Semana On

Sábado 25.set.2021

Ano X - Nº 461

Coluna

Próximo portão: desembarque

Exército, Igreja Universal, Centrão e até bolsominios estão desembarcando do governo

Postado em 20 de Maio de 2021 - Rafael Paredes

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Se você ainda obedece seus dedos e defende o governo Jair Bolsonaro nas redes sociais, ao menos interinamente, já não pensa mais como antes. Há um gradual desembarque do Governo Federal e este é o motivo do desespero do mandatário da Nação. Você pode achar que o deputado e o senador que mereceu seu voto por apoiar Bolsonaro continua alegremente a apoiar o governo. Está enganado. Ele já reprova o presidente e comenta suas críticas em rodinhas com os colegas no Congresso.

O presidente pode ter diversos defeitos, mas é transparente nas suas emoções e guarda em si, às vezes, uma ingenuidade infantil. Bolsonaro vem sendo recepcionado com muita frieza em eventos militares e sentiu o golpe. O comandante em chefe das Forças Armadas acreditava que a ideologia de direita sustentaria sua ligação com a caserna, mas é o espírito institucional que move os militares.

Passou quase despercebida a entrevista do bispo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) Renato Cardoso à TV Record. Cardoso, que é genro de Edir Macedo e número 2 da IURD, criticou o governo Jair Bolsonaro por falta de apoio do Itamaraty no conflito entre autoridades de Angola e representantes da Igreja no país africano. A entrevista foi dada no canal de televisão que pertence à igreja. A igreja também detém uma universidade e um partido político, o Republicanos, que integra o Centrão.

Como já comentado em artigo anterior, o Centrão não apoia um governo, mas sim se associa a ele enquanto seus interesses são atendidos. Outro partido do Centrão que ensaia o desembarque é o PSD, de Gilberto Kassab. Ter ministro no Governo Federal não constrange o partido de dialogar abertamente com o ex-presidente Lula e testar o nome do secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, como possível vice do petistas.

A ausência na CPI da Covid ou a fraca defesa do governo, que deveria ser de responsabilidade de senadores do Centrão, também apontam que o próximo portão pode ser o do desembarque. Por outro lado, o ex-presidente Lula avança. Esses dias, afirmou que o Centrão não é um partido único, que cada partido tem seus interesses e ele dialoga com todos.

Por fim, os bolsominions... a manifestação em Brasília do último final de semana era para ser apoteótica, era para as famílias de bem desse país, cristãs, conservadoras, saírem aos borbotões de suas casas para lotar a Esplanada dos Ministérios na capital federal em apoio ao presidente. Não foi o que aconteceu. A manifestação estava rica em caminhões e cavalos, gente mesmo estava muito aquém do esperado.

Atualmente, apenas dedos, muitos desses eletrônicos, não pensam em desembarcar do Governo Federal.


Voltar


Comente sobre essa publicação...