Semana On

Segunda-Feira 16.mai.2022

Ano X - Nº 487

Mato Grosso do Sul

Riedel dá início a pavimentação da MS-010, de Jaraguari até Furnas do Dionísio

Obra terá 11,4 km de extensão e contribuirá para o escoamento da produção agrícola

Postado em 22 de Fevereiro de 2022 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O pré-candidato ao Governo do Estado – e secretário estadual de Infraestrutura – Eduardo Riedel, esteve em Jaraguari no último dia 22 para a assinatura da ordem de início de serviço da implantação e pavimentação asfáltica da rodovia MS-010, no trecho urbano de Rochedinho, tendo como subtrecho o pavimento da via no Quilombo Furnas do Dionísio.

A obra de pavimentação terá uma extensão de 11,480 km, do município de Jaraguari, com um investimento de R$ 19,7 milhões. Os recursos são do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul), destinado a melhorias nas estradas do Estado.

A empresa contratada terá um prazo de 360 dias (12 meses) para concluir a obra, logo após a ordem de serviços da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos). 

“Investimentos em obras de infraestrutura nas rodovias e estradas estaduais têm a intenção de melhorar o tráfego local e o acesso a toda região, assim como contribuir para o escoamento da produção agrícola e dispor de uma logística mais eficiente no Estado”, disse Riedel.

A obra vai ajudar os moradores do distrito de Rochedinho, assim como a comunidade do Quilombo Furnas do Dionísio, que faz parte do município de Jaraguari, e tem mais de 90 famílias morando no local. O quilombo foi fundado em 1890, por Dionísio Antônio Vieira e sua família, que vieram de Minas Gerais.

Investimentos

O Governo do Estado tem como prioridade os investimentos em infraestrutura, tanto que de 2015 até 2021 foram cerca de R$ 5 bilhões destinados à implantação de pontes, manutenção e pavimentação asfáltica, entre outras obras no setor, para oferecer melhor qualidade de vida à população e favorecer a economia do Estado.

“Estamos falando no ciclo produtivo do desenvolvimento. Quando se investe em uma estrada, estamos considerando desde a economia de recursos do produtor rural até a vinda de uma indústria que vai gerar empregos, com uma infinidade de benefícios, vai além do que enxergamos, vai além do asfalto”, destacou Eduardo Riedel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...