Semana On

Quinta-Feira 30.jun.2022

Ano X - Nº 493

Mato Grosso do Sul

‘Além de gerar riquezas, Ferroeste vai atrair investidores ligados à questão socioambiental’, afirma Eduardo Riedel

Projeto foi reconhecido como ação sustentável pela Coroa Britânica

Postado em 25 de Maio de 2022 - Redação Semana On

Foto: Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Resultado da parceria entre os governos de Mato Grosso do Sul e Paraná, a Nova Ferroeste vai garantir uma economia de R$ 700 milhões e reduzir a previsão da malha (ferroviária) de 1.370 km para 1.285 km, tornando o projeto mais viável e moderno para concessão e investimentos da iniciativa privada. Mas, não é só isso, diz Eduardo Riedel, pré-candidato ao Governo do Estado, e um dos artífices da viabilização do projeto em MS: “Além do fator econômico, importantíssimo, o projeto tem grande pegada socioambiental, o que também opera com um grande valor agregado para o nosso Estado”, afirma.

Riedel se refere ao interesse manifestado por um dos principais grupos ligados ao desenvolvimento com bases socioambientais do mundo. A página Sustainable Markets Initiative (Iniciativa de Mercados Sustentáveis), do Reino Unido, publicou um texto sobre o projeto, e aponta a ligação ferroviária Paraná-Mato Grosso do Sul como uma solução capaz de diminuir substancialmente a emissão de gases do efeito estufa e promover o crescimento econômico das regiões Sul e Centro-Oeste do Brasil.

Segundo o pré-candidato, a nova ferrovia vai gerar empregos, aumentar a atividade produtiva do Estado e posicionar o Estado de forma mais forte na questão da sustentabilidade. “Vai trazer redução de custo para toda região, sendo um eixo logístico importante para o Estado, que vai movimentar a economia local e o setor produtivo”.

A Iniciativa de Mercados Sustentáveis foi criada por Charles Philip Arthur George, o príncipe Charles, e apresentada no Fórum Econômico Mundial de Davos em 2020. Ela pretende apresentar ao mercado privado soluções sustentáveis para a transição para um futuro mais saudável.

Segundo o texto, considerando que as ferrovias são o meio mais inteligente e eficiente para transportar cargas, conforme apontamento do Banco Mundial, e a necessidade de escoamento de um dos maiores produtores de commodities do mundo, a Nova Ferroeste "surge como uma solução sustentável".

O site também destaca que há uma carência de infraestrutura para escoar essa produção, sobrecarregando o modal rodoviário, com caminhões movidos a óleo diesel. Com o projeto, haverá redução substancial de acidentes, custos de transporte e desigualdade social. O documento também aponta que o Porto de Paranaguá pode saltar das atuais 45 milhões de toneladas/ano para 100 milhões em 2030.

“Este reconhecimento é muito importante, pois abre as portas para a possibilidade de financiamento internacional, já que iniciativas sustentáveis têm tido um destaque especial em todo o mundo. Vamos ficar atentos nos próximos anos a esta possibilidade de aliar crescimento econômico a preservação do meio ambiente”, analisou Eduardo Riedel.

Ele tem razão: a publicação internacional conta com 482 apoiadores, entre eles presidentes de grandes organizações públicas e privadas. "São gestores que aliam seus investimentos a iniciativas ligadas ao meio ambiente e a preservação”, concluiu.


Voltar


Comente sobre essa publicação...