Semana On

Quarta-Feira 18.mai.2022

Ano X - Nº 487

Coluna

Certificado na mão, vista desimpedida

Portugal ainda só permite que brasileiros entrem no País por motivos considerados essenciais

Postado em 12 de Agosto de 2021 - Margarida Vaqueiro Lopes – Estadão

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em Portugal, os serviços começam a retomar a atividade e nacionais e turistas têm se encantado por poder voltar aos lugares de que sentiram a falta durante os meses mais difíceis das restrições devido à Covid-19. O ritmo acelerado da vacinação e o Certificado Digital Europeu ajudam a que seja cada vez mais tranquilo estar no interior de restaurantes, hoteis e bares sem recorrer a testes de cada vez o pretendemos fazer.

Atualmente, para poder fazer check-in num hotel em Portugal precisa de mostrar um comprovante de que tem a vacinação completa há mais de 14 dias – com uma das vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento – ou um teste negativo (antigénio ou PCR). Um hotel de quatro ou cinco estrelas terá à disposição um auto-teste para você fazer na frente dos funcionários, se não tiver nenhum dos comprovantes de que falei anteriormente – e qualquer farmácia tem à venda testes aprovados pelas autoridades que podem ser usados como prova de que não estará infectado com o SARS-COV 2.

Essa obrigação também se estende ao interior de restaurantes e bares nos finais de semana – se quiser ficar apenas nos espaços exteriores não precisa apresentar teste -, para entrar em eventos culturais ou casamentos e batizados a partir de uma certa lotação do espaço.

A verdade é que apesar de a gente ter estranhado um pouco todas essas medidas – tal como o uso da máscara, que segue sendo obrigatório mesmo na rua – hoje elas já entraram na rotina da maior parte das pessoas. Quase todo o mundo tem uma caixinha de máscaras na porta de casa, no carro ou na bolsa; a gente já pega na máscara e nos certificados digitais como nas chaves de casa; perguntamos quais as exigências para entrar em qualquer lugar…enfim. E sejamos honestos: quanto mais normalizarmos essas medidas, mais fácil vai ser para nós viver os tempos que se seguem.

Porque não há regresso a 2019 – os especialistas acreditam que o SARS-COV2 veio para ficar, então a gente tem que arranjar forma de viver com ele – mas há futuro pela frente. E voltar aos lugares que nos permitem uma vista legal, boa comida, alguma convivência social e menos receios, é uma ajuda para esse caminho.

Portugal ainda só permite que brasileiros entrem no País por motivos considerados essenciais – reunião familiar, razões humanitárias, de trabalho, estudo ou de saúde  -, e têm que mostrar um teste à Covid negativo! De qualquer forma, pela atuação das autoridades durante essa pandemia, acreditamos que essas regras tenham vindo para ficar, mesmo quando tudo ficar liberado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...