Semana On

Terça-Feira 17.mai.2022

Ano X - Nº 487

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul terá 3ª energia mais cara do Brasil

Energisa aplicará reajuste de 18,16% a partir deste sábado

Postado em 12 de Abril de 2022 - Redação Semana On

Marcello Casal Jr/Agência Brasil Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A partir deste sábado (16), a conta de energia elétrica em Mato Grosso do Sul estará 18,16% mais cara. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) homologou por unanimidade o reajuste. Com isso, MS passa a ter a 3ª tarifa mais cara do Brasil. Para o consumidor de alta tensão, como indústrias, o aumento é ainda maior, de 18,81, como mostra o voto do relator.

O Governo Federal anunciou na última semana o fim da bandeira Escassez Hídrica. Com isso, a bandeira tarifária verde passa a valer para todos os consumidores de energia a partir de 16 de abril, bem quando o aumento em MS começa a valer. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a expectativa é que a bandeira verde permaneça até o final do ano. Dessa forma, a conta de luz do cidadão brasileiro terá redução de cerca de 20% no próximo mês.

Isso vai fazer com que, na verdade, o consumidor de baixa tensão, que teve reajuste de 17,93%, tenha diminuição de 2,77% na conta de energia em Mato Grosso do Sul.

Quem mais vai sentir esse reajuste na conta de luz são as pessoas em vulnerabilidade social, já que elas, atualmente não pagam o índice de R$ 14,20. Esse valor é absorvido pelas demais classes. Ou seja, as unidades consumidoras que subsidiavam esse valor da conta de luz para os vulneráveis, vão somente passar a pagar pela alta anual. Entretanto, quem está em vulnerabilidade social não vai ter como se esquivar do reajuste de dois dígitos, sem nenhum subsídio.

O acumulado dos últimos cinco anos chega a 54%. Ao mesmo tempo, os reajustes no salário mínimo somam apenas 26% — menos da metade. 

Os números da Energisa mostram que a empresa goza de boa saúde financeira.Só ano passado, o lucro líquido total foi de R$ 3,1 bilhões. No último trimestre do ano passado, o lucro líquido foi de R$ 582,6 milhões — um acréscimo de 203,4%, comprovando que a energia é um bom negócio.

No começo do ano passado, em plena pandemia, a Energisa lucrou R$ 873,3 milhões só no primeiro trimestre — um crescimento de 50,1%. Já no segundo trimestre, esse mesmo lucro foi de R$ 749 milhões e no terceiro trimestre aumentou para R$ 863,9 milhões. As despesas operacionais da empresa estão cada vez menores, assim como a dívida líquida, enquanto a conta de luz aumenta.


Voltar


Comente sobre essa publicação...