Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Poder

Lula registra 45% e Bolsonaro fica com 34% em nova rodada de pesquisa XP/Ipespe

Ex-presidente chegou a 53% dos votos válidos na média das pesquisas e vence no primeiro turno

Postado em 03 de Junho de 2022 - Júlia Schiaffarino (Congresso em Foco), Plinio Teodoro e Julinho Bittencourt (Fórum), Leonardo Sakamoto e Josias de Souza (UOL) – Edição Semana On

Divulgação Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O pré-candidato ao Palácio do Planalto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 45% das intenções de voto para a disputa eleitoral deste ano, frente aos 34% registrados pelo atual presidente e pré-candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). Os dados são da nova rodada da pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (3). As pontuações são mesmas verificadas na pesquisa anterior do instituto, publicada em 27 de maio, apontando para uma estabilidade de cenário.

A pesquisa XP/Ipespe ouviu 1 mil pessoas entre os dias 30 de maio e 1 de junho. As entrevistas foram realizadas por telefone e a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em terceiro lugar o levantamento aponta para o pré-candidato Ciro Gomes (PDT), que atinge os 9%. Ciro teve crescimento de um ponto em comparação à sondagem XP/Ipespe de maio. Já a senadora Simone Tebet (MDB) segue com 3%.

André Janones (Avante), Vera Lúcia (PSTU) e Pablo Marçal (Pros) têm 1% das intenções de voto. Os demais pré-candidatos não pontuaram.

Brancos e nulos somam 5%, enquanto o percentual de indecisos é de 2%.

Clique aqui para ler a pesquisa na íntegra.

Lula mantém vantagem em segundo turno 

A pesquisa XP/Ipespe também apresentou simulações de segundo turno com diferentes combinações. Em cenários estimulados, a vantagem permanece igualmente com ex-presidente Lula.

Confira:

Cenário 1

Lula – 53%

Bolsonaro – 35%

Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 12%

Cenário 2

Lula – 54%

Ciro Gomes – 26%

Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 20%

Cenário 3

Lula – 56%

Tebet – 20%

Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 24%

Cenário 4

Ciro Gomes – 45%

Bolsonaro – 40%

Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 15%

Cenário 5

Bolsonaro – 41%

Tebet – 37%

Branco/Nulo/Não votaria/Indecisos – 22%

Eleitor vê Lula 'preocupado com as pessoas' e Bolsonaro com 'pulso firme'

"Experiência" e "preocupação com as pessoas" são as duas principais características positivas de Lula, de acordo com pesquisa Ipespe. Já a de Bolsonaro é "pulso firme".

O instituto perguntou quais candidatos teriam as características de honestidade, preocupação com as pessoas, competência, inteligência, equilíbrio, pulso firme, ideias novas e modernas e experiência.

Lula fica à frente dos outros concorrentes em todas, exceto em "pulso firme", em que Jair aparece com 36%. Mesmo assim, o petista aparece tecnicamente empatado com ele, com 33%. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos.

Da mesma forma, Lula (35%) e Bolsonaro (30%) estão tecnicamente empatados no item "honestidade". Essa é a característica considerada muito importante por 81% dos eleitores. O terceiro colocado, Ciro Gomes (PDT), surge com 11% nesse item.

Lula foi preso em meio à operação Lava Jato, mas teve sua condenação anulada posteriormente pelo STF por desvios no processo. Bolsonaro é acusado de desviar recursos públicos dos gabinetes de sua família e seu governo está envolvido em escândalos na educação e saúde.

O ex-presidente tem seus melhores resultados em "experiência", com 46% a 29% frente a Bolsonaro, e "preocupação com as pessoas", no qual o petista atinge seu segundo melhor resultado, com 45%, enquanto o candidato do PL amarga o seu segundo pior, com 24%.

Pesquisa sobre o comportamento do eleitor de Lula e de Bolsonaro, conduzida pela professora Esther Solano, da Universidade Federal de São Paulo, identificou, entre os entrevistados, a força da memória de Lula como um governante que "cuidava de gente", enquanto o atual é visto como alguém que não se preocupa com as pessoas. Tanto que, nesse item, o ex-presidente abre 21 pontos de vantagem ao seu principal adversário.

A preocupação com as pessoas é avaliada como muito importante por 77% do eleitorado.

Em "competência", Lula é apontado por 43% como o candidato que mais tem essa característica, enquanto Bolsonaro é escolhido por 31%.

Ambos têm seus piores resultados em "ideias novas e modernas", com Lula marcando 30% e Bolsonaro, 20%, empatando tecnicamente com o ex-governador Ciro Gomes (PDT), que aparece com 18%.

A senadora Simone Tebet (MDB) tem seu melhor resultado em "equilíbrio", com 10%, empatada tecnicamente com Ciro, que tem 11%. Lula surge com 40% e Bolsonaro, 25%, nesse item.

