Semana On

Quarta-Feira 18.mai.2022

Ano X - Nº 487

Campo Grande

Bioparque Pantanal oferece experiência única a indígenas e quilombolas

180 integrantes de cinco comunidades, entre eles alunos da Escola Estadual Zumbi dos Palmares, estiveram no local no último dia 6

Postado em 07 de Abril de 2022 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Histórica e emblemática: assim ficou marcada a visita de indígenas e quilombolas ao Bioparque Pantanal – Espaço de Experiência e Conhecimento. 180 integrantes de cinco comunidades, entre eles alunos da Escola Estadual Zumbi dos Palmares, estiveram no local no último dia 6.

Aluna do oitavo ano, Paola dos Anjos Martins, de 12 anos, gostou muito do passeio. “Está tudo muito lindo! O que mais gostei foi do túnel, onde a sensação que dá é de estar dentro do rio, com os peixes passando por cima”, disse.

Consciente, a também estudante do oitavo ano, Ana Carla Martins, de 15 anos, aproveitou o passeio para reforçar a importância de preservar o meio ambiente. “Foi muito legal o passeio, gostei de ver os peixes e os outros objetos que tem. Levo daqui alegria, muitas lembranças boas, principalmente a lição de preservar o meio ambiente”, disse.

Para o cacique e presidente da Associação de Moradores da Aldeia Água Bonita, Alder Romeiro Narreia, levar os jovens ao Bioparque Pantanal vai além de uma simples visita, é a oportunidade de apresentar a riqueza da fauna pantaneira. “Para os nossos jovens é muito interessante conhecer a variedade que temos de peixes. Nós que viemos da aldeia já conhecemos a maioria dos peixes, mas é muito importante que nossos jovens também conheçam e essa é a oportunidade. Aqui representa um pedacinho do pantanal. Essa geração nova que está vindo, mesmo não estando lá [Pantanal], já aprende a valorizar o que ele representa dentro no nosso meio ambiente”, afirmou.

O subsecretário de Políticas Públicas para a População Indígena, Fernando da Silva Souza, destaca que é extremamente importante oportunizar essa experiência aos mais jovens. “Extremamente importante, temos aqui muitos jovens tanto indígenas quanto quilombolas, que nunca tiveram a oportunidade de visitar o Pantanal e, trazê-los para cá foi um exercício muito importante pois eles estão vivenciando e admirando a beleza que existe em nosso estado, especialmente na região do Pantanal”, afirmou.

Já a subsecretaria de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, Ana José Alves, destaca que cada aluno da escola Zumbi dos Palmares vai transmitir a experiência adquirida no Bioparque aos pais e toda a comunidade. “Além do mais eles estão representando uma das 22 comunidades existentes no Estado. Isso para nós é de suma relevância, de trazer essa garotada que tem todo um outro olhar, da nossa realidade de Mato Grosso do Sul”, acrescentou.

O secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura, Eduardo Romero, destaca que o Bioparque cumpre o papel de “cidadania, identidade e culturas”. “Além de ser um espaço de visitação, com o circuito de aquários, também é um espaço também da educação ambiental, patrimonial, conhecimento científico. Temos 22 comunidades quilombolas em MS e mais de 93 comunidades indígenas, representando oito etnias, não conseguimos trazer todas, mas, simbolicamente, essas que estão no contexto urbano para que, primeiro, elas conheçam essa maravilha que é o Bioparque e, segundo, possam também dividir essa alegria de estar aqui e de conhecer o que é parte da sua própria história, da sua própria formação”, disse.

A diretora do Bioparque Pantanal, Maria Fernanda Balestieri, reforça a importância de abrir as portas do Bioparque para a população, principalmente indígena e quilombola. “É uma alegria receber a população em nosso complexo, oportunizar essa experiência que tenho certeza que ficará marcada na vida de cada um entrou aqui”, afirmou.

Integraram a visita alunos da Escola Estadual Zumbi dos Palmares, localizada na comunidade Furnas do Dionísio, e moradores das aldeias indígenas Paravá, Inámaty Kaxé, Água Bonita e Comunidade Tarsila do Amaral.


Voltar


Comente sobre essa publicação...