Semana On

Sexta-Feira 20.mai.2022

Ano X - Nº 487

Mato Grosso do Sul

Com o Decola MS, Corumbá retoma voo da Azul para Campo Grande

Iluminação noturna no aeródromo Santa Maria é divisor de águas para a aviação de Mato Grosso do Sul

Postado em 06 de Maio de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa do Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A política do Governo do Estado de incentivo a ampliação da malha aérea para Campo Grande e destinos turísticos, por meio do Programa Decola MS, garantiu mais uma importante conexão interna: a partir deste sábado (7), a Azul Linhas Aéreas começa a operar com um voo semanal entre a Capital e Corumbá.

“A nossa política pública de atração de novos voos, facilitando e melhorando o acesso de turistas a Mato Grosso do Sul, mais uma vez foi decisiva para conquistar esta nova frequência, que vai contribuir para o a emissão de mais turistas aos nossos destinos”, destaca Bruno Wendling, diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS (Fundtur).

O Programa Decola MS foi criado em 2017 pelo governador Reinaldo Azambuja e garante a redução da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o combustível da aviação, facilitando a abertura de novos voos comerciais no Estado e a redução das passagens aéreas.

O retorno do voo da Azul entre Campo Grande e Corumbá foi possível, também, com a articulação da prefeitura e do trade turístico da Capital do Pantanal, após longo período de ajustes e negociações com a empresa aérea. Com iniciativa do vereador Alexandre Vasconcellos, a cidade pleiteia a conexão com Cuiabá, a partir de Campo Grande, em voo noturno.

Para o prefeito corumbaense Marcelo Iunes, a opção fomentará ainda mais o turismo na região, além de ser mais uma alternativa de locomoção para os munícipes. “Desde o começo da nossa primeira gestão estamos discutindo a retomada desse voo, por meio da Fundação de Turismo. É, sem dúvida, mais uma importante opção para a população e principalmente para o trade turístico”, afirma.

Mais voos

O destino pantaneiro trabalha para ampliar o número de voos com Campo Grande. Inicialmente, a Azul vai operar aos sábados, com a aeronave decolando da Capital às 14h50 e pousa no Aeroporto Internacional de Corumbá às 15h45. Em seguida, às 16h35, retorna para Campo Grande, com chegada prevista para às 17h30.

A diretora-presidente da Fundação de Turismo de Corumbá, Elisângela Sienna da Costa Oliva, lembra que o voo oferece a possibilidade de aumentar a quantidade de visitantes que buscam o Pantanal corumbaense. “Só para este ano, a expectativa é de pelo menos 25 mil pessoas venham para a região atraídas pela pesca esportiva”, disse ela.

Elisângela lembrou ainda que a Azul confirmou a retomada do trecho com Campo Grande em fevereiro deste ano, após reunião online entre o prefeito Marcelo Iunes, o assessor especial da presidência da Azul, Ronaldo Veras, o gerente regional da Azul, Lucas Frade, e a gerente de planejamento da empresa, Paula da Silva Levy.

Iluminação noturna no aeródromo Santa Maria é divisor de águas

Campo Grande conta, desde a noite do último dia 5, com dois locais para pousos e decolagens no período noturno. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), entregou a iluminação noturna do aeródromo Santa Maria, localizado na saída para Três Lagoas.

Em atividade no aeródromo há 13 anos, o piloto Alderi Dal Lago, o Alemão, conta que a iluminação na pista do local coloca fim a uma luta de dez anos.  “Fazem dez anos que a gente vem pedindo, lutando. O governador Reinaldo Azambuja prometeu que faria a iluminação e está cumprindo hoje. É um avanço para o Estado e para a aviação muito grande”, disse.

Alderi é proprietário de cinco hangares no aeródromo e atende voos comerciais e particulares. O empresário conta que a demanda aumentou tanto que “falta hangar” para o movimento que deve vir com a operação noturna. “O futuro da aviação regional é aqui no Santa Maria”, completa.

Com mais de 30 anos de experiência na aviação, o coronel Adalberto Ortale Júnior, piloto da Coordenadoria de Transporte Aéreo da Casa Militar, considera fundamental ter mais de uma opção de pista balizada em uma cidade como Campo Grande, que até então tinha apenas o Aeroporto Internacional. Com estrutura de escola de aviação, a Casa Militar, entre outras atividades, também oferece treinamento para a formação de novos pilotos, inclusive oriundos de outros estados como São Paulo, Mato Grosso e Paraná.

“Parte do treinamento do piloto é executado no período noturno para que ele aprenda as técnicas de pouso e decolagem a noite e se ambiente com a falta de luz natural. Essa parte do treinamento era feito no aeroporto internacional, porém, lá, a Força Aérea Brasileira também treina a noite, o que cria uma certa complexidade para conciliar nosso treinamento com o deles. Agora, com o balizamento da pista do Santa Maria, graças ao empenho do nosso governo, temos a possibilidade de treinar aqui noSanta Maria, não mais se deslocando com a aeronave e todo o efetivo para o internacional”, afirmou o coronel.

Divisor de águas

Para o superintendente Viário da Seinfra, Derick Machado, responsável pelas operações dos aeroportos do Estado, a entrega dos equipamentos é um “divisor de águas” na aviação do Estado. “O Governo do Estado sempre teve essa preocupação com o investimento em diversos modais de transporte e a prova disso é que os aeroportos não ficaram de fora. Hoje o Santa Maria é um aeródromo estratégico para a região”, disse.

O balizamento do Santa Maria, segundo Dérick, vai garantir maior segurança para as operações aéreas em Campo Grande. “A Capital do Estado só tinha um aeroporto com balizamento. Então, em uma condição de emergência, a aeronave trafegando no período noturno teria que alternar e a cidade mais próxima seria Dourados, Bonito, Coxim ou Corumbá. Então, o Santa Maria, com certeza, vem para trazer uma maior segurança para as operações aéreas porque numa condição de emergência ele pode ser usado também”, disse.

Investimento

Além dos novos equipamentos, o Governo do Estado também investiu no preparo da equipe para operar a nova estrutura do Santa Maria. O secretário de Estado de Infraestrutura, Renato Marcílio, considera os investimentos como de “alta significância”. “Esse aeroporto acaba já tendo mais movimentação que o aeroporto internacional, tendo restrição de voo. Agora, com essa iluminação, vai poder operar 24h, o que deve aumentar muito o movimento. A aviação é fundamental para o desenvolvimento. Esse é o primeiro passo aqui no Estado e o Governo vai investir mais em aeroportos”, garantiu.

Para a instalação dos equipamentos foram investidos aproximadamente R$ 2,5 milhões. Além da iluminação, a equipe técnica da Superintendência Viária fez os projetos necessários e apresentaram para a Agência Nacional de Aviação (Anac) e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), aos quais foram aprovados e homologados para reconhecimento das novas características da pista, que antes tinham as dimensões de 1.100 x 23 metros, passando após os projetos para 1.500 x 30 metros.


Voltar


Comente sobre essa publicação...