Semana On

Sábado 21.mai.2022

Ano X - Nº 488

Cultura e Entretenimento

Poema na Quarentena prepara sua terceira fase com muita poesia

Projeto do Coletivo Tarja Preta reúne poetas de MS em drops diários em meio à pandemia

Postado em 10 de Janeiro de 2022 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Depois do sucesso das duas primeiras fases do projeto (realizadas no ano passado), o 'Poema na Quarentena MS' entra em sua terceira fase com a participação de 15 poetas do Coletivo Tarja Preta. Os poetas sul-mato-grossenses se revezarão diariamente levando poesia para as redes sociais com o objetivo de amenizar as consequências sociais e psicológicas da pandemia de Covid-19 e promover a cultura.

O projeto, que surgiu de um papo entre os poetas Victor Barone e Fábio Gondim, pode ser acessado no Facebook a partir da hashtag #poemanaquarentenams, ou acessando a página do projeto no Facebook. A terceira fase ainda não tem data para estrear, mas a disseminação dos poemas deve ter início em fevereiro.

“O formato do projeto é muito democrático. Um poeta diz o poema de outro em um ciclo que se repete durante duas semanas, semeando as redes sociais com poesia. Agora, esta segunda fase, cada dupla dirá seus poemas em um determinado dia”, explica Barone.

Além de oferecer um momento de arte com os poemas, o projeto incentiva a leitura, inspira e distrai aqueles que estão presos em casa. “Quando a solidão toma conta, e o medo assume as ruas, é preciso ter a chance de viajar em si e no outro, não há maior necessidade da poesia que em momentos como esse. Só a poesia é capaz de acalentar a pandemia da solidão”, diz a atriz Ligia Prieto, que também participa do projeto

Para Fabio Gondim, a relevância de eventos como este se traduz no fortalecimento íntimo, de cada um, nestes tempos atípicos. “Tanto quem oferta quanto quem recebe o conteúdo são beneficiados. E a poesia, a arte em geral em momentos adversos, é dos melhores remédios”, afirma.

Ted Hughes, um dos maiores poetas do século XX, em suas anotações feitas durante o Festival Internacional de Poesia em 1967 disse: “A poesia é uma língua universal que todos podemos atingir”. Para o produtor cultural Vini Willyan, outro poeta que participa do projeto, o Poema na Quarentena MS é uma oportunidade de se colocar mais próximos uns dos outros. “E também uma iniciativa muito bonita, considerando o momento”, reflete.

Martin Heidegger, filósofo e poeta, disse que o humano é um ser-para-a-morte, e que a poesia é o local mais originário do homem. “Ele propôs uma ruptura com a metafísica e uma aproximação ou regresso às ‘coisa mesmas’. O projeto ‘Poema na Quarentena MS’ é bem isso, uma reunião de poetas que não tem a menor vontade de oferecer novas perspectivas para a compreensão do sujeito, mas estão sempre escrevendo e sinalizando para a infinitude de tudo. Talvez desfrutar novamente da experiência original do pensamento com a poesia, algo que perdemos com o tempo, já seja uma meta bastante ambiciosa”, afirma o poeta e filósofo Elias Borges.


Voltar


Comente sobre essa publicação...