Semana On

Sexta-Feira 20.mai.2022

Ano X - Nº 487

Legislativo

Carlão e Subsecretário Amadeu Borges falam de parcerias e do funcionamento do Centro de Interpretação de Libras

O presidente da Câmara fez o compromisso de auxiliar na estruturação do Centro Municipal de Interpretação de Libras

Postado em 01 de Setembro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, recebeu o Subsecretário Municipal de Defesa dos Direitos Humanos - Amadeu Borges (SDHU), Diretora Adjunta - Bárbara Cristina Rodrigues e do gerente de gestão, planejamento e projetos - Fernando dos Santos Pereira.  Na pauta da reunião estava a formalização de uma parceria entre a SDHU e a Câmara Municipal, além da informação por parte do subsecretário de que o Centro Municipal de Interpretação de Libras (CMIL) já está em funcionamento para atender pessoas surdas ou com deficiência auditiva.

“A Câmara Municipal aprovou a Lei Municipal nº 6.341/2019 que autorizou a criação do Centro Municipal de Interpretação de Libras (CMIL), permitindo que pessoas com deficiência auditiva e surdas tenham acessibilidade em quaisquer serviços públicos da Capital. Lei assinada pelo vereador Otávio Trad e o presidente Carlão. Embora ainda não tenhamos realizado o evento para a inauguração oficial do Centro, ele já está em funcionamento, cumprindo esse importante serviço de integração entre o cidadão e o Poder Público. A parceria é a cedência do espaço da Câmara para realização do Prêmio Municipal dos Direitos Humanos que acontece todos os anos no dia 10 de dezembro, e homenageia 40 pessoas e/ou instituições que contribuíram durante o ano, para promoção e defesa dos direitos humanos dos cidadãos campo-grandense”, disse Amadeu, acrescentando que CMIL dispõe atualmente de quatro intérpretes de Libras e que será inaugurado no Dia Municipal dos Intérpretes de Libras, 30 de setembro.

Já o presidente Carlão, afirmou que a Câmara está à disposição da SDHU e fez o compromisso de auxiliar na estruturação do Centro Municipal de Interpretação de Libras, lembrando ser um dos precursores da luta pela disponibilização de intérpretes de Libras para a população.

“Sou autor da Resolução que criou a inserção do intérprete de Libras na Câmara e da Lei 5.206/13, que estabeleceu a obrigatoriedade em todos os eventos públicos oficiais do Executivo e em todas as UPAS a disponibilização de intérpretes de Libras.  Agora recentemente o vereador Otávio aperfeiçoou essa Lei com outras e criou o CMIL. Na Câmara vamos fazer um novo concurso para dispormos de um número maior de intérpretes”, disse.

Serviço

A CMIL tem como objetivo integrar o cidadão com o poder público. Estão disponíveis quatro profissionais intérpretes de libras com três tipos de atendimentos: presencial, in loco e eventos. No presencial o atendimento é realizado no Centro Municipal de Interpretação de Libras, localizado na Subsecretaria na Rua Barão do Rio Branco, 2260 (em frente ao Belmar Fidalgo). O funcionamento é de segunda a sexta, das 07:30 às 11h/ 13h às 17:30.  Mais informações pelo telefone: 2020 – 1181.


Voltar


Comente sobre essa publicação...