Semana On

Quinta-Feira 05.ago.2021

Ano IX - Nº 454

Legislativo

Mês do Doador de Sangue e Medula Óssea

Pandemia diminuiu em 40% as doações, alerta Paulo Corrêa

Postado em 14 de Abril de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Abril é o mês “Do Doador de Sangue e Medula Óssea” em Mato Grosso do Sul. A comemoração foi instituída pela Lei 5.511 de 20 de maio de 2020, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), deputado Paulo Corrêa (PSDB). Conforme a lei, o mês é dedicado à campanha de incentivo e conscientização à prática de doação de sangue e medula óssea.

A intenção é integrar poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, incluindo a realização de palestras, atividades educativas, de divulgação, entre outras ações Com a propagação do coronavírus, neste ano a realização de eventos presenciais não será possível. Mas a importância da temática continua em evidência.

No último dia 13, durante a sessão ordinária, o presidente da Casa de Leis leu um comunicado da diretora geral da Rede Hemosul, Marli Vavas, sobre a queda no número de doações de sangue durante a pandemia e fez um alerta. “Peço aos senhores deputados o empenho, pois o assunto é muito grave. Vamos informar e incentivar a doação de sangue também entre servidores da casa, vou pedir para que essa informação seja estendida a todos”, afirmou Paulo Corrêa.

Doador assíduo há mais de seis anos, o assessor jurídico Lucas Rodrigues comenta o quanto é gratificante poder fazer algo por quem precisa. “O que motiva é a necessidade das pessoas. É um gesto de solidariedade e empatia com o próximo. E eu acho isso bacana”. Na imagem, Lucas estava doando sangue em 2015, no entanto, nunca deixou de realizar suas doações, mesmo durante a pandemia.

Apesar da atitude de pessoas como ele, conforme a Rede Hemosul, as doações de sangue caíram em média 40% desde o começo da propagação da Covid-19 no Brasil. Campanhas de grupos, como de igrejas e de motociclistas, costumam ajudar nos estoques. Atualmente, a Rede, que atende todos os hospitais particulares e públicos do Estado, está precisando de doações de sangue de todas as tipagens, mas principalmente de O-, O+, e A+.

Marli Vavas, diretora geral da rede Hemosul, comenta também que "os pacientes graves da Covid-19, que desenvolvem anemia severa precisam de transfusão", por isso, embora as doações diminuam durante a pandemia, a demanda continua a mesma.

A psicóloga Ínara Piva também faz questão de ser doadora. "Desde os meus 18 anos sou doadora de sangue. Vejo muita importância nesse ato, sangue é algo que podemos precisar a qualquer momento, por algum motivo. Pra mim, é algo tão simples, poder doar algo que meu corpo produz sem muito esforço. Sempre me atentei aos períodos de doação e às regras, tento estar em dia com a minha doação, é maravilhoso poder  fazer algo a favor da vida de alguém", afirma.

As pessoas que quiserem doar sangue, precisam levar documento oficial com foto, estar bem alimentado e bem de saúde, ter mais de 55 quilos, e ter idade entre 16 e 69 anos, sendo que menor de idade precisa estar acompanhado do responsável legal.

A Rede Hemosul conta com todas as medidas de biossegurança (distanciamento entre as cadeiras de espera e doação, álcool gel em locais estratégicos, uso obrigatório de máscaras).

Para agendar, basta ligar para os números 3312-1516 ou 3312-1529 / (67) 99298-6316 whatsapp.


Voltar


Comente sobre essa publicação...