Semana On

Sexta-Feira 22.out.2021

Ano X - Nº 463

Campo Grande

Campo Grande implementa programa pioneiro em MS com objetivo de melhorar a assistência prestada à população

Programa irá beneficiar diretamente à população que terá acesso facilitado a um atendimento especializado, além de contribuir para desafogar as unidades de saúde

Postado em 09 de Setembro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em tempos de pandemia, a mediação tecnológica se mostrou uma importante ferramenta para a promoção da equidade e da democratização do acesso aos serviços de saúde.  Com base neste conceito e tendo como principal objetivo qualificar a assistência ofertada à população, Campo Grande iniciou a implementação do Programa Municipal de Telerregulação, Teleconsulta e Teleconsultoria. Os detalhes do serviço pioneiro na rede pública de saúde do Estado foram anunciados no último dia 8 em ato realizado no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS).

Na avaliação do prefeito Marquinhos Trad, o programa irá beneficiar diretamente à população que terá acesso facilitado a um atendimento especializado, além de contribuir para desafogar as unidades de saúde.

“Certamente a nossa população ganhará e muito com este programa, pois sabemos que existe uma demanda muito grande e, muitas vezes, o atendimento não ocorre dentro do tempo esperado. Portanto, este suporte contribui para que a gente consiga dar condições para que os pacientes recebam o melhor atendimento possível.  Nós somos defensores do SUS e acreditamos que é possível sim dar uma assistência de qualidade a quem precisa”, diz.

Um dos objetivos do programa é qualificar os encaminhamentos da Rede de Atenção Primária para a Rede de Atenção Especializada, por especialidade. Os profissionais de saúde através de web conferências utilizarão estratégias de atendimento compartilhado, entre paciente, médico da unidade de saúde e especialista, sendo o principal diferencial do programa.

O secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, destaca que com a implementação do programa será possível agilizar o diagnóstico, tornar os tratamentos aindamais precoces e eficientes, além de melhorar o tratamento dos pacientes dentro dos territórios.

“Este programa oportunizará uma melhor assistência aos pacientes e tenho certeza que será um dos grandes legados deixados pela pandemia. Será fundamental para a assistência da nossa população e também poderá contribuir no atendimento de pacientes do interior do Estado que não têm acesso a especialistas e precisam se deslocar até a Capital para receber o atendimento.  Nós podemos estudar formas de contemplar também estas pessoas, destaca.

O programa prevê ainda a qualificação dos encaminhamentos para a atenção especializada, diminuição do tempo de espera para o atendimento especializado presencial, atuando na queda da demanda reprimida, nos deslocamentos dos usuários, reduzindo gastos com transporte.

As unidades de saúde da família (USFs) Tiradentes e Moreninha foram escolhidas para iniciarem o programa. A expectativa é expandir o serviço para as 72 unidades de saúde que compõem a Atenção Primára. Neste primeiro momento, os profissionais das unidades devem contar com suporte de psiquiatras e cardiologistas, prevendo a disponibilização de outras especialidades.

A proposta é expandir também o atendimento aos pacientes acamados através do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) e dar suporte às unidades de urgência e emergência, entre outros, além do apoio ao tratamento dos pacientes provenientes do interior do Estado.

A implantação do Programa Municipal de Telerregulação, Teleconsulta e Teleconsultoria,  é fruto da parceria da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), com o Laboratório de inovação na atenção primária à saúde (INOVAAPS) e o Laboratório de inovação tecnológica em saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS).

O ato de lançamento contou com a presença do prefeito Marquinhos Trad, do secretário municipal de saúde José Mauro Filho, do secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, da presidente da mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde, Maria Auxiliadora Fortunato, da promotora de justiça Filomena Fluminhan, da defensora pública Maria Rita Barbato, do pesquisador do LAIS, Antonio Higor Freire de Morais, e técnicos envolvidos na implementação do programa.


Voltar


Comente sobre essa publicação...