Semana On

Segunda-Feira 21.jun.2021

Ano IX - Nº 448

Auau Miau

Ansiedade canina: quais os sinais e como tratar o seu pet ansioso

O problema é comum em animais, então saiba o que pode ser feito para tratar ou evitar que seu pet sofra desse mal

Postado em 13 de Abril de 2021 - Renan Silva – Canal do Pet IG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Assim como os seres humanos , os animais também podem sofrer com crises de ansiedade e isso é mais comum do que se imagina, e os sintomas também podem ser bem semelhantes aos nossos. Para saber como identificar os sinais de que o seu pet está com ansiedade, o Canal do Pet conversou com o médico veterinário Raphael Clímaco e traz para você dicas de como agir com o seu cãozinho ansioso.

Alguns sinais são bem perceptíveis em cães que podem sofrer com crises de ansiedade. O mais comum é o excesso de latidos, principalmente quando o animal está sozinho, chamado também de síndrome do abandono. Acontece quando o dono sai de casa e o animal sente que foi abandonado, começando a latir incansavelmente até que o tutor volte para casa.

Outro sinal de que seu pet pode estar sofrendo com ansiedade é a lambedura excessiva, principalmente na região das patas. O animal pode começar a se lamber compulsivamente, chegando a se mordiscar e até mesmo se mutilar por estar ansioso.

A forma de se alimentar também é um forte sinal, alguns se comem de forma compulsiva quando estão ansiosos, ou mesmo não comer nada. Podem ficar aguardando o tutor chegar em casa para se alimentar, sendo prejudicial à saúde do pet.

Causas

A ansiedade pode causar distúrbios de comportamento no animal, chegando até à  depressão . A ansiedade leva a uma baixa de imunidade e de funções do organismo, como no caso dos animais que não estão se alimentando adequadamente quando o tutor sai de casa, está superagitado, latindo o dia todo e está estressado. Essa inquietação eleva os níveis de cortisol que mexe com todas as funções do organismo, o que pode levar às doenças nos rins, como a insuficiência renal crônica , até problemas no trato digestivo, como gastrite, vômitos e outras doenças relacionadas ao sistema digestório. 

O animal excreta a gastrina ao atingir um nível alto de estresse, que é uma substância presente na digestão e é liberada excessivamente quando o animal está com altos níveis de cortisol. Traduzindo em outras palavras, o animal tem uma gastrite emocional, por estar ansioso e isso pode ocasionar uma gastrite crônica, entre vários problemas que podem ser derivados da ansiedade.

O que fazer para evitar

Segundo o veterinário, 99% das causas de ansiedade nos cães estão ligadas à forma como o pet é criado. Questões de comportamento e educação são muito importantes, quando o tutor trata seu pet como um filho, o deixando dormir na cama e almoçar junto, por exemplo, ele cria um laço de dependência com o pet. O animal não sente sua independência nem mesmo dentro de casa, não conseguindo dormir sozinho, sempre tendo que deixar a porta aberta. Esse laço, apesar de parecer muito bonito, acaba agravando essa síndrome, que envolve, além do sistema psicológico, mas sistemas orgânicos do animal. Em resumo, as causas são derivadas da própria criação, tendo um cunho muito comportamental.

Tratamentos

O tratamento pode ser realizado de forma medicamentosa, para as consequências, procurando um médico veterinário. Contudo ele deve ser tratado também de forma psicológica, para as causas, por meio de um psicólogo canino. Dependendo do nível de ansiedade, pode ser necessário um tratamento multidisciplinar.

O que o tutor pode fazer

O tutor pode ajudar o animal a aliviar a ansiedade em atividades físicas, gastando a energia do animal com passeios, brincadeiras e atividades recreativas. Também vale dar vazão à energia mental com comedouros e atividades que despertam o instinto do cão. Um exemplo são os comedouros e brinquedos educativos , que contribuem para que o cão tenha um enriquecimento do ambiente, com texturas diferentes, com sons, cores, sabores e odores diferentes.

É importante mesclar o gasto de energia física e mental, associado a essas ferramentas, contribuindo muito para diminuir o nível de estresse e ansiedade.


Voltar


Comente sobre essa publicação...