Semana On

Terça-Feira 17.mai.2022

Ano X - Nº 487

Mato Grosso do Sul

Mesmo com nova regra, Mato Grosso do Sul mantém menor carga tributária do país para o diesel

A unificação do ICMS do combustível foi determinada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente

Postado em 25 de Março de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa do Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A decisão do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazenda) de unificar em nível nacional o valor a ser cobrado de ICMS sobre o óleo diesel S10 não deve alterar o preço do combustível no Estado, que mantém o congelamento da pauta fiscal desde abril do ano passado.

“O governador Reinaldo Azambuja determinou que não houvesse aumento da carga tributária do diesel, e assim o ICMS será recolhido sobre o valor de R$ 0,50 por litro”, afirmou o secretário estadual de Fazenda, Lauri Kener.

Em reunião no último dia 24, o Confaz definiu o valor de R$ 1,006 a ser cobrado de ICMS sobre o litro do Diesel S-10. A unificação do ICMS do combustível foi determinada por projeto aprovado pelo Congresso Nacional, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro. Essa regra passa a valer a partir de 1º de julho deste ano, e neste período os estados devem se ajustar para cumprir a nova Lei, sendo que cada um poderá conceder desconto. No MS, o desconto será de R$ 0,4969.

Lauri Kener explicou que a decisão do Confaz não tem impacto adicional na arrecadação do Estado, por conta do congelamento da pauta fiscal do diesel, praticada desde abril do ano passado. A medida foi adotada pelas demais unidades da federação em novembro do ano passado. “Mato Grosso do Sul continua com a menor carga tributária do diesel no país”, afirmou.

Gasolina e etanol

Na reunião o Confaz, que reúne secretários de Fazenda de todos os estados, também foi decidido que a pauta fiscal da gasolina, etanol e gás GLP ficará congelada por mais 90 dias.


Voltar


Comente sobre essa publicação...