Semana On

Sexta-Feira 03.dez.2021

Ano X - Nº 469

Campo Grande

Prefeitura licita construção de piscinão que vai ajudar a evitar assoreamento no Parque das Nações

Intervenção vai retardar a chegada de águas pluviais aos córregos Prosa e Sóter, que em dias de chuva intensa provocam enchente na região

Postado em 27 de Outubro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande abriu licitação na modalidade concorrência pública, para contratar a construção de um piscinão, com capacidade para reter 34 milhões de litros, na nascente do Córrego Réveillon, às margens da Avenida Mato Grosso. As propostas das empresas participantes serão abertas às 9 horas do dia 30 de novembro.

A obra orçada em R$ 6.700.418,97, conta com recursos do PAC Pavimentação, como parte do Complexo Mata do Jacinto etapa A. É uma  intervenção necessária para evitar o assoreamento dos lagos do Parque das Nações Indígenas ao retardar a chegada destas águas pluviais  aos córregos Prosa e Sóter, que quando transbordam,  em dias de chuva mais intensa, provocam enchente na região próxima ao shopping.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, como se trata da nascente do Córrego Reveilleau, com características de brejo, a estrutura desta bacia de retenção é diferente das construídas em outras regiões. Ao invés de aterro e compactação, com cobertura de grama, este piscinão terá as margens revestidas de gabião com muros de contenção de até 4 metros de altura. “Esta nascente recebe um grande volume de água captada pela drenagem construída nos bairros situados no entorno do Parque dos Poderes, Vila Nascente, Jardim Veraneio e Danúbio Azul. Junto com a enxurrada vem muita areia o que acaba contribuindo para o assoreamento dos lagos do Parque da Nações.  A bacia vai reter estes sedimentos, mas será preciso uma manutenção permanente para retirada deste material para assorear o próprio piscinão”, explica o secretário.

Há dois anos, como medida preventiva, a prefeitura em parceria com o Governo do Estado, retirou 105 mil metros de cúbicos de areia dos lagos do Parque das Nações, operação que mobilizou 8 retroescavadeiras, mais 11 mil viagens de caminhões, além de 50 trabalhadores. Do lago principal, que se espalha por 5 hectares, foram retirados aproximadamente 110 mil metros de cúbicos de areia em quase 10 mil viagens de caminhão. Do lago menor foram retirados 15.474 metros cúbicos de areia, exigindo 1.500 viagens de caminhão. Da nascente do Reveillau foram retirados  4 mil metros cúbicos.

Esta bacia de retenção, mais as obras que o Governo do Estado está realizando no Córrego Joaquim Português, outro afluente do Prosa que também desemboca no Parque das Nações, os dois lagos, além de serem uma referência para o lazer contemplativo, têm um papel importante no controle de enchentes nos córregos Sóter e Prosa. Os dois lagos, sem o assoreamento, têm capacidade para armazenar 65 mil metros cúbicos de água, o equivalente a quase duas a capacidade deste piscinão que será construído nos altos da Avenida Mato Grosso.


Voltar


Comente sobre essa publicação...