Semana On

Segunda-Feira 06.dez.2021

Ano X - Nº 470

Coluna

CPI da Enersul

Onde foram parar os R$ 700 milhões da energia?

Postado em 20 de Março de 2015 - Liziane Berrocal

Marquinhos Trad promete apertar o cerco contra a Enersul. Marquinhos Trad promete apertar o cerco contra a Enersul.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A CPI da Enersul promete! O deputado Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que está tudo pronto, a Câmara Municipal quer participar e a população agora merece saber quem foram os mais bonitos que receberam uma graninha extra e onde foram parar os R$ 700 milhões que podem ter sido desviados. Esperamos que prometa e cumpra, porque pelo valor da conta da luz, acho que estão cobrando até a luz do sol!

Tempos Ruins

O deputado federal Luiz Henrique Mandetta que no ano passado viveu bons dias em sua oposição a presidente Dilma, parece estar vivendo sei inferno astral com a decisão do Supremo Tribunal Federal de abrir investigação para apurar suposta fraude no GISA, sistema de gerenciamento de informações da saúde que foi extremamente duvidoso. No despacho, o ministro Luiz Fux diz que a “investigação instaurada para apurar fatos referidos na CPI da Saúde, traz o nome do deputado.

O filhinho de papai e a elite branca

Não, eu não vou falar do vídeo do Marcelo Heitor, porque já deu o que tinha que dar! Brincadeira... vou falar sim! Hahaha... Olha, sem querer concordar, mas foi hilário ver o dramalhão mexicano (combinou bem com o nome dele) feito pelo filhinho de papai depois de ver seus dados divulgados na rede. A criatura caiu no “mimimi” e no “chororô” com a repercussão do vídeo postado por ele. Então, tudo errado divulgar os dados do rapaz, mas papai passar a mão na cabeça ficou feio hein! E amigo, falar de elite branca num carrão daqueles? Tu é burro?

Coleiras fantasmas?

Gente, é muita criatividade! Em Três Lagoas, o vereador Beto Araújo (PSD) cobrou informações sobre o paradeiro das 850 coleiras para cães compradas pela Prefeitura, em 2014, que visam prevenir a Leishmaniose. O responsável pelo CCZ informou que foram distribuídas num bairro só e que o número correto é de 750 coleiras. Não satisfeito, Araújo quer os nomes e endereços dos proprietários que receberam as coleiras. Ao valor médio de R$ 85, tem que cobrar mesmo!

Por falar em coleiras...

Aqui em Campo Grande também tinha distribuição da coleira de proteção contra a Leishmaniose. No entanto, essa colunista aqui ficou sabendo que se forem investigar de forma mais profunda toda essa distribuição o assunto pode dar pano para manga!

Cultura onde?

Os artistas da cidade prometem participar do movimento. Mas, estou falando daqueles artistas da periferia, onde os culturetes não chegam e nem passam perto. Vamos acompanhar!

Desencontros

Querido Olarte, querido Azambuja (não o governador, mas o secretário municipal de segurança) e querida Beth Felix, será que vocês poderiam se entender em relação a questão de quem pode multar quem por aí? Melhor, poderiam começar ordenando o trânsito? E que tal também reforçar nos semáforos? Obrigado, de nada!


Voltar


Comente sobre essa publicação...