Semana On

Domingo 22.mai.2022

Ano X - Nº 488

Mato Grosso do Sul

Saldo de 10 mil mortes mostra que pandemia não acabou e que é necessário concluir vacinação

Mato Grosso do Sul iniciou a aplicação da quarta dose da vacina

Postado em 11 de Fevereiro de 2022 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A vacinação contra Covid-19 no Mato Grosso do Sul ultrapassou 75% da população em geral de forma completa e 93% para população adulta. Já a dose de reforço foi aplicada em 61% dos idosos e pessoas com comorbidades. Adolescentes já são 22% vacinados com a primeira dose e 68% com o ciclo completo, enquanto a vacinação de crianças de 5 a 11 anos está em 22.

Porém, mesmo com o avanço da vacinação, os números da Covid-19 não param de crescer. Mato Grosso do Sul acumula cerca de 452.500 casos confirmados desde o início da pandemia, além de mais de 10 mil óbitos por Covid-19.

É necessário concluir vacinação

Estes registros mostram que a pandemia do coronavírus ainda não acabou, sendo necessário que o cidadão possa concluir seu ciclo vacinal, para estar mais protegido contra o vírus. A primeira morte em função da pandemia no Estado foi em março de 2020. Ao longo deste período houve várias fases da doença.

Para o médico infectologista, Júlio Croda o “melhor remédio” contra a doença continua sendo a vacinação, por isso a necessidade da população completar o ciclo vacinal, quando chegar sua vez no calendário de imunização do seu município.

“Estamos fazendo o alerta a população, para buscar a vacinação, que é o único remédio contra covid-19. Assim como evitar aglomerações e continuar com as medidas de proteção. Temos uma parcela da população que não foi tomar a dose de reforço e existe uma resistência a vacina das crianças. Desde o início da pandemia, os investimentos são feitos e o apoio a ciência tem sido efetivo”, destacou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende. 

Vacinação

Mato Grosso do Sul foi destaque desde o início da vacinação, liderando por várias vezes o processo de imunização no Brasil, na aplicação da primeira e segunda dose. Outro bom trabalho era feito na logística de distribuição da vacina, que no começo chegava em 12 horas às 79 cidades. Depois com a busca das prefeituras pelas doses, este tempo reduziu ao máximo em seis horas.

O governador Reinaldo Azambuja sempre incentivou a vacinação, inclusive sugerindo a realização de “mutirões” nos municípios, tendo como lema “vacinação no braço e não na geladeira”. Também destaca que a vacina não pode ser “politizada” e que se deve apoiar a ciência na luta contra pandemia.

Quarta dose

O Estado iniciou no último dia 9 a aplicação da quarta dose da vacina nas pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde, que receberam a terceira dose há quatro meses. A decisão se deu após reunião com membros do Centro de Operações de Emergência de Mato Grosso do Sul (COE-MS).

Conforme a determinação, as trabalhadoras de saúde, gestantes e puérperas (até 45 dias pós-parto) deverão receber a quarta dose, preferencialmente com o imunizante Pfizer, 5 meses após ter recebido a terceira dose.

Mato Grosso do Sul tem, hoje, aptos a receber a quarta dose, 85.863 trabalhadores da saúde e 282.802 pessoas com 60 anos ou mais. Os municípios estão abastecidos com os imunizantes. “Temos mais de 80% de óbitos ocorrendo com idosos acima de 60 anos e, também, verificamos dia após dia a diminuição da nossa força de trabalho no Estado e nos municípios, com o grau extremamente elevado de contaminação pela Covid-19, nos trabalhadores de saúde. Então, decidimos vacinar todos os trabalhadores de saúde acima de 18 anos com a chamada quarta dose ou dose de reforço, e todos os idos acima de 60 anos, com essa dose de reforço”, disse o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

Mais 26,3 mil doses de vacina da Pfizer

Chegou à Capital, no último dia 10, mais um lote com 26.300 doses de vacina da Pfizer para uso pediátrico. Depois de separadas, as doses serão encaminhadas aos municípios.

Com mais este lote, a secretaria de estado de saúde, espera poder reforçar a imunização de crianças de 5 a 11 anos, para o retorno seguro às aulas presenciais nas escolas públicas de Mato Grosso do Sul.


Voltar


Comente sobre essa publicação...