Semana On

Domingo 22.mai.2022

Ano X - Nº 488

Campo Grande

Prefeitura inicia recapeamento da Rui Barbosa no trecho entre a Mato Grosso e Pernambuco

Dentro do projeto de revitalização estão programados a 4 quilômetros de drenagem, eliminando pontos de alagamentos ao longo de todo o trajeto da rua

Postado em 27 de Outubro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande deu início nesta semana ao recapeamento da Rui Barbosa no trecho entre a Mato Grosso e Pernambuco. Para eliminar um ponto de alagamento perto do Pronto Socorro, foi implantado uma tubulação pela Travessa Pepe Simioli (a partir de Pedro Celestino), que entrará por Rui Barbosa e se conectará com a drenagem da Avenida Mato Grosso, para a enxurrada desaguar no Córrego Segredo.

Dentro do projeto de revitalização da Rui Barbosa, estão programados a 4 quilômetros de drenagem, eliminando pontos de alagamentos ao longo de todo o trajeto da rua, a partir do ponto de partida nas partes da Universidade Federal. Segundo o engenheiro Rodolfo Quevedo, supervisor da obra, no lote 1 (de Fernando Corrêa da Costa até Rachid Neder) terá 2,4 km de drenagem.

O primeiro ramal da tubulação vai captar e escoar até o Córrego Prosa, a enxurrada da parte alta das transversais, da Rua Barão do Rio Branco, passando pela Avenida Afonso Pena e ruas 15 de Novembro, 7 de Setembro, Joaquim Murtinho e Barão de Melgaço .

A partir do Cândido Mariano foi implantado uma tubulação para escoamento da enxurrada até o Córrego Maracaju, canalizado sob uma pista da rua com o mesmo nome. O recapeamento do trecho está na dependência da concessionária Águas Guariroba garante troca da rede de água, substituindo o fibro cimento por tubulação de PVC.

De acordo com o superintendente de Obras da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Francisco Martinez, a drenagem implantada no trecho inicial de Rui Barbosa, perto da Avenida Rachid Neder, vai retardar a chegada da enxurrada no Córrego Cascudo, canalizado a Rachid Neder, que desemboca no Segredo, provocando o transbordamento na altura da rotatória com a Avenida Ernesto Geisel. “É um primeiro passo para resolver o problema. Já está no planejamento deste ano, a drenagem na Rua Alegrete (transversal à Rui Barbosa) que também pressiona a vazão no Cascudo.

A obra na Rui Barbosa

A Rui Barbosa é um dos eixos viários do transporte coletivo da Capital, por onde circular 53 linhas. Serão feitos 7,1 km de recapeamento e mais de 4 km de drenagem. A intervenção será a partir das emoções do viaduto da Universidade Federal (onde a rua ainda se chama Trindade), até o trecho final, quando se encontra com a Avenida Rachid Neder. A via recebe um corredor do transporte coletivo no trecho entre a Rua Chile e a Avenida Mato Grosso, com 5 estações de embarque e desembarque.

No trecho mais central, a partir do cruzamento com a Avenida Afonso Pena, a Rui Barbosa terá mobiliário urbano semelhante ao da 14 de Julho, com câmeras de monitoramento, padronização das calçadas e Wi-fi gratuito.

Outras frentes

Além do recapeamento na Rui Barbosa, não chamado microcentro, outra frente de serviço que começa nesta semana é na Rua 7 de Setembro, que já está recapeada entre as ruas Rui Barbosa e Pedro Celestino. O serviço será levado até a Rua José Antônio. Em toda a área de intervenção será feita mais 700 metros de recapeamento em outras ruas transversais a 14 de Julho, são elas: Barão de Melgaço, Joaquim Murtinho, 15 de Novembro, Antônio Maria Coelho e Maracaju. A Cândido Mariano será recapeada em toda sua extensão (de 25 de Dezembro até a Cabeça de Boi) e do Barão do Rio Branco, de 25 de Dezembro até Joaquim Nabuco.

O microcentro abrange o quadrilátero formado pelas ruas Fernando Correa da Costa / Mato Grosso / José Antônio / Calógeras. São mais 26 km de recapeamento, abrangendo toda a Rui Barbosa, a 13 de Maio (de Fernando Correa da Costa até a Júlio Dittmar), a José Antônio (do Amazonas até a Rodolfo José Pinho). Também serão recapeadas como ruas Chile, Quintino Bocaiúva, Travessas Costa Marquês e Iria Loureiro.


Voltar


Comente sobre essa publicação...