Semana On

Segunda-Feira 16.mai.2022

Ano X - Nº 487

Coluna

Morre Paulo Vaz, o Popó Vaz, um dos únicos transexuais policial do Brasil

Web aponta transfobia e ódio como gatilhos para a morte

Postado em 15 de Março de 2022 - Redação Semana On

Reprodução Instagram Reprodução Instagram

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O influencer e policial civil Paulo Vaz, mais conhecido como Popó Vaz, de 37 anos, foi encontrado morto no último dia 14. Ele era um dos únicos homens transexuais em carreira na polícia no Brasil. A sua morte foi confirmada nas redes sociais pela agência Mosaico, que fazia o gerenciamento de sua carreira. A causa da morte, no entanto, ainda não foi revelada.

"A Mosaico está em LUTO pela partida do nosso herói PAULO VAZ, nosso querido agenciado e amigo @popo_vaz. Um homem trans gay na Polícia Civil de SP, um militante e herói LGBTQIA+ que compartilhou sua história, inspirou e encorajou tantas pessoas. Você será pra sempre lembrado!", diz a postagem.

ANTRA

A ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) também comunicou e lamentou a morte de Popó.

"Com muita tristeza recebemos a notícia que o Paulo Vaz @popo_vaz nos deixou. Paulo era querido e amado por todas a sua volta. Ativista engajado e dedicado a luta trans, sempre fez questão de construir pontes, atuar no enfrentamento da transfobia e em defesa das pessoas transmasculinas. Homem trans gay, policial civil, sempre abordava questões sobre sexualidade e gênero de forma leve e descontraída. Era uma alma doce e um coração lindo demais. Foi protagonista de uma de nossas campanhas pelo dia da visibilidade trans, além de fazer diversas publicidades e participações em mídias e televisão sobre a visibilidade transmasculina. Paulo não estará mais entre nós ou em nossos Stories falando com aquele sotaque mineiro tão marcante. Infelizmente perdemos mais um de nós, que não suportou continuar em uma sociedade tão violenta e desumana. A ANTRA se solidariza a familia e amigos do Paulo, em especial ao querido Pedro HMC com quem era casado. Recebam nosso mais sincero abraço e nossos sentimentos. Não é hora de especular sobre a morte do Paulo. Respeitem a dor de quem perdeu um amigo, marido, filho e irmão. É hora de silenciar e refletir. Precisamos pensar em formas de construir um mundo onde as pessoas queiram viver."

Daniela Mercury

A cantora Daniela Mercury também se manifestou em suas redes: "Estou despedaçada e indignada com a morte de nosso querido @popo_vaz. Nosso tão amado jovem trans, ativista, corajoso que fez esse mundo ser mais compreensivo e amoroso com os trans. Mando muito amor para @HMCPedro e toda a família de Paulo".

A vereadora Érika Hilton PSOL-SP) republicou o comunicado da ANTRA e também lamentou: "Acabo de receber a notícia do falecimento do Paulo Vaz e estou devastada. Ele era muito querido e é uma tristeza que tenha nos deixado. Desejo muita força e solidariedade pra toda a família e a todes nesse momento", escreveu, pedindo também que as pessoas não especulem as causas da morte no momento. 

O jornalista Fernando Oliveira, o Fefito, se despediu do amigo com uma série de fotos deles juntos. "Falei muito que te amava. Queria ter falado mais. Porque todo amor do mundo era pouco pra você. Porque você importava DEMAIS. Popó será sempre uma história muito feliz a ser contada. A história de alguém que superou as maiores adversidades, as maiores barreiras, cheio de amor no coração. Popó é pra sempre", escreveu.

Paulo vivia um relacionamento desde 2018 com o também influencer PedroHMC, conhecido como um dos fundadores do popular canal LGBTQIA+ Põe na Roda.

Transfobia

Após anunciado o falecimento, internautas passaram a apontar transfobia e ódio nas redes sociais como gatilhos para a morte do digital influencer, uns dos únicos homens transexuais em carreira na polícia civil no Brasil.

Ainda não foi divulgada oficialmente a causa da morte de Paulo, mas há suspeita de que ele tenha cometido suicídio.

A morte de Paulo Vaz aconteceu após ele e seu companheiro, Pedro HMC, serem duramente criticados pós um vídeo íntimo de Pedro com outro homem ter vazado na web. Porém, o casal tinha um relacionamento aberto e sempre deixaram claro que podiam se envolver com outras pessoas.

“Desde que a sex tape do Pedro HMC vazou eu vi defensor da monogamia, vi comentários transfóbicos, vi gente com comentários genitalistas dizendo que o Pedro foi procurar uma piroca porque não tinha em casa. a própria comunidade matou o Popo Vaz. Eu tô muito triste”, escreveu um internauta.

“O Paulo Vaz faleceu e isso me lembra que em 2018 a Antra publicou no site que 85,7% dos homens trans já pensaram em suicídio e/ou tentaram cometer o ato. Isso não é um caso isolado, me faz lembrar a morte do Demetrio também e tantes outres q se foram. Parece que nossa vida não vale nada”, escreveu outro.

“Quem matou Paulo Vaz foram os gays transfóbicas e as radfems do Twitter que invalidaram ele enquanto homem. Choveram comentários transfóbicos ontem após o vazamento do vídeo de Pedro HMC Quando que vocês vão parar com essa merda e aprenderão a respeitar pessoas trans?”, questionou a página Universo LGBTQIA+.

“Quem tá acusando o Pedro HMC de ter causado a morte do @popo_vaz, foram vocês que o mataram, não o vídeo! Eles sempre deixaram claro o relacionamento aberto e a liberdade sexual que tinham. Se foi emocional que o matou, foi a transfobia de vocês que causou! Felizes agora?”, afirmou outro usuário do Twitter.

“A internet nunca foi um ambiente seguro para pessoas trans, nossa saúde mental sempre foi alvo do ódio de vocês. hoje perdemos mais um dos nossos e essa responsabilidade é sua cara pessoa cis!”, ponderou Giovanna Heliodoro.

“Devastado com a notícia da partida precoce do Popo Vaz. principalmente com a forma que se deu, após uma série de ataques transfobicos e moralistas ao relacionamento dele e do Pedro HMC. a internet pode sim adoecer e tirar a vida das pessoas”, ressaltou Vittu.

“Quantos mais de nós vão precisar morrer por causa do preconceito e ignorância alheia?”, questionou Bryanna Nasck.

“A causa da morte do Popo Vaz é só mais uma certeza que vivemos no meio de gays tóxicos, sociedade machista e transfóbica. A gente pensa que evoluiu e quando vemos isso dá o aperto no coração da regressão”, disse um internauta.

“Gays ontem : fazendo comentários transfobicos com o vídeo +18 do Pedro HMC . Os mesmo gays hoje lamentando a morte do Paulo Vaz ( popo vaz ), que era marido do Pedro .. Olha difícil viu…”, ponderou Romagaga.


Voltar


Comente sobre essa publicação...