Semana On

Terça-Feira 17.mai.2022

Ano X - Nº 487

Coluna

Vida Longa ao ATL

2022 é um ano decisivo para o Brasil, para o futuro dos povos indígenas, para o futuro de todos brasileiros

Postado em 30 de Março de 2022 - Ricardo Moebus

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Começa no próximo dia 04 de abril a 18a edição do Acampamento Terra Livre ATL, o maior evento, encontro, acontecimento, manifestação indígena do Brasil, promovido pela APIB – Articulação dos Povos Indígenas do Brasil com várias outras organizações indígenas da maior representatividade.

O ATL já é um exemplo nacional de luta e resistência política, étnica, cultural, consagrado como o apelo anual dos povos indígenas, buscando sensibilizar a opinião pública, a sociedade brasileira, para a absoluta legitimidade e necessidade das reivindicações indígenas em defesa da vida, em defesa da sociobiodiversidade, e, nos últimos anos, em defesa também da constituição cidadã de 1988, em defesa da sociedade democrática de direito, em virtude dos ataques sistemáticos aos direitos constitucionais.

Mas este ano o ATL é ainda mais histórico e representativo, este é um ano decisivo para o Brasil, para o futuro dos povos indígenas, para o futuro de todos brasileiros, mas também decisivo para a salvaguarda da biodiversidade, para frear as mudanças climáticas, decisivo para o mundo inteiro, uma vez que será no processo eleitoral que a sociedade brasileira poderá dar um basta às politicas de destruição ambiental, de desmonte da saúde publica, desmonte da educação pública, desmonte das estruturas de proteção e garantias sociais, dar um basta à criminalização dos movimentos sociais, incluindo o movimento indígena.

Ao longo dos últimos anos o movimento indígena tem assumido uma posição de liderança no enfrentamento contínuo das necropolíticas de destruição ambiental e social, e neste ATL novamente, o movimento indígena brasileiro convoca toda a sociedade brasileira a criar este campo unificado pelo resgate de um país sequestrado, dilapidado, humilhado, navegando à deriva nas tempestades de crises sanitárias, ambientais, climáticas, econômicas, humanitárias.

O ATL 2022 é um ponto de inflexão na disputa pelas narrativas discursivas que se enfrentam neste ano de 2022, trazendo uma grande oportunidade para todos estrarmos em sintonia com a defesa da vida em sua multiplicidade, riqueza, criatividade.

A causa indígena é pela vida de todos os viventes, é pela vida de todos nós, é uma luta com a generosidade de quem constrói e pensa coletivamente, constrói e pensa sempre o comunitário, o comum, na lógica inversa ao que move os saqueadores de plantão.

É com o movimento indígena que se construirá uma outra via plurinacional, decolonial, coletiva e diversa.

Vida longa ao movimento indígena brasileiro, vida longa ao ATL.


Voltar


Comente sobre essa publicação...