Semana On

Segunda-Feira 29.nov.2021

Ano X - Nº 469

Mato Grosso do Sul

Conselheiro do Tribunal de Contas Jerson Domingos se torna réu em mais uma ação da operação Omertá

O juiz Roberto Ferreira Filho recebeu a ação do Ministério Público que apura uma suposta obstrução da justiça com a tentativa de um plano para matar o delegado responsável pela investigação

Postado em 16 de Março de 2021 - TV Morena e G1 MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul e ex-deputado estadual, Jerson Domingos, se tornou réu em mais uma ação da operação Omertá. O juiz Roberto Ferreira Filho recebeu a ação do Ministério Público que apura uma suposta obstrução de justiça, com a tentativa de um plano para matar o delegado responsável pela investigação, um promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e um defensor público.

De acordo com a ação, o plano teria partido de Jamil Name e Jamil Name Filho, presos no presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Os dois são acusados de chefiarem uma organização criminosa, responsável por vários crimes em Mato Grosso do Sul.

Segunda o denúncia, Jerson teria recebido a ordem de contratar um "matador" para executar o serviço. A investigação aponta que o conselheiro do TCE, cunhado de Jamil Name, esteve na cidade do Rio de Janeiro no mesmo período em que teria recebido a incumbência.

Além de Jerson, o juiz também recebeu a denúncia contra Cinthia Name, sobrinha de Jamil Name e apontada como a operadora financeira do grupo. Também viraram réus, o ex-guarda municipal Marcelo Rios, e o policial Civil aposentado, Valdenilson Daniel Olmedo.

Dois advogados denunciados foram retirados da ação pelo juiz que não viu indício da participação deles. O advogado de Jerson, André Borges afirmou que a "defesa no momento oportuno impugnará a acusação, descabida e bastante exagerada”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...