Semana On

Domingo 22.mai.2022

Ano X - Nº 488

Legislativo

Pedro Kemp critica critérios para repasse do MEC às prefeituras

‘Uma afronta ao povo brasileiro’, afirmou o deputado

Postado em 24 de Março de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa da ALEMS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O deputado Pedro Kemp (PT), presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, comentou o áudio vazado de uma reunião do ministro da Educação, Milton Ribeiro.

“Uma afronta ao povo brasileiro, e principalmente àqueles que atuam na área da Educação. Enquanto o governo faz cortes no orçamento das universidades e institutos federais, e na Educação de modo geral, o áudio divulgado pelo jornal Folha de São Paulo revela que em reunião que teria sido realizada dentro do Ministério da Educação [MEC], que o repasse para a educação deveria ser priorizado aos amigos de um pastor, em relação às prefeituras, e isso seria um pedido do presidente da república, Jair Bolsonaro [PL]”, informou.

“Na fala também foi deixado claro que haviam duas possibilidades de repasse, municípios que mais necessitavam e atender aos amigos do pastor Gilmar. Esse áudio comprova a relação dos religiosos, pastores evangélicos, com a Governo Federal, que atuam com as prefeituras desde janeiro de 2021 em negociações que ocorrem fora da agenda, em hotéis e restaurantes de Brasília. Após isso, o ministro da Educação dá a ordem para que o empenho seja liberado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação [FNDE]”, explicou o parlamentar.

Kemp relatou que o critério não atende as necessidades da pasta no Brasil. “O combate ao analfabetismo, a melhoria da infraestrutura, a ampliação de cursos, investimento nos institutos federais de educação tecnológica. É lamentável o que está acontecendo hoje no MEC, uma pasta tão importante que clama por mais recursos para custear as simples despesas correntes”, ressaltou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...