Semana On

Terça-Feira 17.mai.2022

Ano X - Nº 487

Cultura e Entretenimento

Desfiles das escolas de samba são adiados para abril em Campo Grande

Em razão do elevado número de casos de Covid-19, a Liga das Entidades Carnavalescas da capital juntamente com Secretaria de Cultura e Turismo decidiram adiar para os dias 20, 21 e 22 os desfiles carnavalescos

Postado em 20 de Janeiro de 2022 - Renata Barros – G1MS

Foto: Leandro Abreu/ G1 MS Foto: Leandro Abreu/ G1 MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Os desfiles das escolas de samba de Campo Grande foram adiados para os dias 20, 21 e 22 de abril. Blocos de rua já estavam suspensos e indecisão marcava a realização dos desfiles na capital. Contudo, no último dia 19, a Liga das Entidades Carnavalescas (Lienca) de Campo Grande anunciou o adiamento.

Em nota divulgada nas redes sociais, a Liga explica que o adiamento foi resultado de uma reunião com a Secretaria de Cultura e Turismo e Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

“A decisão foi tomada considerando o atual momento epidemiológico da cidade pela alta incidência da Covid-19”, afirma o presidente da Lienca, Alan Catharinelli.

Ainda em nota, o presidente da Lienca recomenda a vacinação de todos os envolvidos na realização dos desfiles carnavalescos. “Pedimos para que as comunidades das nossas escolas de samba completem o esquema vacinal. Temos a certeza de que a vacina salva”, pontua Catharinelli.

Eventos particulares

A Prefeitura da capital explica que agremiações e clubes que forem realizar festividades particulares deverão seguir as medidas de biossegurança vigentes nos decretos municipais.

Segundo decreto de 16 de dezembro de 2021, eventos com mais de 200 pessoas devem contemplar o Plano de Contenção de Riscos (Biossegurança), que precisa ser elaborado e atualizado de acordo com as especificidades do segmento para evitar a disseminação do coronavírus.

Caso o evento tenha menos do que 200 pessoas, é dispensada a necessidade de Plano de Contenção de Riscos, mas a organização deve seguir medidas sanitárias como presença de álcool 70% para higienização das mãos, distanciamento social e controle de fluxo de pessoas na entrada e no interior do estabelecimento.


Voltar


Comente sobre essa publicação...