Lula chega a 53% dos votos válidos na média das pesquisas e vence no primeiro turno

Nova compilação de dados das pesquisas eleitorais feita pelo sociólogo Marcos Coimbra, do Vox Populi, mostra que Lula (PT) segue crescendo na média das pesquisas e chegou a 53% dos votos válidos nos levantamentos presenciais até o final de maio. O percentual mostra um aumento de 2 pontos em relação à média de abril.

Em contrapartida, Jair Bolsonaro (PL) caiu dois pontos e está com 31% dos votos válidos. Ciro Gomes (PDT) ganhou um ponto e está com 8%, mesmo percentual da soma dos demais candidatos, que oscilou um ponto para baixo.

Nos votos totais - com 10% de brancos, nulos e indecisos -, Lula cresceu 3 pontos e chegou a 47%. Bolsonaro manteve os 28%, Ciro foi de 6% para 7% e a soma dos demais candidatos de 8% para 7%.

Na média das pesquisas remotas, feitas pelo telefone, Lula tem 47% dos votos válidos - um ponto a mais do que em abril - e Bolsonaro mantém os 37%. Ciro e os demais candidatos oscilaram de 9% para 8%.

Nos votos totais nessa modalidade de pesquisa, Lula manteve os 42% e Bolsonaro os 33% de abril. Ciro e os demais candidatos oscilaram de 8% para 7%. Brancos, nulos e indecisos subiram de 8% para 11%.

Nas simulações de segundo turno, Lula soma 61% dos votos válidos contra 39% de Bolsonaro na média das pesquisas presenciais.

Nos votos totais, Lula tem 54% contra 34% do atual presidente, com 11% de brancos e nulos.

Nas pesquisas por telefone, o petista marca 58% dos votos válidos contra 42% de Bolsonaro. No total, Lula tem 51% contra 37% do atual presidente, com 12% de brancos e nulos. 

Leia a pesquisa na íntegra.

Lula vence no primeiro turno em pesquisa BTG, banco fundado por Paulo Guedes

Pesquisa FSB/BTG para presidente publicada no último dia 30, confirma a disparada do ex-presidente Lula apontada no Datafolha. De acordo com o levantamento, realizado de 27 a 29 de maio, Lula tem 46%, um crescimento de 5%, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece estagnado, com 32%.

Se forem considerados apenas os votos válidos, Lula tem 51% e, portanto, pode vencer já no primeiro turno. Ciro Gomes manteve 9% e Simone Tebet pontuou 2%, um crescimento de 1%, e André Janones (Avante) teve 1%. Os demais candidatos não pontuaram.

Governo Bolsonaro está tonto e desesperado

O Datafolha deixou o governo Bolsonaro tonto. Em público, Bolsonaro diz que não pode fazer nada contra a fome de lucro da "Petrobras Futebol Clube". Entretanto, a movimentação dos bastidores revela que nada tornou-se para o presidente e os sócios de sua ruína uma palavra que ultrapassa tudo.

Na guerra para baixar a inflação dos combustíveis, o governo cogita agora editar um decreto de calamidade nos moldes do que foi implementado para combater a pandemia da Covid-19. Isso daria a Bolsonaro licença subsidiar os combustíveis e torrar verbas públicas como se o seu governo não devesse nada a ninguém. Muito menos explicações.

Alega-se que a guerra na Ucrânia e o risco de desabastecimento de óleo diesel no Brasil justificariam a excepcionalidade. Na prática, o governo usa sua própria inépcia como justificativa para colocar os cofres do Tesouro Nacional a serviço do populismo presidencial a apenas quatro meses da eleição. A manobra pode ser resumida numa palavra: desespero.

O governo ficou zonzo ao identificar nas dobras da pesquisa do Datafolha que aumentou o fosso que separa a pretensão de Bolsonaro de se reeleger e a vontade de mudança que toma conta do pedaço mais pobre do eleitorado. Ironicamente, a angústia bate no Planalto num instante em que o governo dispõe de novidades para comemorar.

O índice de desemprego despiorou, caindo de 11,1% para 10,5%. O PIB cresceu 1% no primeiro trimestre do ano. Não chega a ser um crescimento portentoso. Mas não é desprezível. O problema é que o governo sabe que esses indicadores estão no retrovisor. A previsão que surge no para-brisas é de uma deterioração econômica no segundo semestre, às vésperas da eleição.

Diz-se que Paulo Guedes resiste à decretação da calamidade. Mas a resistência do ministro da Economia vale pouco. Desde que o centrão invadiu o orçamento e sequestrou a pauta do governo, Guedes está preso à responsabilidade fiscal por grilhões de barbante.

Segundo o Datafolha, Lula abriu dianteira de 21 pontos sobre Bolsonaro. Se a eleição fosse agora, prevaleceria no primeiro turno. Em condições normais, o desnorteio de um presidente como Bolsonaro seria preocupante. Considerando-se que faltam quatro meses para a eleição presidencial e mais dois meses para o término do mandato, Bolsonaro dispõe de seis meses para exercitar seu desespero. Isso e um perigo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...