Semana On

Segunda-Feira 16.mai.2022

Ano X - Nº 487

Brasil

Polícia Civil de SP abre inquérito e investigará ameaças de morte contra Lula

Ameaças foram feitas por mensagem postadas no site do PT. Delegado aponta para tentativa de criminalização da esquerda

Postado em 14 de Abril de 2022 - Felipe Mascari - RBA

Reprodução Reprodução

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O delegado divisionário da Delegacia de Crimes Eletrônicos do Deic, Laércio Ceneviva Filho, determinou a instauração de inquérito policial para apurar ameaças de morte ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O inquérito vai ser aberto após uma petição do advogado Cristiano Zanin.

Uma pessoa que se identifica como Luiz Carlos Prestes enviou ao site do PT as mensagens que provocaram a investigação. À GloboNews, o delegado indicou se tratar de uma tentativa de incriminar a própria esquerda.

Nas mensagens, de 24 de março, 5 e 7 de abril, o autor diz ainda que vão ser as pessoas do próprio partido que irão matar Lula. E que a morte vai acontecer no estado de São Paulo (“talvez no interior”) e ainda neste ano. O petista é pré-candidato à Presidência da República e lidera os cenários da disputa ao cargo, segundo todas as pesquisas eleitorais.

Ataques em outdoor

Além reagir às ameaças de morte, o PT também ingressou com três representações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O partido denunciou outdoors que veiculam “propagandas difamatórias” contra o ex-presidente Lula. A legenda afirma que o ato configura “propaganda eleitoral extemporânea e por meio vedado”.

Uma das representações trata de três outdoors em Divinópolis-MG, que, segundo o PT, exibem imagens de Lula com a frase: “Nós aqui odiamos este ladrão comunista. Fora maldito”. Outra questiona uma placa em Rondonópolis (MT), com a mensagem: “Rondonópolis – MT: Aqui esse bandido é reconhecido com ‘O Traidor da Pátria’ Fora… Maldito”. Um “movimento conservador” assume o patrocínio à instalação do outdoor.

A terceira reclamação denuncia o patrocínio de outdoors em Imperatriz (MA). O PT reivindica a remoção dessas propagandas pelos seus responsáveis e dos posts na internet que dão visibilidade aos outdoors. A sigla também apresentou notícia-crime com pedido de instalação de inquérito policial, na Polícia Civil de Mato Grosso, para apurar a veiculação de outdoors em Rondonópolis e a prática dos crimes de injúria, difamação, ameaça e associação criminosa.

Alckmin também na mira

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, fez críticas duras ao seu ex-colega de partido Geraldo Alckmim, que será vice na chapa de Lula. De acordo com o blog da jornalista Bela Megale, de O Globo, durante um jantar no último dia 11, em São Paulo, com cerca de 20 empresários do Grupo Esfera, Araújo afirmou que Alckmin terá uma participação “absolutamente irrelevante” na campanha de Lula.

Ele também chegou a dizer que o virtual pré-candidato a vice na chapa de Lula correrá “risco de vida” se andar pelo interior de São Paulo. “Na campanha, eu garanto, será absolutamente irrelevante a participação dele. No Nordeste ele não teve 1%, não vai fazer nada.  No interior de São Paulo, não pode andar, porque corre risco de vida”, disse o presidente tucano.

Em coluna no UOL, o jornalista Reinaldo Azevedo criticou a fala do tucano. E classificou o que pode ser entendido também como ameaça de morte como “incompatível com a democracia e a civilidade política”. “Como Araújo está obviamente criticando Alckmin, tratando-o como se tivesse feito algo impróprio, vê-se que considera o seu assassinato um desdobramento possível, quem sabe até lógico”, escreveu.


Voltar


Comente sobre essa publicação...