Semana On

Terça-Feira 07.dez.2021

Ano X - Nº 470

Poder

Lula se aproxima de vitória no primeiro turno e Moro supera Ciro, diz pesquisa Quaest

Avaliação negativa de Bolsonaro atinge sua pior taxa desde o início da pesquisa: 56%

Postado em 12 de Novembro de 2021 - Brasil de Fato, Lucas Rocha (Fórum), Leonardo Sakamoto (UOL) - Edição Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem hoje a preferência de 48% do eleitorado, de acordo com nova pesquisa de intenções de voto sobre a eleição presidencial de 2022.

O levantamento feito entre os últimos dias 3 e 6 de pela Quaest para o Banco Genial traz ainda o presidente Jair Bolsonaro com 21%. Em seguida aparecem os ex-ministros Sergio Moro (sem partido), com 8%, Ciro Gomes (PDT), com 6%. João Doria (PSDB), Eduardo Leite (PSDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Felipe Dávila (Novo) oscilam entre 0% e 2%. Chama atenção na pesquisa Genial Quaest o crescimento da rejeição a Bolsonaro: 69% dos entrevistados afirmam que o atual presidente não merece mais quatro anos de mandato.

Além disso, avaliação negativa de Bolsonaro atinge sua pior taxa desde o início da pesquisa. Enquanto essa reprovação era de 45% em julho, hoje está em 56%.

Quem vence

Cresce também, segundo a pesquisa, a proporção de entrevistados que preferem que Lula seja o vencedor da eleição, de 41% para 46%. Por outro lado, diminui de 31% para 25% o percentual dos que respondem nem Lula, nem Bolsonaro, de 24% para 22% os que preferem Bolsonaro.

Na pesquisa espontânea, em que não são mencionados nomes de candidatos, a preferência por Lula subiu de 21% para 29%, em cinco meses, enquanto caiu dois pontos, pra 16%.

Já o potencial de votos de Lula (votariam nele ou poderiam votar) chega a 58%, enquanto a taxa de rejeição está em 39%. Por sua vez, Bolsonaro apresenta a maior rejeição, 67% dizem que não votariam nele, enquanto seu potencial de votos está em 30%. O petista alcança ainda liderança em todas as regiões do país. Num eventual segundo turno, Lula alcança 57% contra 27% de Bolsonaro.

Confira aqui a íntegra da pesquisa Genial Quaest.

O economista Marcos Coimbra, presidente do Vox Populi, apontou que a eleição presidencial de 2022 é a mais previsível da história recente, em razão da ampla vantagem que o ex-presidente Lula apresenta nas pesquisas.

“Em 2022 temos de um lado um estafermo como Bolsonaro e, do outro, uma liderança política [Lula] com esses atributos… Em condições normais de temperatura e pressão, é a eleição mais previsível de nossa história recente. Quer dizer que já resolveu? Não…”, afirmou o presidente do Vox Populi durante entrevista ao jornalista Luís Costa Pinto no Jornal da Fórum.

Lula é o preferido entre os que se informam pelo WhatsApp, diz pesquisa

A pesquisa da Quaest Consultoria e da Genial Investimentos mostra também que entre os que se informam sobre política principalmente pelo WhatsApp, 51% preferem que Lula vença as eleições de 2022 frente a 27% dos que optam por Bolsonaro. Ao todo, 17% não preferem nenhum dos dois.

Bolsonaro foi alvo de duas ações no Tribunal Superior Eleitoral que pediam a cassação de sua chapa com o general Hamilton Mourão por terem se beneficiado de disparos em massa no WhatsApp feitos contra o seu principal oponente, Fernando Haddad (PT). A corte arquivou as ações em julgamento, no dia 28 de outubro, mas utilizou o caso para firmar entendimento de que isso pode levar à cassação em futuras eleições.

Segundo a pesquisa Quaest, o WhatsApp é o principal canal de informação sobre política para apenas 3% dos brasileiros. A TV continua sendo a fonte mais importante, com 49%.

Na sequência, aparecem as redes sociais (25%), sites, blogs e portais de notícias (9%), amigos, familiares e conhecidos (4%), rádio (3%) e jornais impressos (2%). Por fim, 4% afirmam que não costumam se informar sobre política.

Lula marca seu melhor resultado exatamente entre os que se informam principalmente pela TV: 54% preferem ele, 15%, Bolsonaro e 23%, nenhum dos dois.

O petista também está numericamente à frente junto àqueles que se informam principalmente por redes sociais, com 37%, enquanto Bolsonaro marca 35%. Com a margem de erro, há um empate técnico. Nessa categoria, 24% não querem nem Lula, nem Bolsonaro.

Bolsonaro, por sua vez, aparece numericamente à frente entre os que se informam principalmente por blogs, sites e portais de notícias: 34% escolhem o presidente enquanto 31% querem o ex de volta. Novamente, aqui há um empate técnico. E 30% afirmam que preferem que não seja eleito nenhum dos dois.

A maior diferença aberta por Lula à frente do presidente é entre quem se informa principalmente por amigos, familiares ou conhecidos. Nestes, Lula marca 51% diante de 7%, com 37% preferindo outra pessoa que não os dois.

Entre os que têm o rádio como principal fonte de informações sobre política, Lula tem 50% e Bolsonaro, 18%. E 25% não querem nem um, nem outro. Por fim, entre os que preferem jornais, Lula marca 39%, Bolsonaro, 18% e nenhum dos dois, 32%.

Considerando TV, rádio e jornais, ou seja, veículos tradicionais de comunicação, que juntos são citados por 54% como principal fonte de informação, Bolsonaro aparece com menos preferência do que a opção nem ele, nem Lula, ou seja, uma terceira via.

A pesquisa Quaest também aponta que, entre os que não costumam se informar sobre política, Lula tem a preferência de 36%, Bolsonaro, 13% e nenhum dos dois, 26%.


Voltar


Comente sobre essa publicação...