Semana On

Terça-Feira 24.mai.2022

Ano X - Nº 488

Poder

Genial/Quaest: Bolsonaro diminui diferença, mas Lula ainda poderia vencer no 1º turno

Mulheres, católicos e nordestinos são os eleitores que mais reprovam o presidente

Postado em 18 de Março de 2022 - Pragmatismo Político, Getulio Xavier (Carta Capital) – Edição Semana On

Foto: Ricardo Stuckert Foto: Ricardo Stuckert

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A nova rodada da pesquisa presencial realizada pela Quaest, patrocinada pelo banco Genial, mostra ampla vantagem do ex-presidente Lula (PT) na corrida presidencial. Ele tem 50,5% dos votos válidos.

Nos votos totais, incluídos brancos e nulos, Lula tem 44% das intenções de voto contra 26% do segundo colocado, Jair Bolsonaro (PL). No levantamento anterior Bolsonaro tinha 23% e Lula 45%.

Na sequência aparecem Sergio Moro (Podemos) e Ciro Gomes (PDT) com 7%, João Doria (PSDB) e André Janones (Avante) com 2%, Simone Tebet (MDB) com 1% e Luiz Felipe D’Ávila (Novo) com 0%. Branco/nulo/não vai votar são 8% e indecisos somam 5%.

No cenário incluindo outros candidatos, a pontuação é a seguinte: Lula (PT) com 45%, Jair Bolsonaro (PL) com 25%, Ciro Gomes (PDT) com 7%, Sergio Moro (Podemos) com 6%, João Doria (PSDB) e André Janones (Avante) com 2%, Eduardo Leite (PSDB) e Simone Tebet (MDB) com 1% e Luiz Felipe D’Ávila (Novo) com 0%. Branco/nulo/não vai votar são 6% e indecisos somam 4%. O petista, portanto tem mais votos do que todos os outros candidatos somados.

Foi traçado ainda um terceiro cenário sem o nome de Moro, que ficou assim: Lula (PT) com 48%, Jair Bolsonaro (PL) com 28%, Ciro Gomes (PDT) com 8% e Eduardo Leite (PSDB) com 3%. Branco/nulo/não vai votar são 8% e indecisos somam 4%. Novamente o petista tem mais votos do que todos os outros somados.

Cenário 1

  • Lula (PT) – 44%
  • Jair Bolsonaro (PL) – 26%
  • Ciro Gomes (PDT) – 7%
  • Sergio Moro (Podemos) – 7%
  • João Doria (PSDB) – 2%
  • André Janones (Avante) – 2%
  • Simone Tebet (MDB) – 1%
  • Felipe d’Avila (Novo) – 0%
  • Branco/nulo/não vai votar – 6%
  • Indecisos – 5%

Cenário 2

  • Lula (PT) – 45%
  • Jair Bolsonaro (PL) – 25%
  • Ciro Gomes (PDT) – 7%
  • Sergio Moro (Podemos) – 6%
  • João Doria (PSDB) – 2%
  • André Janones (Avante) – 2%
  • Simone Tebet (MDB) – 1%
  • Eduardo Leite (PSDB) – 1%
  • Felipe d’Avila (Novo) – 0%
  • Branco/nulo/não vai votar – 6%
  • Indecisos – 4%

Cenário 3

  • Lula (PT) – 48%
  • Jair Bolsonaro (PL) – 28%
  • Ciro Gomes (PDT) – 8%
  • Eduardo Leite (PSDB) – 3%
  • Branco/nulo/não vai votar – 8%
  • Indecisos – 4%

No segundo turno, Lula vence todos os adversários. Contra Bolsonaro, Lula tem 54% das intenções de voto contra 32% do atual chefe do governo.

A pesquisa foi realizada presencialmente e ouviu 2 mil pessoas entre os dias 10 e 13 de março. O levantamento foi registrado nos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pode ser encontrado pelo número de identificação: BR-06693/2022. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de cerca de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Mulheres, católicos e nordestinos são os eleitores que mais reprovam Bolsonaro

As mulheres, os moradores do Nordeste e católicos são os grupos que pior avaliam o presidente Jair Bolsonaro, segundo a pesquisa. Ao todo, o governo do ex-capitão é reprovado por 56% dos moradores do Nordeste brasileiro e 53% das mulheres brasileiras, mesmo desempenho que tem entre os católicos. No eleitorado geral, a avaliação negativa soma 49%.

A avaliação positiva, que no público geral é de 24%, também é menor nessas parcelas da população. De acordo com a Quaest, Bolsonaro tem apenas 18% de aprovação no Nordeste e 22% entre as mulheres e católicos.

Homens, evangélicos e moradores do Norte são os grupos em que o presidente tem o melhor desempenho. Nesses segmentos, as avaliações negativas caem para 43% entre o eleitorado masculino, 36% para eleitores do Norte e 34% entre os evangélicos.

A avaliação positiva do governo também sobe entre os três segmentos. Para 29% dos moradores do Norte, Bolsonaro faz um bom governo. O mesmo percentual de indicações positivas é apontado no eleitorado masculino. Entre os evangélicos, o volume de boas avaliações ao ex-capitão sobe para 33%.

Além da avaliação do governo, a pesquisa Quaest também mediu a preferência dos eleitores. Bolsonaro tem apenas 25% das intenções de voto e segue 20 pontos distante do ex-presidente Lula, que soma 45%. O petista ampliaria a vantagem em um segundo turno, de acordo com o levantamento.

Para chegar aos resultados de avaliação e preferência de voto, a consultoria Quaest entrevistou presencialmente 2 mil pessoas. O levantamento foi realizado entre os dias 10 e 13 de março e tem margem de erro de 2 pontos percentuais. O índice de confiança é de 95%.

Os pontos fortes de Lula e Bolsonaro para eleição presidencial, segundo pesquisa

A pesquisa Quaest revelou ainda que eleitores de Lula indicam três principais razões para dar ao petista 45% das intenções de voto na eleição presidencial. São elas: a boa gestão do passado, a situação econômica pessoal e a situação econômica pela qual atravessa o País.

Ao todo, a boa gestão de Lula em seus governos anteriores é apontada como razão por 63% dos eleitores; 58% indicam que a situação econômica pessoal que enfrentam também é decisiva na escolha; 48% apontam que a crise econômica com a qual o Brasil convive na atual gestão seria um dos pontos decisivos para a escolha.

Já entre os eleitores de Jair Bolsonaro apenas o fator ‘honestidade do candidato’ desponta como principal motivador do voto, com 59% dos apontamentos. As ‘propostas’ aparecem como segundo ponto decisivo, mas bem distante, com apenas 28% das indicações dos eleitores do ex-capitão. Bolsonaro soma 25% das intenções de voto e seria derrotado por Lula no segundo turno, segundo o mesmo levantamento.

Para chegar aos resultados, a pesquisa entrevistou presencialmente 2 mil pessoas entre os dias 10 e 13 de março. A margem de erro do levantamento é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.


Voltar


Comente sobre essa publicação...