Semana On

Segunda-Feira 16.mai.2022

Ano X - Nº 487

Poder

Fundamentalista: Indicação ao STF foi plano de Deus, diz André Mendonça

Bolsonaro piora o quadro: ‘Para quem é evangélico, a Constituição é a Bíblia’, disse

Postado em 10 de Dezembro de 2021 - Ricardo Noblat (Metrópoles), Carta Capital, Estadão – Edição Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Começou no último dia 9, pelo Rio de Janeiro, a peregrinação de André Mendonça para agradecer a Deus e aos evangélicos por sua indicação a ministro do Supremo Tribunal Federal. A indicação foi do presidente Jair Bolsonaro que prometera nomear um ministro terrivelmente evangélico para chamar de seu.

Na igreja do pastor Silas Malafaia, no bairro da Penha, Zona Norte do Rio, Mendonça, deu a receita do seu sucesso: “Num processo dessa natureza, você não pode olhar para os homens, não pode olhar para os boatos, para os rumores, para o impossível. Temos que olhar para Deus”. É conhecida a intimidade dele com Deus.

Certa vez, no início da pandemia da Covid-19, Mendonça, então chefe da Advocacia-Geral da União, se reuniu com Bolsonaro e disse que Deus lhe fizera uma revelação. A saber: Bolsonaro deveria pôr em prática as medidas sugeridas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para enfrentar a pandemia.

Embora se diga religioso, tendo se batizado nas águas do rio Jordão, em Israel, Bolsonaro não deu bola para o que ouviu de Mendonça. Receitou cloroquina e deixou o vírus matar os que tivessem de morrer. Mais tarde, promoveu Mendonça a ministro da Justiça. E a fé em Deus acabou levando-o para o Supremo.

Depois de esperar quatro meses para ser sabatinado, seu nome foi aprovado com 47 votos a favor e 32 contra, apenas 6 a mais do que o mínimo necessário. Contou Mendonça que em meio ao seu calvário, ensinou a Bolsonaro: “Um militar está preparado para a guerra. Agora, nós estamos preparados para a cruz”.

A posse de Mendonça está marcada para a próxima quinta-feira. Antes, pretende orar em igrejas de outros Estados. Deus seja louvado!

Bolsonaro, sobre Mendonça: ‘Para quem é evangélico, a Constituição é a Bíblia’

Ao comemorar, mais uma vez, a aprovação de Mendonça, o presidente Jair Bolsonaro afirmou – no último dia 7 - que, para quem é evangélico, “a Constituição é a Bíblia”.

“Como ele André disse, a Bíblia será a Constituição. E, para quem é evangélico, cristão, a Constituição é a Bíblia”, declarou o presidente durante a cerimônia de assinatura de contratos do leilão do 5G, ocorrida no Palácio do Planalto.

A fala truncada vem em meio a dúvidas se Mendonça, pastor presbiteriano indicado por Bolsonaro por ser “terrivelmente evangélico”, vai honrar o compromisso de atender à Constituição enquanto magistrado, levando em consideração a laicidade do Estado.

O presidente do Supremo, Luiz Fux, reagiu e reforçou o caráter laico da Corte. Para Fux, Mendonça saberá respeitar a separação entre Estado e religião ao vestir a toga.

“Ele tem meritocracia para estar no Supremo e está ciente de que a Corte obedece à laicidade do Estado e não irá introjetar valores evangélicos extremos nas decisões”, afirmou o magistrado em entrevista ao jornal Estadão.

“Quando (os ministros) assumem, se tornam juízes da Constituição e terão que zelar pela Constituição. A laicidade do Estado não permite que defendam apenas valores religiosos”, acrescentou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...