Semana On

Sábado 24.jul.2021

Ano IX - Nº 453

Mato Grosso do Sul

MS acumula 3,1 mil mortes por covid-19

Governo oficializa toque de recolher diferenciado de acordo com risco de contágio

Postado em 12 de Fevereiro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, do Governo do Estado, desta sexta-feira (12), mostra que em apenas 24 horas dez pessoas morreram por Covid-19 em Mato Grosso do Sul, totalizando 3,1 mil vítimas da doença desde o início da pandemia.

“Nossa média móvel de óbitos é de 16,7, uma queda comparada aos últimos dias. A taxa de letalidade continua a mesma, de 1,8. Dos óbitos de hoje, três são de residentes de Campo Grande, dois de Corumbá, dois de Dourados e um de Maracaju, um de Ponta Porã e um de Sidrolândia”, ressaltou a secretária-adjunta, Christine Maymone.

Além disso, 700 novos exames deram positivos, somando 169.308 casos positivos da doença até agora. Deste total, 158.878 pessoas estão recuperadas da doença, enquanto que 6.852 estão em isolamento domiciliar e 478 estão hospitalizadas, em tratamento.

Dos casos que estão internados nas unidades hospitalares, 249 estão em leitos clínicos, sendo 163 pelo SUS e 86 na rede privada, enquanto que 229 estão em leitos de UTI, sendo 173 na rede pública e 56 na rede privada.

Sobre o comprometimento de leitos, a situação permanece alarmante em Dourados, com ocupação de 85% nos leitos UTI/SUS; em Campo Grande, o índice é 74%; enquanto que em Corumbá é de 62% e em Três Lagoas, de 54%.

Toque de recolher

O governo estadual publicou ontem (11), em Diário Oficial do Estado, o novo toque de recolher para os 79 municípios do Estado, que vai definir o horário de acordo com o risco de contágio para pandemia de coronavírus, que é definido pelo programa “Prosseguir” com a classificação das cidades por bandeiras.

As cidades que estiverem nas bandeiras verde, amarela e laranja terão o toque de recolher das 23h até às 5h da manhã. Já os municípios classificados pelo programa com as bandeiras vermelha e cinza, que representam risco maior de contágio, segue o horário antigo, das 22h às 5h da manhã.

De acordo com o último levantamento feito pelo programa Prosseguir, 49 municípios estão nas bandeiras com uma hora a mais para o toque de recolher, sendo 44 na faixa laranja e cinco na amarela. No panorama da 5ª semana epidemiológica apresentou melhora do grau de risco de 30 cidades, piora de 14 enquanto 35 permaneceram na mesma faixa. 

A justificativa é que aquelas cidades que estão em melhores condições em relação a pandemia, terão uma hora a menos de restrição no toque de recolher, em relação a locomoção de pessoas e abertura de estabelecimentos comerciais. Entre as cidades incluídas nesta classificação estão Campo Grande, Dourados, Coxim e Ribas do Rio Pardo.

Estas novas regras para o toque de recolher irão valer por 15 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período em ato pelo governador Reinaldo Azambuja.

A classificação das bandeiras que vai definir os horários de toque de recolher nos municípios, segue o programa Prosseguir, criado em junho de 2020, para ser o principal instrumento na tomada de decisões em relação a pandemia do coronavírus, em Mato Grosso do Sul.

O programa classifica os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta, e traz recomendações de medidas no âmbito da Saúde Pública, de Serviços Públicos e do Social para nortear os agentes públicos nas ações de combate à propagação da Covid-19.

MS está entre os quatro estados com melhor índice de vacinação

Mato Grosso do Sul está entre os quatro estados que apresentam melhor índice na Campanha de Imunização Contra a Covid-19 e que já iniciou a aplicação da 2ª dose da vacina, conforme divulgado pelo Consórcio de Veículos de Imprensa que acompanha a situação da pandemia do coronavírus no país.

Ocupando a quarta posição, o Estado registra 2,67% no ranking nacional divulgado no último dia 10. Dados atualizados às 9 horas pelo Vacinômetro Covid-19, mostra que a performance já mudou e o Estado registra índice acima de 3%.

Para o Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, Mato Grosso do Sul tem se esforçado para aumentar o quantitativo de pessoas imunizadas e para conter a disseminação da doença no Estado. “Nós já temos expertise na distribuição de doses para os municípios. Fizemos essa distribuição em menos de 24 horas e isto colocou o nosso Estado em primeiro lugar na distribuição de doses no país. Então, agora, nós estamos trabalhando para ser o primeiro ou estar entre os primeiros nesta campanha de imunização”.

Das 222 mil doses encaminhadas pelo Ministério da Saúde ao Estado, 84.863 já foram aplicadas sendo 77.930 da primeira dose e 6.933 da segunda dose. Até o presente momento, já foram imunizados 46.467 trabalhadores de saúde, 29.727 indígenas aldeados, 2.060 idosos e 242 deficientes que vivem em instituições e mais 6.367 idosos acima de 80 anos.

O secretário ainda afirma que Geraldo Resende ainda afirma que mantém contato com diversos secretários municipais onde cobra mais agilidade no processo de imunização, principalmente, para os municípios que possuem população indígena aldeada.

“Quero que os municípios que têm essa população melhorem a performance de vacinação nas aldeias. Em paralelo, tenho procurado conversar com os todos os municípios para resolver questões pontuais para que nós possamos garantir eficiência no processo de aplicação da vacina assim como somos na distribuição das doses”, pontua Geraldo Resende.

Segundo o Consórcio de Imprensa, o Estado do Amazonas está em primeiro lugar, com 3,65%; Distrito Federal 3,45%; Roraima com 2,84%, Mato Grosso do Sul com 2,67%; Bahia com 2,22% e São Paulo com 2,20%.

O Vacinômetro Covid-19 completa 10 dias desde que iniciou a operação. A população pode acompanhar em tempo real os dados consolidados da Campanha de Imunização Estadual e conferir como está o cumprimento da meta de 90% estipulada pelo Ministério da Saúde, municípios mais bem colocados e o percentual referente às doses aplicadas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...