Semana On

Quarta-Feira 25.mai.2022

Ano X - Nº 488

Poder

Kim Kataguiri e MBL vão apoiar candidatura de Sergio Moro

Para deter sangria de deputados do PODEMOS que querem apoiar Lula e Bolsonaro, passe do ex-juiz está sendo negociado com o União Brasil

Postado em 21 de Janeiro de 2022 - Congresso em Foco, Ricardo Noblat (Metrópoles) – Edição Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) anunciou no Twitter que vai se filiar ao PODEMOS e apoiar a candidatura do ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Segundo Kim, outros integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) também farão o mesmo.

“Não há outra candidatura de terceira via com chances de vencer as eleições”, argumenta o deputado. “Temos nossas divergências com o @SF¬_Moro, vamos continuar pontuando essas divergências, mas estamos diante de um cenário em que queremos nos livrar de dois criminosos autoritários: Lula e Jair Bolsonaro”, continua.

Em outra mensagem, Kim Kataguiri afirmou que as negociações da ida do MBL para o Podemos incluem “dois pontos fundamentais”: o primeiro é liberdade para que o movimento possa seguir atuando com independência; o segundo ponto, de acordo com Kim, é que o PODEMOS apoiará a candidatura do deputado estadual Arthur do Val (hoje também no DEM), conhecido como “Mamãe Falei”, para o governo de São Paulo. Arthur do Val também deverá se filiar ao Podemos.

Passe de Moro está sendo negociado com o União Brasil

O PODEMOS, no entanto, está negociando o passe do ex-juiz com o União Brasil, resultado da fusão entre o DEM e o PSL.

Há várias razões para isso. Uma delas: o União Brasil, quando obtiver registro na justiça, será o maior partido na Câmara dos Deputados e dono da maior fatia do fundo eleitoral.

O candidato que ele lançar à vaga do presidente Jair Bolsonaro contará também com o maior tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão. Não é pouca coisa.

Mas há outra razão para que o PODEMOS se despeça de Moro, O Breve. A maioria dos seus 11 deputados federais quer apoiar as candidaturas de Bolsonaro e de Lula a presidente.

Em 2018, o PODEMOS apoiou no primeiro turno o senador Alvaro Dias à sucessão do presidente Temer (MDB). No segundo, dos seus 17 deputados federais, 11 apoiaram a eleição de Bolsonaro.

É para deter uma eventual sangria que o passe de Moro está à venda. Renata Abreu, deputada federal e presidente do PODEMOS, topa fechar negócio em troca de ser a vice de Moro.

O União Brasil tem candidato a vice, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE). Foi pelo PSL, presidido por Bivar, que Bolsonaro se elegeu presidente, abandonando o partido em seguida.

Moro voltou a repetir que vai para o tudo ou nada. É candidato a presidente, mas se não for não se candidata ao Senado. Ainda não cruzou a faixa dos dois dígitos nas pesquisas.

Mas está confiante que chegará a julho com algo em torno de 15% das intenções de voto. Ciro Gomes (PDT) espera a mesma coisa, João Doria (PSDB) também. Sonhar sai barato.


Voltar


Comente sobre essa publicação...