Semana On

Segunda-Feira 21.jun.2021

Ano IX - Nº 448

Coluna

Funai Aparelhada

Idelber Avelar fala disso, de CPI’s, de trolagem, milicos e idolatria

Postado em 28 de Abril de 2021 - Idelber Avelar

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O ponto a que se chegou: aparelhada pelo bolsonarismo, a Funai, que seria o órgão encarregado de defender os indígenas, pediu à PF que intimasse Sonia Guajarara por ... difamar o governo! E a PF atendeu!

É uma impossibilidade lógica difamar o governo Bolsonaro. E a intimação é, evidentemente, concebida para intimidar e encurralar vozes dissidentes.

A APIB - Articulação dos Povos Indígenas do Brasil respondeu: “Não irão prender nossos corpos e jamais calarão nossas vozes. Seguiremos lutando pela defesa dos direitos fundamentais dos povos indígenas e pela vida”.

Todo apoio à Sonia Bone Guajajara.

CPI’S

Nunca fui muito fã de CPIs, no sentido de acalentar a ideia de que a investigação parlamentar por si vá necessariamente produzir efeitos positivos na pólis. Mas hoje, na situação desesperançada em que vive o Brasil, o instrumento razoável de desgaste do minúsculo está no parlamento e na CPI da Covid.

Uma das vantagens de se escrever um livro detalhado sobre um tema é que você ganha o direito de se alienar dele e tascar um "ah, quer saber o que penso, leia livro" sempre que te perguntam sobre ele. Então eu ando mesmo alienado de notícias da CPI, mas esperançoso de que ela gere alguma imagem da produção de cadáveres mostrável no Jornal Nacional.

No Brasil, qualquer jogo político muda quando há uma sequência de imagens chocantes no JN. Enquanto isso, todo o apoio aos da terceira idade, já vacinados, que estão se mobilizando para reocupar as ruas e protestar em nome de todas/os.

Agradeço já de antemão, portanto, atualizações sobre os rumos da CPI. Vale acompanhar. É o que nos resta.

TROLLAGEM

A necessidade de desopilar o fígado e despejar a raiva de um governo genocida e uma cidadania domesticada a se submeter a políticos está me levando a fazer coisas que antes eu não fazia, como trollar páginas.

Cês são testemunhas de que jamais vou ao mural de ninguém pentelhar, "debater", encher o saco. Se vou, é para passar boas vibes, completar com algo ou bater papo amistosamente. Mas as páginas impessoais, algumas de futebol, em especial, eu comecei a trollar.

Em uma dessas, chamada "Grandes jogadores do passado" ou algo assim, publicou-se uma foto do João Leite entrando em campo com as crianças do Galo. Foto bonita, inclusive. Até aí, tudo bem.

Daí, na caixa de comentários, começo a ver um DELÍRIO do tipo: "Maior goleiro da história do Galo!", "Maior goleiro da época!", "Injustiçado de não ter ido para a Copa de 1982!"

Estupefato ante a constatação, mais uma vez, de que as pessoas podem FABRICAR MEMÓRIAS FALSAS sobre o passado, e com frequência inventar um passado do nada, eu respirei fundo, passei um café, e escrevi algo assim:

"Só alguém que está inventando LOROTA pode dizer que viu João Leite ser um extraordinário goleiro. Nem de longe ele foi um grande goleiro. Com um pouco de boa vontade, podemos dizer que foi um goleiro RAZOÁVEL.

Para começar, quem tem menos de 40 anos nem deveria abrir a boca, porque não há muitas gravações de jogos completos do Galo da época. Quem não morava em Belo Horizonte entre 1977 e 1990 também deveria calar a boca, porque os jogos do Galo não se transmitiam para o Brasil todo, a não ser em finais de Brasileirão, e portanto você não pode ter visto os inúmeros frangos e gols de escanteio com cabeceio na pequena área que o João Leite levou de potências como Caldense, Uberaba e Valeriodoce.

