Semana On

Quinta-Feira 19.mai.2022

Ano X - Nº 487

Cultura e Entretenimento

Coletivo Tarja Preta estreia coluna na Semana On

A literatura e a poesia sul-mato-grossense serão os temas semanais

Postado em 06 de Janeiro de 2022 - Coletivo Tarja Preta

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

No inverno de 2015, a partir de sucessivos encontros na casa da escritora Eva Vilma - e também no antigo Sarau dos Amigos do Bairro Universitário - forma-se em Campo Grande (MS) o grupo literário Cápsula Tarja Preta, inicialmente composto pelas escritoras Raquel Dias, Clucia Andrade e Eva Vilma e pelos escritores Elias Borges e Fábio Gondim.

Ao passar do tempo outros autores se juntam ao Coletivo, ocupando vários espaços da capital sul-mato-grossense apresentando espetáculos de poesia. Em 2016 o grupo lança - na Morada dos Baís - a coletânea “Cápsula Tarja Preta”, obra que reúne 10 autores. Nos anos seguintes o Tarja Preta torna-se menos ativo, principalmente a partir de 2020, com o advento da pandemia.

No entanto, membros do Coletivo permaneceram ativos, participando de projetos literários como o “Poema na Quarentena MS”, no qual poetas sul-mato-grossenses produziram dezenas de vídeos que disseminaram nas redes sociais, tendo grande resposta na mídia e entre o público. Outro projeto que contou com a participação de membros do Coletivo foi o “Poesia Três Vezes ao Dia”, também espalhando o dizer poético pelas redes.

O Coletivo Tarja Preta retorna em dezembro de 2021com o “1° Lançamento Coletivo de Livros de Campo Grande”, com autores que não puderam fazer o lançamento presencial de suas obras durante o período pandêmico.

Em plena atividade atualmente, o grupo planeja diversas ações que promovam e celebrem a literatura dentro e fora do Mato Grosso do Sul. Entre elas está a coluna “Tarja Preta” na revista Semana On.

A partir desta sexta, o Coletivo assina a produção da coluna, que abordará a produção literária sul-mato-grossense, especialmente a poesia, além de traçar um panorama d que ocorre na cena Brasil afora.

Não perca.

E, pra dar um gostinho do que vem por aí, um poema de Eva Vilma, escrito para dizer o que ela sentiu quando da criação do Coletivo.

-

A Cápsula

De casca flexível

crescente

formou-se a dita

à parte,

trincheira erguida

de sonhos,

palavra

e arte,

nasce!

Fecunda o encontro

no útero,

o íntegro,

cordão divinal.

Sem fome de amor,

miséria da alma,

silêncio da voz,

sem morte da vez,

a Cápsula,

à parte,

do feio do mundo

do muro na estrada

nutre

pare

parte

reparte

estilhaços!

Tirando faísca à dança,

massacre de escuridões.


Voltar


Comente sobre essa publicação...