Semana On

Quarta-Feira 29.set.2021

Ano X - Nº 461

Cultura e Entretenimento

MS tem rotas e destinos alternativos para quem ama se aventurar

São trilhas, cachoeiras e locais para fugir da agitação das cidades

Postado em 07 de Setembro de 2021 - Redação Semana On

Morro do Ernesto. Morro do Ernesto.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Além dos principais pontos turísticos, como Bonito e Pantanal, Mato Grosso do Sul também dispõe de rotas e destinos alternativos voltado ao ecoturismo e contemplação da natureza para se aventurar durante o feriado. São trilhas, cachoeiras e locais para fugir da agitação das cidades.

Sem precisar viajar para outras cidades, entre as opções em Campo Grande estão as cachoeiras e trilhas do Inferninho, a “Trilha da Usina”, assim como o tradicional Morro do Ernesto, que fica situado na Fazenda Córrego Limpo, que tem a sua disposição uma cachoeira de quatro metros e duas corredeiras.

Seguindo para o interior do Estado tem a Trilha da Conquista em Sidrolândia, as trilhas da Pintura Rupestre e do Córrego Rico em Rio Negro, assim como a trilha “Los Pagos”, na cidade de São Gabriel do Oeste.

Em Piraputanga, distrito de Aquidauana, o sul-mato-grossense pode conferir o “Caminho das Antas”, que oferece uma visão sobre um dos morros da Serra de Maracaju, além do “Morro do Paxixi” e a Trilha dos Mirantes, em Camisão.

Sítios arqueológicos

Localizado na região norte do Estado, na cidade de Alcinópolis, se encontram sítios arqueológicos com inscrições rupestres com milhares de anos. Além de conferir estes pontos históricos, também pode conferir visão de cima dos morros, contemplando as paisagens naturais e plantas raras.

Entre eles está o Sítio Arqueológico Serra do Barro Branco, que possui cavernas com inscrições de milhares de anos atrás, paisagens naturais, com observação de aves raras. Assim como o Sítio Arqueológico Gruta do Pitoco, que é conhecido por ter misteriosas passagens subterrâneas que levam a várias pinturas rupestres.

Outro local de destaque é o Templo dos Pilares, com pinturas que datam de dois a onze mil anos. Muitos acreditam que o local pode ter sido um templo de adoração aos mortos e deuses. As alternativas são muitas para os sul-mato-grossenses variarem nas suas viagens.


Voltar


Comente sobre essa publicação...