João Leite tinha, sim, técnica para pegar pênaltis e boa estatura para a época, às vezes crescia para cima do atacante, e possuía razoáveis reflexos. Saía pessimamente em bolas altas, era incapaz de dar um passe com os pés sem chutar a bola pela lateral, e nunca se decidia entre espalmar ou agarrar nos chutes de longe. Levava inúmeros frangos, em um timaço que raramente era ameaçado em sua defesa. Eu assisti a quase todos os jogos de João Leite ao vivo entre 1977 e 1987 e lhes garanto que quem está dizendo que ele foi um extraordinário, ou mesmo grande, goleiro, é um LUNÁTICO. Ou inventor de lorota sobre um passado que não viveu e que não está registrado em vídeo. Dizer que ele foi injustiçado ao não ser chamado para a Copa de 1982 é coisa que nem um atleticano que tomou LSD com Rivotril vai dizer. E aqui não tem ninguém mais atleticano que eu. Cês num tem vergonha de inventar memórias falsas não?"

*****.

Deu uma confusão danada na página e acabaram apagando o post inteiro, com tudo. Mas eu desopilei o fígado.

Ah vá, eu passo a adolescência toda no Mineirão vendo o cabra levar frango, e aos 52 abro a internet e vejo uma molecada de RJ, SP, RS, NE, que viu um vídeo de YT com 20 boas defesas, "lembrando" que o João Leite era um Yashin ou um Buffon. Apaporra, meu.

MILICO COVARDE

O ministro-chefe da Casa Civil da República Federativa do Brasil se vacinou escondido. A confissão foi capturada em uma gravação de reunião que ele não sabia que acontecia.

A ex orgulhosa república que liderava o mundo em vacinação agora tem ministros que se escondem como ratos para se vacinarem.

O milico Luiz Eduardo Ramos tem 64 anos, não está furando fila nenhuma. Vacina-se escondido porque o governo do qual ele faz parte não quer estimular a vacinação, não quer que a cidadania tenha acesso ao que ele teve.

Um milico covarde, em suma.

CRÔNICAS DE UM PAÍS VICIADO EM IDOLATRAR POLÍTICOS, CAPÍTULO 765

O Felipe Neto decretou, pelo jeito, que não podemos questionar o Lula porque, já que não haverá terceira via (supõe ele, Felipe), qualquer ajuda a que se desidrate ou desconstrua Lula é uma ajuda a Jair.

O raciocínio tem a profundidade de um pires e só interessa como sintoma, evidentemente. Nem merece que se reproduza o tuíte, vocês que procurem.

Em todo caso, o fato de que esse senso comum tenha chegado a um influenciador do tamanho e perfil do Felipe já mostra o tamanho da enrascada brasileira. Três anos atrás, ele dizia que o PT era o ápice da corrupção e que entre um “ladrão” e um desconhecido, ele ia ficar com este último.

Como ele agora descobriu que as coisas não são bem assim e que viver sob o bolsonarismo é bem pior, ele quer decretar a chantagem ao revés DEZOITO MESES antes das eleições, só porque ele SUPÕE que não haverá nenhuma terceira opção viável.

Se isso não é um quod erat demonstrandum da tese sobre a retroalimentação entre lulismo e bolsonarismo, não sei o que é. Lembrando: retroalimentação não quer dizer “dois extremos”. Só quer dizer isso: alimentação mútua.

Nada contra o Felipe, diga-se. Como todo influenciador daquele tamanho, ele quer construir sua imagem, ganhar dinheiro (legítimo) e, no caso dele, “fazer o bem” — o garoto genuinamente tem o coração no lugar certo e alguma cabeça em cima do pescoço.

O piti de quem resolveu que agora só resta render-nos ao salvador Lula antes sequer de que ele apresente um plano de governo é apenas um sintoma dessa combinação terrível entre bate-bumbo de lacração tuiteira/ youtubera (que sempre procura mais e mais retuítes, e portanto tem que satisfazer o mínimo denominador comum da maior torcida organizada) e essa vocação brasileira da subserviência a políticos.

É mais uma camada da catástrofe que nos aconteceu e nos segue acontecendo como país.


Voltar


Comente sobre essa publicação...