


Voltar


Comente sobre essa publicação...