Semana On

Sábado 18.set.2021

Ano X - Nº 461

Comportamento

Ato de checar o celular tem efeito contagioso como o bocejo, sugere estudo

Pesquisadores da Itália realizaram analisaram se o chamado efeito camaleão ocorre quando utilizamos o celular na presença de outras pessoas

Postado em 11 de Maio de 2021 - Galileu

Ato de checar o celular tem efeito contagioso como o bocejo, sugere estudo. Foto: August de Richelieu/Pexels Ato de checar o celular tem efeito contagioso como o bocejo, sugere estudo. Foto: August de Richelieu/Pexels

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um estudo realizado na Itália aponta que quando alguém checa o celular em público isso provoca um efeito contagioso nas pessoas ao redor - o chamado efeito camaleão. O "poder" contagioso do bocejo, por exemplo, é atribuído ao efeito camaleão. Acredita-se que tal fenômeno ocorre porque, de maneira inconsciente, o ser humano acaba copiando gestos de seus pares com o intuito de se adequar ao espaço onde está. 

Publicado na revista científica Journal of Ethology, o estudo foi realizado da seguinte maneira: em diferentes espaços, um dos pesquisadores lançava o "gatilho" (mexer no celular) e o comportamento das pessoas ao seu redor era observado durante um intervalo de 30 segundos. Foram testados dois tipos de gatilho: olhar para a tela do celular e simplesmente pegar o celular na mão, batendo os dedos nele sem olhar diretamente para a tela. 

A pesquisa diz que cerca de 50% das pessoas copiaram o gesto nos casos em que o gatilho envolvia verificar visualmente o aparelho. Agir dessa maneira teve efeito 28 vezes maior sobre as pessoas do que simplesmente manipular o telefone. 

Não foram percebidas variações significativas nas respostas comportamentais de acordo com idade, gênero e a relação interpessoal dos indivíduos observados com os pesquisadores. "A maioria das pessoas se contagia pelo comportamento dos outros com o celular sem nem mesmo perceber", disse Elisabetta Palagi, especialista em comportamento social da Universidade de Pisa, à revista New Scientist

O teste foi realizado em locais como salas de espera, ambientes de trabalho, restaurantes e até nas casas dos pesquisadores. Curiosamente, o efeito camaleão relacionado ao celular ocorreu muito menos em momentos que envolviam comida.

A pesquisa sugere que quando as pessoas comem acompanhadas elas tendem a reproduzir outros elementos comportamentais, como postura e expressões do rosto. "O baixo mimetismo observado na presença de comida pode ser mais pronunciado considerando que a nossa amostra vem da Itália, onde a cultura da comida está historicamente e intrinsecamente conectada à agregação social e à convivência".  

Esse estudo foi realizado entre maio e setembro de 2020. Segundo o The Guardian, os pesquisadores ainda não sabem dizer se a resposta das pessoas ao gatilho do celular foi influenciada de alguma maneira pela pandemia e pelo isolamento social.


Voltar


Comente sobre essa publicação...