Semana On

Quarta-Feira 25.mai.2022

Ano X - Nº 488

Cultura e Entretenimento

Campão Cultural promove 1ª Feira de Música com foco em networking e negócios

Evento concentrado na Esplanada Ferroviária acontece entre 22 de novembro e 05 de dezembro

Postado em 05 de Novembro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O festival “Campão Cultural”, que acontece entre 22 de novembro e 05 de dezembro, abre espaço na segunda semana de sua programação para a “1ª Feira de Música de Campão”. O evento, dedicado ao segmento musical, começou no último dia 29 e segue até o dia 4 de dezembro no Armazém Cultural, na Esplanada Ferroviária, região histórica do centro de Campo Grande. A feira terá palestras, workshops, painéis, estandes, DJs e shows musicais. O objetivo é incluir Mato Grosso do Sul entre os Estados brasileiros que contam com uma feira dedicada à música e, mais especificamente, à música como negócio.

“O intuito é fomentar o mercado da música independente de MS. Fortalecer os laços de músicos e produtores do Estado entre si e criar redes com produtores de outras regiões do País”, reforça Vitor Maia, coordenador do Núcleo de Música da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS).

Com 14 convidados, as palestras e workshops abordarão temas relacionados à gestão e desenvolvimento de carreira, direção artística, distribuição musical e lançamento, novas tecnologias, importância de uma boa comunicação, além de questões técnicas, históricas e culturais, como a influência paraguaia na música sul-mato-grossense.

Segundo o produtor-geral e curador Demetrius Hernandes, a “1ª Feira de Música de Campão” abre espaço para que artistas de Mato Grosso do Sul se aproximem de produtores, managers e outros profissionais do business musical. “Existe um circuito de feiras no Brasil com uma rede de contatos e de troca profissional. Queremos que o músico sul-mato-grossense participe disso também. É a oportunidade para artistas regionais serem vistos por quem já está inserido no mercado nacional. Uma porta que se abre”, afirma.

Networking e circuito

Entre os convidados da Feira está Barral Lima, que irá ministrar um workshop de direção artística para carreiras musicais. Este mineiro construiu uma carreira de destaque na música brasileira. Sua experiência vai da composição à produção artística e musical, com um hall de artistas que incluem Lô Borges, Milton Nascimento, Flávio Venturini, Fernanda Takai, Sá & Guarabira, entre outros. Barral também é um dos agitadores do cenário como realizador de festivais como MARTE, BH Rock Week e Palco Ultra.

Barral também ocupou um papel estratégico na realização da feira de música no festival em Campo Grande. “Recebi o convite de auxiliar na curadoria com o maior prazer. Eu acompanho de perto esse circuito, tenho muitos contatos e convidei profissionais que acredito que farão diferença no cenário da região”, ressalta. Para ele, o mais importante é que os músicos, profissionais e interessados participem. “É um espaço para fazer networking, conhecer e se relacionar com profissionais de outros lugares”, explica.

Em seu workshop, o produtor assistirá apresentação de cinco artistas ao vivo e tecerá comentários a partir da observação de elementos como performance, arranjos, produção, etc. “É um jeito de ajudar o artista a se encontrar e se alinhar em direção ao que ele busca. Minha opinião não é absoluta, mas acredito que minha experiência possa ajudar o músico ou a banda a se alinhar em direção ao seu objetivo”, detalha.

Esclarecendo funções

Fazer a gestão de carreira de um artista é um trabalho que, segundo Letz Spindola, é pouco compreendido mas, essencial para garantir o crescimento do artista dentro do negócio. “Eu trabalho com gestão 360º. Isso significa que sou manager, booker, produtora de estrada”, explica a artist manager e produtora, que saiu de Campo Grande para desbravar mercados em São Paulo e já trabalhou com artistas como Jaloo e Molho Negro. Atualmente, Letz é manager da MC Thá.

Ela participa da “Feira de Música de Campão” com a palestra “De Campo Grande a São Paulo: Construção e Gerenciamento de Carreiras”. “É mais um bate-papo. Vou falar sobre minha experiência e sobre meu trabalho, sobre mercado e todas as áreas envolvidas na gestão de uma carreira”, adianta. O encontro com Letz é uma oportunidade para ter contato com uma área ainda pouco conhecida. “Existe um déficit nesse mercado. Os artistas precisam disputar manager e, por vezes, o profissional precisa acumular funções”, explica.

Para participar

As inscrições para as palestras poderão ser feitas por meio do e-mail fcmsmusica@gmail.com ou pelo WhatsApp (67) 99959-6056. Além disso, os organizadores reservarão 50% das vagas a serem distribuídas por ordem de chegada. Algumas palestras ocorrerão de forma digital, mas a maioria será presencial, no Armazém Cultural, na Esplanada Ferroviária.

Para garantir a segurança, serão seguidas medidas de segurança sanitária como o espaçamento de 1,5 metro entre os participantes, uso de máscara obrigatório e disponibilização de álcool em gel. O espaço dos estandes e shows terá um limite de público de acordo com as normas em vigor para definir o número máximo de pessoas no local. 

Confira a programação clicando aqui.

Artistas selecionados

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (05) o resultado da seleção de artistas do Estado para participação no Campão Cultural.

O festival tem como objetivo o fomento à produção artística sul-mato-grossense, promovendo a diversidade e cidadania, e inspirando uma nova visão de futuro, mais inclusiva e sustentável.

Na área da Música foram apresentadas 183 propostas, das quais 24 foram desclassificadas, 34 selecionados e 28 suplentes. Na área de Artes Cênicas (teatro, dança e circo), foram apresentadas 25 (vinte e cinco) propostas de teatro, tendo vindo uma duplicada, 23 (vinte e três) propostas e dança e 09 (nove) propostas de circo. Foram selecionados 06 (seis) propostas de cada categoria mais 02 (dois) suplentes.

Na área de Artes Visuais foram apresentadas 81 propostas, das quais 07 foram desclassificadas, 06 propostas em duplicidade (enviadas mais de uma vez), 10 selecionados e 02 suplentes. Na área de Audiovisual foram apresentadas 81 (oitenta e uma) propostas, sendo 4 (quatro) repetidas, 8 (oito) desclassificadas, 21 (vinte e uma) com classificação 12 anos ou mais e 48 (quarenta e oito) com a classificação livre.

A lista completa dos artistas classificados você confere clicando AQUI.


Voltar


Comente sobre essa publicação...