Semana On

Quarta-Feira 25.mai.2022

Ano X - Nº 488

Mato Grosso do Sul

União declara estado de emergência ambiental em Mato Grosso do Sul

Estado teve chuvas 75% abaixo da média histórica em fevereiro, aponta monitor de secas do Cemtec

Postado em 22 de Março de 2022 - Redação Semana On

Foto: Assessoria de Imprensa do Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Ministério do Meio Ambiente declarou estado de emergência ambiental em Mato Grosso do Sul entre os meses de maio e dezembro de 2022, conforme Portaria assinada pelo ministro Joaquim Leite e publicada no Diário Oficial da União no último dia 21.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Fábio Catarineli, a Portaria faz parte do plano de combate a incêndios florestais no Estado, já que favorece a contratação de brigadistas que vão atuar pelo Prevfogo (Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais) no Pantanal, em áreas de difícil acesso e em terras indígenas.

“Temos observado que esses meses (de maio a dezembro) são os mais críticos em relação aos incêndios florestais. Então, a contratação dos brigadistas, feita pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), é baseada na tendência das questões meteorológicas”, explicou o coronel Catarineli.

Os brigadistas são contratados por seis meses, explicou o coordenador do Prevfogo em Mato Grosso do Sul, Márcio Yule. São cerca de 100 pessoas. "30 ficam no Pantanal de Corumbá e 15 em quatro brigadas indígenas, duas Kadiwéu e duas Terena, além de supervisores e agentes de manejo", contou. Para este ano, a expectativa é de que o número de combatentes aumente.

Ações estaduais

O Governo do Estado também tem atuado na prevenção e combate aos incêndios florestais em Mato Grosso do Sul, já que as mudanças climáticas têm favorecido o surgimento de queimadas. Mais de R$ 56 milhões foram investidos em ações e equipamentos do Corpo de Bombeiros, fortalecendo a estruturação da Corporação, com aeronaves, embarcações e viaturas.

O destaque da nova frota é o avião Air Tractor, do modelo AT-802F. Entregue em dezembro passado, a aeronave transporta até 3 mil litros de água e é apontada mundialmente como um dos melhores equipamentos para combate a incêndios florestais, principalmente em locais de difícil acesso às equipes terrestres de bombeiros, como no Pantanal.

As medidas de prevenção e combate adotadas pelo Governo do Estado já têm surtido efeito. O número de focos de incêndios no Pantanal entre os meses de janeiro e novembro de 2021, por exemplo, foi 63% menor na comparação com o mesmo período do ano anterior, conforme dados são do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Menos chuvas

Monitoramento mensal das secas elaborado pelo Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec) aponta que no mês de fevereiro as chuvas em Mato Grosso do Sul registraram valores até 75% abaixo da média histórica em grande parte dos 79 municípios, e os acumulados de chuva variaram entre 0 - 120 mm. O relatório emitido pelo Cemtec/Semagro explica que a situação está relacionada à atuação de massas de ar seco e quente, que são sistemas de alta pressão atmosférica. 

Conforme o documento, apenas municípios localizados no extremo norte do Estado tiveram chuvas acima da média climatológica, com valores entre 120 a 180 mm. Contribuíram para este cenário a passagem de cavados, associadas ao transporte de umidade e aquecimento diurno, além da atuação de zonas de convergência e a passagem de frentes frias. 

No comparativo entre os meses de janeiro e fevereiro, o relatório conclui que houve avanço da seca grave no centro do estado e da seca extrema na parte sudoeste do estado, em função das anomalias negativas de precipitação e piora nos indicadores. Por outro lado, devido às chuvas acima da média em fevereiro, houve recuo da seca excepcional e extrema no nordeste do estado.

Para o próximo trimestre (Abril-Maio-Junho) os modelos climáticos analisados pelo Cemtec indicam que as chuvas possam ficar entre 40% a 50% abaixo da média climatológica. Historicamente as chuvas variam entre 200 a 300mm em grande parte de Mato Grosso do Sul. Nas regiões nordeste e noroeste, os acumulados variam entre 100 a 200mm, e no extremo sul da região sul entre 300 a 400 mm. 

A média climatológica do próximo trimestre é de temperaturas com variação entre 17/20º para a região sudoeste, entre 21/24°C para as regiões noroeste e nordeste, e entre 20/22°C para a parte central do Estado. A previsão climática de uma combinação de modelos, estima que as temperaturas do ar se mantenham dentro da média climatológica. 

Para a região noroeste há probabilidade de as temperaturas ficarem entre 40-50% acima da média no período. Por outro lado, municípios do extremo sul podem registrar temperaturas entre 40-50% abaixo da média climatológica. 

Confira AQUI o relatório completo elaborado pela equipe Cemtec/Semagro.


Voltar


Comente sobre essa publicação...